Tresis

Informa-te, interage, inova.

Photo of catarina gomez
7 21

Written by

A que faixa etária pertences?

  • Tenho entre 18 e 25 anos

Termos e Condições Desafio Gulbenkian 25 sub 25

  • Sim, li e estou de acordo

Lista de verificação de elegibilidade

  • Na Ashoka, definimos agente de mudança como qualquer pessoa que se põe em acção para responder a um determinado problema, activa outros, e trabalha no sentido de encontrar soluções para o bem de todos. Se te consideras um(a) jovem agente de mudança assinala esta caixa.
  • Terás entre os 13 e os 25 anos em 7 de Outubro de 2020.
  • A tua ideia será implementada em território português.
  • Confirma que dás o teu consentimento para que possamos dar visibilidade ao teu projeto e percurso neste desafio, nas redes sociais.
  • Confirma que tens o direito de usar ou partilhar qualquer conteúdo que tenhas colocado neste formulário de candidatura.

Em que projeto das Academias Gulbenkian do Conhecimento estás a participar?

  • ASSOCIAÇÃO UNIVERSIDADE -TECMINHO - B-Side

Qual o mês e ano em que nasceste?

Fevereiro-2001

Com que género te identificas?

  • Feminino

Website ou perfis de redes sociais

Facebook: catarina.gomez01 Instagram: catarina_gomez01

Nas próximas nove perguntas irás apresentar a tua Ideia Criativa e Transformadora! 1. O Problema: Qual o problema que estás a contribuir para resolver?

Como é que uma geração que tem o maior acesso a informação de sempre consegue ser tão ignorante em determinados assuntos? Bem, esse fenômeno deve-se à desinformação. Esta pode tornar-se muito perigosa no nosso quotidiano, como é o caso da desinformação acerca da pandemia onde diversas pessoas desconhecem o real problema que enfrentamos e não só prejudicam as suas vidas como afetam também as vidas das pessoas em seu redor.

2. Motivação: O que te motivou a querer resolver este problema?

A desinformação é um dos maiores perigos na nossa sociedade moderna. O alcance das pessoas à informação, verdadeira ou não, é maior do que nunca e não há nada que impeça as “fake news” de crescerem e espalharem a desinformação. Existem atualmente milhares de plataformas online que exploram e bombardeiam as pessoas com informações falsas e, a mais perigosa delas, as redes sociais. Um exemplo prático é o “click bait”, onde títulos e imagens chamativas emergem nos dispositivos do utilizador de forma a manipular a pessoa a “clicar” e visualizar o conteúdo que disponibilizam. Existem imensos relatos de grupos com origem nas redes sociais, que causaram em pleno século XXI, tumultos e mortes a volta do mundo todo, tal é o caso do surgimento de grupos com indivíduos que partilham de ideologias radicais e extremistas, movimentos racistas e anarquistas. É iminente o perigo causado pela desinformação na internet, quando a mesma não se encontra regulamentada na legislação de muitos países, então é a maior motivação para nós, lutarmos para que a mesma seja controlada de forma a salvaguardar a privacidade e segurança de todos os utilizadores que queiram usufruir, com segurança, da mesma.

3. A tua Solução: Como é que estás a planear resolver este problema?

Pretendemos lutar contra este fenómeno através de várias estratégias, mas as duas estratégias fundamentais são a criação de um site e a criação de uma conta no Youtube. No site iremos publicar fontes de informação seguras e criaremos entrevistas, podcasts, palestras, etc, com pessoas a partilharem as suas experiências e conhecimentos das suas respetivas áreas. Adicionalmente, pretendemos criar um canal no Youtube onde publicaremos vídeos animados de carisma cómico (uma estratégia para abranger um público maior) sobre temas controversos ou temas que a população em geral demonstra ter pouca informação, ou nenhuma. De uma maneira geral, pretendemos criar uma fonte segura de informação para o público. Para divulgar o nosso trabalho iremos utilizar plataformas como redes sociais e pretendemos divulgar o nosso site através de panfletos informativos com os temas a que nos dirigimos em locais públicos (como cafés, câmaras municipais) para conseguirmos alcançar um público que, por norma, não teria fácil acesso á existência do nosso trabalho. Iremos abordar temas como: saúde mental e a sua importância, questões ambientais, o perigo das redes sociais, preconceito, etc.

4. O Factor X: O que é que a tua ideia tem de diferente, em relação a outros programas ou soluções que já existem?

Temos o objetivo de não só, reproduzir e levar informação segura ao público, mas também de tentar estimular o público à criação de uma posição mais crítica quanto ao que ouvem, ao que pesquisam e ao que leem. Iremos fazer isso através do autorrelato das nossas experiências e através do relato das experiências de profissionais de diversas áreas (através de entrevistas e podcasts) e de como criar um pensamento mais crítico relativamente ao que lemos.

5. Vais trabalhar em equipa? Se sim, coloca o nome e email dos restantes membros na linha em branco.

  • Sim

6.1. Em que distrito resides?

  • Distrito de Braga

6.2 E em que cidade, vila ou aldeia resides?

Braga

7.1. Onde esperas implementar o projeto?

  • Distrito de Braga

7.2. Em que aldeia, vila ou cidade pretendes implementar o projeto? Porquê aí?

Esta ideia pretende ser aplicada, em primeira instância, no distrito de Braga para a divulgação a partir de panfletos. Como é uma ideia-projeto online, o site e o canal de Youtube não possuem barreiras físicas para as cidades que podem abranger.

8. Impacto esperado: qual a mudança que esperas que a tua ideia provoque nas pessoas que vai servir?

Com este projeto pretendemos informar devidamente as pessoas, tanto jovens como adultos, dos perigos das redes sociais e da desinformação através de um site que eles possam confiar. Para além disso, queremos desenvolver uma aprendizagem dinâmica através do canal de youtube, adaptado aos temas em questão. Apelamos à criação de um pensamento mais crítico do leitor, relativamente ao que lê na internet, através de incentivos que iremos publicar nas plataformas.

9.1. No último ano, fizeste algo para responder a um problema social ou ambiental, no teu contexto?

  • Sim

9.2. Qual das seguintes afirmações descreve melhor o tipo de iniciativa que tiveste?

  • Apoiei uma campanha ou movimento, já existente, de outra pessoa, ou reagi diretamente ao problema perto de mim. Exemplos: Assinei uma petição, juntei-me a um protesto ou manifestação, ensinei a língua local a refugiados, fiz voluntariado numa casa de acolhimento para sem-abrigo, doei comida/roupa aos sem-abrigo, etc.
  • Trouxe uma ideia ou movimento que já existia para a minha família, comunidade, escola ou empresa. Exemplos: Encorajei amigos/família a começar a reciclar, instalei baldes do lixo para reciclagem na comunidade local, comecei um clube para ensinar raparigas a escrever código no computador, liderei campanhas para informar eleitores, organizei um workshop ou evento comunitário sobre um tema que me preocupa/move, etc.

9.3. Estás a apoiar outros a serem agentes de mudança de alguma das formas aqui descritas?

  • Juntando pessoas

10. Se um amigo ou colega te motivou a participar, escreve aqui o seu nome e email.

felicidadebarros2000@gmail.com

7 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Paulo Silva
Team

Parabéns, Catarina e Felicidade. Mais um projeto para ajudar a desenvolver o pensamento crítico, tão importante nos dias que correm. Força!

Spam
Photo of catarina gomez
Team

Muito obrigado Paulo!
Cumprimentos, equipa Tresis

View all comments