Com a cabeça na lua

Um convite a resgatar o valor pessoal, despertando a consciência e trazendo os sonhos para a realidade.

Photo of Mariana
8 18

Written by

A que faixa etária pertences?

  • Tenho entre 18 e 25 anos

Termos e Condições Desafio Gulbenkian 25 sub 25

  • Sim, li e estou de acordo

Lista de verificação de elegibilidade

  • Na Ashoka, definimos agente de mudança como qualquer pessoa que se põe em acção para responder a um determinado problema, activa outros, e trabalha no sentido de encontrar soluções para o bem de todos. Se te consideras um(a) jovem agente de mudança assinala esta caixa.
  • Terás entre os 13 e os 25 anos em 7 de Outubro de 2020.
  • A tua ideia será implementada em território português.
  • Confirma que dás o teu consentimento para que possamos dar visibilidade ao teu projeto e percurso neste desafio, nas redes sociais.
  • Confirma que tens o direito de usar ou partilhar qualquer conteúdo que tenhas colocado neste formulário de candidatura.
  • Se tens menos de 18 anos, confirma que tens autorização dos teus pais ou encarregados de educação para participar neste desafio, através do formulário enviado por email, assinado.

Em que projeto das Academias Gulbenkian do Conhecimento estás a participar?

  • U.DREAM

Qual o mês e ano em que nasceste?

Nov-1999

Com que género te identificas?

  • Feminino

Website ou perfis de redes sociais

Instagram: https://www.instagram.com/com.acabecanalua/ Spotify: https://open.spotify.com/user/31xjh

Nas próximas nove perguntas irás apresentar a tua Ideia Criativa e Transformadora! 1. O Problema: Qual o problema que estás a contribuir para resolver?

A baixa autoestima, um dos pilares fundamentais do bem estar, deve-se à sociedade hiper estimular o olhar para o externo (profissão, relações, corpo,...) ao invés do olhar para o nosso interior (necessidades, autoconhecimento,...), à sobrevalorização das críticas, ao crítico interno (sensação que há sempre algo a melhorar) e ao pouco tempo na nossa companhia (meditar, cuidar de nós mesmos,...). Os mais afetados são vítimas (bullying, abusos sexuais,...) e quem não tem consciência do seu valor.

2. Motivação: O que te motivou a querer resolver este problema?

Desde pequenina que a ideia de poder ajudar o próximo me fascinava, tanto que, com a entrada da U.DREAM na minha vida, tornou esse sonho possível de ser realizado: aprendi a ser uma agente de mudança participando em campanhas e outras atividades de impacto social que deram lugar ao meu desejo de contribuir regularmente.

Para além disso, um dos maiores desafios da minha vida esteve relacionado com a falta de amor próprio, tendo plena consciência do que é passar por essa situação e dando azo à minha motivação de erradicar esse problema.

3. A tua Solução: Como é que estás a planear resolver este problema?

Será criado um espaço nos Gabinetes de Apoio ao Estudante das Universidades do Porto que convidará os universitários com baixa autoestima a visualizar as suas vivências pessoais sobre uma perspetiva externa numa partilha entre jovens, permitindo a escuta ativa, e experienciando uma abordagem musical (utilização de letras de canções para comparações que tragam uma melhor compreensão) e a dos contadores de histórias. Será incentivado, nesse mesmo local, um misto de práticas introspectivas e holísticas e utilização da Comunicação Não Violenta, uma criação de Marshall Rosenberg, que visa uma comunicação empática.

Estas atividades os ajudarão a estimular o olhar para o seu interior, a trazer consciência do que realmente são, a romper com crenças limitantes, a aprender a autocompaixão e a valorizar os seus pontos fortes.

4. O Factor X: O que é que a tua ideia tem de diferente, em relação a outros programas ou soluções que já existem?

Os elementos diferenciadores do projeto estão em ser de jovens para jovens, havendo assim uma maior proximidade, inclusive a nível de linguagem, tornando determinados termos mais acessíveis, e nas próprias atividades, pois estas serão uma junção de áreas holísticas, dando lugar a algo novo, uma criação bastante pessoal.

5. Vais trabalhar em equipa? Se sim, coloca o nome e email dos restantes membros na linha em branco.

  • Não

6.1. Em que distrito resides?

  • Distrito de Aveiro

6.2 E em que cidade, vila ou aldeia resides?

Oliveira de Azeméis

7.1. Onde esperas implementar o projeto?

  • Distrito do Porto

7.2. Em que aldeia, vila ou cidade pretendes implementar o projeto? Porquê aí?

A implementação será feita em cinco Gabinetes de Apoio ao Estudante (quatro pertencentes às Universidades do Porto e uma à de Matosinhos), visto que é a 2ª cidade mais habitada em Portugal e o local onde se encontra, com maior afluência, o nosso público-alvo, os estudantes universitários. A quantidade de Gabinetes eleita está relacionada com os dias da semana, de modo a ser possível haver um acompanhamento contínuo.

8. Impacto esperado: qual a mudança que esperas que a tua ideia provoque nas pessoas que vai servir?

Ambicionamos ajudar 50 universitários num prazo de um ano, e, consequentemente, 500 em dez anos. O impacto positivo será refletido sobretudo na comunicação verbal e não-verbal, nos relacionamentos e em atitudes de autocuidado e autoconfiança. Havendo uma base sólida de quem nós somos após a descoberta dos nossos super poderes, das feridas da nossa criança interior, das sombras a serem desenvolvidas e das crenças que atrapalham o nosso sucesso, o empenho nas diversas atividades do quotidiano, o entusiasmo com que a vida é vivida e o aproveitamento que se tirará dela aumentarão em grande escala.

9.1. No último ano, fizeste algo para responder a um problema social ou ambiental, no teu contexto?

  • Sim

9.2. Qual das seguintes afirmações descreve melhor o tipo de iniciativa que tiveste?

  • Apoiei uma campanha ou movimento, já existente, de outra pessoa, ou reagi diretamente ao problema perto de mim. Exemplos: Assinei uma petição, juntei-me a um protesto ou manifestação, ensinei a língua local a refugiados, fiz voluntariado numa casa de acolhimento para sem-abrigo, doei comida/roupa aos sem-abrigo, etc.
  • Trouxe uma ideia ou movimento que já existia para a minha família, comunidade, escola ou empresa. Exemplos: Encorajei amigos/família a começar a reciclar, instalei baldes do lixo para reciclagem na comunidade local, comecei um clube para ensinar raparigas a escrever código no computador, liderei campanhas para informar eleitores, organizei um workshop ou evento comunitário sobre um tema que me preocupa/move, etc.

9.3. Estás a apoiar outros a serem agentes de mudança de alguma das formas aqui descritas?

  • Contando histórias /Usando os Meios de Comunicação

11. Edição de Ideias // Definição de Pressupostos

Em anexo

12. Edição Ideias // Plano para de Ação para Validação de Pressupostos

Em anexo

13. Depois deste tempo a validar os pressupostos que definiste, queres alterar o problema, a solução, o factor X ou qualquer outro ponto da ideia que inicialmente propuseste?

  • Sim

13. a) Quero alterar os seguintes elementos:

  • Problema
  • Solução
  • Factor X

13 b) PROBLEMA - reformulação

A autoestima é um dos pilares fundamentais do bem estar. Quando é baixa ou não desenvolvida está ligada a questões multicausais vividas, maioritariamente, durante a infância e a adolescência. Estas estão relacionadas com a educação, cultura, sociedade e relacionamentos, sobretudo quando existe o estímulo de olhar para o exterior e a exigência de se alcançar determinados ideais. Os mais afetados são vítimas e quem não tem consciência do seu valor próprio.

13. c) SOLUÇÃO - reformulação

Nos Gabinetes de Apoio ao Estudante das Universidades do Porto e de Matosinhos será criado um espaço que convidará os universitários que ambicionam nutrir a autoestima, a ressignificar as suas vivências pessoais e visualizá-las sobre a perspetiva externa de uma partilha entre jovens. Será incentivado um misto de práticas holísticas e a utilização da Comunicação Não Violenta. Estas atividades serão ajustadas a cada estudante, consoante as suas necessidades e ajudarão a estimular o autoconhecimento; a autocompaixão e a autovalorização. Para além disso, este projeto terá lugar nas redes sociais, desde vídeos no YouTube a podcasts no Spotify, recheados de dicas para a nutrição do amor próprio, bem como será partilhada a história de minha vida, visto que é um testemunho de uma jovem que teve de lutar muito para começar a amar-se. De acordo com o sucesso obtido, poderá existir a compilação de todo o conteúdo fornecido, digitalmente, num livro em formato físico e digital.

13. d) FACTOR X - reformulação

O elemento diferenciador do projeto é a terapia de grupo. O facto de ser orientado por uma jovem e destinar-se a jovens, permitirá maior proximidade, nomeadamente ao nível da comunicação. Nas sessões, serei apenas uma facilitadora, dando liberdade e abrindo espaço para uma evolução conjunta. As atividades serão uma junção de práticas holísticas, ajustadas a cada um, mas de forma a funcionarem dentro do grupo. Por fim, a música servirá de motivação e recarga de energias para as transformações pretendidas.

13. e) OUTRAS ALTERAÇÕES / DESCOBERTAS

Ao entrar em contacto com universitários, psicólogos e profissionais holísticos, mergulhei no mundo da autoestima como jamais houvera feito, armazenando conhecimentos e aprendizagens a serem compartilhados nas sessões. Fiquei de tal modo inspirada, que quis criar uma estrutura mais sólida do projeto, aventurando-me assim a analisá-lo através da astrologia e do desenho humano, utilizando como dados de nascimento, aqueles que correspondem ao exato momento que submeti a candidatura. Foi uma experiência muito rica que me trouxe uma visão bem mais profunda de "Com a Cabeça na Lua". Complementei a pesquisa com informações referentes aos significados da Lua ao longo da história e em diferentes religiões, áreas e contextos, para que a identidade seja genuína e transborde da sua essência. Não pude deixar de recolher músicas que abordam como tema o amor próprio, agrupando-as em cinco listas no Spotify. Cada uma delas representa uma fase da Lua conectada com o seu próprio simbolismo.

8 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Jéssica Ribas
Team

Olá Mariana!
Li agora a tua ideia e queria dar-te os parabéns. Realmente a saúde mental é algo que tende a ser desvalorizado e acho que a ideia está muito criativa muitos parabéns pela originalidade!

Spam
Photo of Mariana
Team

Olá Jéssica, fico-te muito agradecida pelo teu feedback, que bom que viste esse lado original, obrigada! :)

View all comments