BetterTogether

Facilitar o acolhimento dos estudantes da ESS-IPVC, implementando atividades lúdicas promotoras de uma melhor vivência académica.

Photo of Jéssica Ribas
1 19

Written by

A que faixa etária pertences?

  • Tenho entre 18 e 25 anos

Termos e Condições Desafio Gulbenkian 25 sub 25

  • Sim, li e estou de acordo

Lista de verificação de elegibilidade

  • Na Ashoka, definimos agente de mudança como qualquer pessoa que se põe em acção para responder a um determinado problema, activa outros, e trabalha no sentido de encontrar soluções para o bem de todos. Se te consideras um(a) jovem agente de mudança assinala esta caixa.
  • Terás entre os 13 e os 25 anos em 7 de Outubro de 2020.
  • A tua ideia será implementada em território português.
  • Confirma que dás o teu consentimento para que possamos dar visibilidade ao teu projeto e percurso neste desafio, nas redes sociais.
  • Confirma que tens o direito de usar ou partilhar qualquer conteúdo que tenhas colocado neste formulário de candidatura.

Em que projeto das Academias Gulbenkian do Conhecimento estás a participar?

  • IPVC – INPEC+

Qual o mês e ano em que nasceste?

Fevereiro-1999

Com que género te identificas?

  • Feminino

Nas próximas nove perguntas irás apresentar a tua Ideia Criativa e Transformadora! 1. O Problema: Qual o problema que estás a contribuir para resolver?

Gostaríamos de melhorar o acolhimento dos estudantes da ESS para estudantes. Facilitar o acolhimento aos estudantes do 1º ano parece-nos muito pertinente, dada a influência no "sentido de pertença à escola" e por isso, tem um grande peso na formação académica. 

Acreditamos que acolher os novos estudantes, de forma positiva no seio da academia suscita um maior interesse pela vida académica e uma melhor vivência da experiência de aprendizagem.

2. Motivação: O que te motivou a querer resolver este problema?

Quando entramos para o ensino superior sentimos alguma ansiedade por não conhecermos ninguém e por ser uma etapa que acarreta algumas mudanças. Sentimo-nos um pouco perdidas e com dificuldade em nos familiarizámos com a escola, em conhecer outros estudantes e os espaços da escola.

Apesar de termos tido várias iniciativas na escola, foram poucos os momentos em que pudemos interagir com as pessoas com quem iriamos partilhar as vivências da vida académica. Quando conversamos com os nossos colegas percebemos que sentiam o mesmo. Para além disso, aqueles que não eram de Viana do Castelo, sentiam ainda mais dificuldade neste acolhimento.

Ao longo do ano, foram poucos os momentos em que existiram atividades lúdicas que promovessem o convívio. Sentimos também que havia dificuldade na disseminação de informações importantes, para nós, que eramos novos estudantes (p.e. qual a data de entrega das fardas necessárias para ensino clínico). No final do ano também sentimos falta de um momento de celebração de final de ano, não só para felicitar os finalistas, mas também para comemorar, em conjunto com toda a comunidade académica o final do ano letivo.

3. A tua Solução: Como é que estás a planear resolver este problema?

Para favorecermos o acolhimento dos novos estudantes, gostávamos de criar uma rádio com o intuito de divulgar informação (p.e. a entrega do fardamento, roupa de curso e ações de formação). 

Pensamos que a criação da rádio poderá contribuir para a divulgação de podcasts que envolvam alunos, professores ou convidados, onde poderiam ser abordados temas de interesse da comunidade académica (p.e. políticas públicas, questões de género e vivências nos diferentes ensinos clínicos), que são fundamentais para o nosso percurso formativo. 

Para além das informações, também gostaríamos de transmitir música, de forma a tornar a nossa escola mais sociável e convidativa. Para o início do ano letivo, planeamos realizar um sunset de acolhimento aos novos alunos e congratulação aos recém-finalistas, com o intuito de potenciar a socialização e promover a criação de relações interpessoais. 

Com o fim do 1º semestre e o início dos ensinos clínicos diminuem os contactos sociais, pelo que gostaríamos de realizar um baile de máscaras, de forma a promover o convívio e o espírito académico. Fecharíamos o ano letivo com uma festa de gala, com toda a comunidade académica para comemoração de cada ano letivo.

4. O Factor X: O que é que a tua ideia tem de diferente, em relação a outros programas ou soluções que já existem?

A ideia do projeto foi criada por um sentimento partilhado, de pretendermos ter um papel ativo e ser agentes de mudança na nossa escola. Com a implementação deste projeto iremos obter uma comunidade mais unida, mais saudável, o que esperamos que possa contribuir para nos empoderar a acreditar, que é possível intervir de forma positiva na nossa comunidade, mas também, nas comunidades que como futuros enfermeiros, vamos prestar cuidados.

5. Vais trabalhar em equipa? Se sim, coloca o nome e email dos restantes membros na linha em branco.

  • Sim

6.1. Em que distrito resides?

  • Distrito de Viana do Castelo

6.2 E em que cidade, vila ou aldeia resides?

Viana do Castelo

7.1. Onde esperas implementar o projeto?

  • Distrito de Viana do Castelo

7.2. Em que aldeia, vila ou cidade pretendes implementar o projeto? Porquê aí?

Pretendemos implementar o projeto na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, uma vez que sendo alunas da escola e por já estarmos no 3º ano, conhecemos a comunidade, as problemáticas, as atividades que estão a ser desenvolvidas e acima de tudo por termos vivenciado a problemática para a qual pretendemos contribuir de uma forma positiva.

8. Impacto esperado: qual a mudança que esperas que a tua ideia provoque nas pessoas que vai servir?

Após a implementação do projeto, pretendemos que todos (incluindo estudantes, professores e funcionários da ESS) se sintam membros integrantes da comunidade escolar, com interesse e motivação pela vida académica. 

Desta forma contribuímos para a construção de relações mais saudáveis entre todos, ajudando a promover um ambiente escolar promotor de sucesso, com vivências positivas para toda a comunidade académica.

9.1. No último ano, fizeste algo para responder a um problema social ou ambiental, no teu contexto?

  • Sim

9.2. Qual das seguintes afirmações descreve melhor o tipo de iniciativa que tiveste?

  • Apoiei uma campanha ou movimento, já existente, de outra pessoa, ou reagi diretamente ao problema perto de mim. Exemplos: Assinei uma petição, juntei-me a um protesto ou manifestação, ensinei a língua local a refugiados, fiz voluntariado numa casa de acolhimento para sem-abrigo, doei comida/roupa aos sem-abrigo, etc.
  • Trouxe uma ideia ou movimento que já existia para a minha família, comunidade, escola ou empresa. Exemplos: Encorajei amigos/família a começar a reciclar, instalei baldes do lixo para reciclagem na comunidade local, comecei um clube para ensinar raparigas a escrever código no computador, liderei campanhas para informar eleitores, organizei um workshop ou evento comunitário sobre um tema que me preocupa/move, etc.
  • Concretizei a minha própria ideia ou solução. Exemplos: Comecei uma empresa para implementar uma nova maneira dos hotéis conseguirem poupar água, comecei uma iniciativa para transformar lixo e resíduos em produtos úteis, patenteei um produto/ forma melhor e mais sustentável para higiene menstrual das mulheres, etc.

9.3. Estás a apoiar outros a serem agentes de mudança de alguma das formas aqui descritas?

  • Ligando pessoas/grupos que de outra forma não se conectariam

10. Se um amigo ou colega te motivou a participar, escreve aqui o seu nome e email.

Sónia Brandão: soniabrandao@ess.ipvc.pt Sara Carvalhido: saralcpc99@hotmail.com

11. Edição de Ideias // Definição de Pressupostos

Em anexo

1 comment

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Ana Teresa Queirós
Team

Muitos parabéns pela ideia! Boa sorte e um grande beijinho!