Ganha +

Promover o desenvolvimento positivo de adolescentes e idosos

Photo of felicidade barros
11 23

Written by

A que faixa etária pertences?

  • Tenho entre 18 e 25 anos

Termos e Condições Desafio Gulbenkian 25 sub 25

  • Sim, li e estou de acordo

Lista de verificação de elegibilidade

  • Na Ashoka, definimos agente de mudança como qualquer pessoa que se põe em acção para responder a um determinado problema, activa outros, e trabalha no sentido de encontrar soluções para o bem de todos. Se te consideras um(a) jovem agente de mudança assinala esta caixa.
  • Terás entre os 13 e os 25 anos em 7 de Outubro de 2020.
  • A tua ideia será implementada em território português.
  • Confirma que dás o teu consentimento para que possamos dar visibilidade ao teu projeto e percurso neste desafio, nas redes sociais.
  • Confirma que tens o direito de usar ou partilhar qualquer conteúdo que tenhas colocado neste formulário de candidatura.

Em que projeto das Academias Gulbenkian do Conhecimento estás a participar?

  • ASSOCIAÇÃO UNIVERSIDADE -TECMINHO - B-Side

Qual o mês e ano em que nasceste?

Abril 2000

Com que género te identificas?

  • Feminino

Nas próximas nove perguntas irás apresentar a tua Ideia Criativa e Transformadora! 1. O Problema: Qual o problema que estás a contribuir para resolver?

Um dos maiores problemas que a nossa sociedade enfrenta é o aumento da escolaridade da população, com inexperiência laboral. É exigido aos jovens que entrem no mercado de trabalho já com experiência laboral, mas o mesmo mercado não se sente responsável por providenciar essa mesma experiência, causando stress e ansiedade nos jovens.

Por outro lado, temos a população mais idosa que desadaptada aos tempos modernos e novas tecnologias que nos últimos anos se tem desenvolvido a um ritmo nunca visto.

2. Motivação: O que te motivou a querer resolver este problema?

Como jovem adulta, sinto uma moderada ansiedade quando penso no meu futuro no mercado de trabalho e o quanto desconheço o mesmo. Uma realidade dos jovens de hoje é a desconexão com este mercado e, em alguns casos, medo da responsabilidade que um emprego exige. Além da ansiedade causada por essa mesma inexperiência, os estudantes são desequipados de competências básicas, que não aprendem na escola (por exemplo: primeiros-socorros, finanças básicas, educação sexual, orientação vocacional, criatividade, culinária, autodefesa, conhecimentos gerais com finanças, seguros, créditos e leis, etc). Penso que estes cursos seriam uma mais valia no sentido de transformar jovens em empreendedores, capacitados com capacidades básicas de vida que os permitirá tornarem-se mais autónomos.

3. A tua Solução: Como é que estás a planear resolver este problema?

Os jovens terão uma oportunidade de ganhar experiência no mercado de trabalho, com o intuito de criarem uma familiaridade com o mesmo e, por isso, reduzir a ansiedade em relação ao futuro. Adicionalmente, esperamos que os jovens possam adquirir outras capacidades como: gerir melhor o seu tempo, pois teriam de conciliar o trabalho com os estudos e a sua vida pessoal; melhorar as capacidades sociais pois, terão de desenvolver competências a nível de convivência com os clientes dos repetidos locais de trabalho; o voluntariado permitirá o desenvolvimento de competências interpessoais, como empatia, altruísmo, entre outras. Com isto, prevemos que os jovens que irão se envolver com o projeto tenham a oportunidade de melhorarem, não só a nível pessoal, mas também a vida de outras pessoas como por exemplo, as populações mais idosas (exemplo: atividades em lares, auxiliar em tecnologias, etc).

As populações mais desfavorecidas serão também beneficiadas como jovens que por vezes desistem da escola pois não conseguem ter apoios suficientes para continuar a estudar e o apoio renumerado dos part-times seria um bom apoio financeiro.

4. O Factor X: O que é que a tua ideia tem de diferente, em relação a outros programas ou soluções que já existem?

Não é do nosso conhecimento a existência de um projeto semelhante a este, no entanto, cremos que este projeto tenha potencial para realizar uma afirmação social quanto à pressão que impomos nos jovens para a sua presença no mercado de trabalho sem lhes oferecer um meio para ganharem essa mesma experiência. Os cursos que pretendemos implementar, cimentam a falta de meios que o nosso ensino detém para o bom desenvolvimento dos jovens. Além de que, este projeto poderá ser uma plataforma para o sentimento de independência, autonomia e empatia para os jovens que participem nele.

5. Vais trabalhar em equipa? Se sim, coloca o nome e email dos restantes membros na linha em branco.

  • Sim

6.1. Em que distrito resides?

  • Distrito do Porto

6.2 E em que cidade, vila ou aldeia resides?

Penafiel

7.1. Onde esperas implementar o projeto?

  • Distrito de Braga

7.2. Em que aldeia, vila ou cidade pretendes implementar o projeto? Porquê aí?

Esta ideia pretende ser aplicada, em primeira instância, no distrito de Braga, numa (ou várias) escola(s) privada(s), tal como os estabelecimentos comerciais que iremos contactar, no intuito de ser alargada a todo o território nacional. Iremos implementar nesta cidade pois é onde os elementos do grupo residem.

8. Impacto esperado: qual a mudança que esperas que a tua ideia provoque nas pessoas que vai servir?

Pretendemos que os jovens de hoje, líderes do futuro, desenvolvam dentro deste projeto uma serie de competências que, de outra maneira, não teriam acesso ou via para crescimento. As competências a serem desenvolvidas serão baseadas em ensinamentos de profissionais competentes, que possam lecionar as mesmas (referente aos cursos). O desenvolvimento emocional também é esperado deste projeto, pois estaremos a permitir que os estudantes desenvolvam competências sociais (tais como o atendimento ao público nos part-times que pretendemos ter disponíveis) entre outras capacidades também importantes.

9.1. No último ano, fizeste algo para responder a um problema social ou ambiental, no teu contexto?

  • Sim

9.2. Qual das seguintes afirmações descreve melhor o tipo de iniciativa que tiveste?

  • Apoiei uma campanha ou movimento, já existente, de outra pessoa, ou reagi diretamente ao problema perto de mim. Exemplos: Assinei uma petição, juntei-me a um protesto ou manifestação, ensinei a língua local a refugiados, fiz voluntariado numa casa de acolhimento para sem-abrigo, doei comida/roupa aos sem-abrigo, etc.
  • Trouxe uma ideia ou movimento que já existia para a minha família, comunidade, escola ou empresa. Exemplos: Encorajei amigos/família a começar a reciclar, instalei baldes do lixo para reciclagem na comunidade local, comecei um clube para ensinar raparigas a escrever código no computador, liderei campanhas para informar eleitores, organizei um workshop ou evento comunitário sobre um tema que me preocupa/move, etc.

9.3. Estás a apoiar outros a serem agentes de mudança de alguma das formas aqui descritas?

  • Organizando comunidades
  • Juntando pessoas
  • Contando histórias /Usando os Meios de Comunicação
  • Ligando pessoas/grupos que de outra forma não se conectariam

10. Se um amigo ou colega te motivou a participar, escreve aqui o seu nome e email.

catarinagomez01@gmail.com joscarlosdias1@gmail.com

11 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Gabriela Silva
Team

Parabéns pela ideia! É, sem dúvida, um processo até assustador a entrada no mercado de trabalho!
Pelo que li também tenho algumas sugestões que podiam fazer crescer a vossa ideia!
Por exemplo, os jovens que já estão no último ano podem fazer um part-time junto com um trabalhador que já se vai reformar para também aprender com a sua experiência.
A questão da remuneração também é importante porque o objetivo é também ser útil a empresa a curto e até a longo prazo e permite ajudar com despesas que os jovens estudantes tem!

Spam
Photo of felicidade barros
Team

Obrigado pelo comentário positivo! Iremos sem dúvida ter em conta a sugestão ��
Cumprimentos, equipa ganha +

View all comments