EmocionalMente

O EmocionalMente pretende dotar os estudantes da ESS de competências socioemocionais transversais à vida, através da Inteligência Emocional.

Photo of Ana Teresa Queirós
7 16

Written by

A que faixa etária pertences?

  • Tenho entre 18 e 25 anos

Termos e Condições Desafio Gulbenkian 25 sub 25

  • Sim, li e estou de acordo

Lista de verificação de elegibilidade

  • Na Ashoka, definimos agente de mudança como qualquer pessoa que se põe em acção para responder a um determinado problema, activa outros, e trabalha no sentido de encontrar soluções para o bem de todos. Se te consideras um(a) jovem agente de mudança assinala esta caixa.
  • Terás entre os 13 e os 25 anos em 7 de Outubro de 2020.
  • A tua ideia será implementada em território português.
  • Confirma que dás o teu consentimento para que possamos dar visibilidade ao teu projeto e percurso neste desafio, nas redes sociais.
  • Confirma que tens o direito de usar ou partilhar qualquer conteúdo que tenhas colocado neste formulário de candidatura.
  • Se tens menos de 18 anos, confirma que tens autorização dos teus pais ou encarregados de educação para participar neste desafio, através do formulário enviado por email, assinado.

Em que projeto das Academias Gulbenkian do Conhecimento estás a participar?

  • IPVC – INPEC+

Qual o mês e ano em que nasceste?

Janeiro-2001

Com que género te identificas?

  • Feminino

Nas próximas nove perguntas irás apresentar a tua Ideia Criativa e Transformadora! 1. O Problema: Qual o problema que estás a contribuir para resolver?

Com o projeto procura-se melhorar a capacidade dos estudantes para gerir emoções, ansiedade e resolver problemas da vida. Trata-se de capacitar para cuidar de si próprio e por esta via melhorar a capacidade de cuidar os outros. Esta necessidade tem vindo a ser identificada, nomeadamente através de um estudo recente em que 31,6% dos estudantes da escola superior de saúde do IPVC recorrem a consultas de saúde mental e psiquiatria.

2. Motivação: O que te motivou a querer resolver este problema?

Querer resolver um problema que nos atinge profundamente. Como estudantes universitárias, sentimos que temos estratégias ineficazes para lidar com o stress, a frustração ou um simples resultado menos simpático.Muitos transtornos “físicos” ou patológicos estão ligados a uma gestão ineficaz das emoções e há muito a fazer para as gerir eficazmente recorrendo à Inteligência Emocional e a estratégias de promoção de saúde metal positiva.Este tipo de inteligência requer processos de desenvolvimento, capacitação e mobilização de técnicas específicas, exercícios práticos, parcamente contemplados nos processos formativos formais.Um QI elevado poderá não ser suficiente para o sucesso enquanto profissionais de saúde, e futuramente as nossas emoções terão um grande impacto a todos os níveis. Mesmo em estudantes com QI superior, uma inadequada gestão das emoções pode provocar queda do desempenho, não correspondendo às suas verdadeiras aptidões. Desenvolver a IE nos estudantes não é só importante como “obrigatório”.

3. A tua Solução: Como é que estás a planear resolver este problema?

Através de um programa de psicoeducação emocional para estudantes interessados na formação, com um especialista na área da IE.Nestas sessões iremos abordar conceitos estruturantes, como a autoconsciência, autocontrolo, automotivação ao reconhecimento das emoções nos outros e nos relacionamentos pessoais.Perceber toda esta “linguagem emocional”, o domínio de todos os conceitos e a neuroplasticidade do nosso cérebro, é fundamental para obter os resultados esperados.Estas sessões em grupo serão realizadas em 2 meses, a duração 30/45 minutos, com um espaçamento entre elas de 2 semanas.Passadas 3 semanas, recorrer-se-á a sessões individualizadas para diagnóstico e implementação de estratégias práticas.No início e no fim, será avaliada a IE, por exemplo, através da Roda a Vida (Jales Suzane, 2012) e incentivar a expressão pela arte, movimento, entre outros, realizando uma exposição com os trabalhos realizados.

4. O Factor X: O que é que a tua ideia tem de diferente, em relação a outros programas ou soluções que já existem?

Favorecer um processo que permita aos estudantes da ESS fazer “a descoberta” de que eles próprios se constituem parte da solução dos problemas do seu quotidiano.Vamos procurar uma solução, transformando esta realidade, através da inteligência emocional, que ainda esta a dar os primeiros passos em Portugal.Não só contribui para diminuir a necessidade de recorrer a serviços de psicologia e psiquiatria, como para alcançarem adequado desempenho pessoal e profissional, ajudando futuramente a saber cuidar dos outros, menor taxa de desistência, melhor qualidade de vida e consequentemente a felicidade

5. Vais trabalhar em equipa? Se sim, coloca o nome e email dos restantes membros na linha em branco.

  • Sim

6.1. Em que distrito resides?

  • Distrito de Braga

6.2 E em que cidade, vila ou aldeia resides?

Fragoso, Barcelos

7.1. Onde esperas implementar o projeto?

  • Distrito de Viana do Castelo

7.2. Em que aldeia, vila ou cidade pretendes implementar o projeto? Porquê aí?

Apesar de se implementar na cidade de Viana do Castelo, na Escola Superior de Saúde do IPVC, a potencialização do projeto poderá ser substancialmente alargada, considerando a origem dos estudantes (urbana e rural) de vários concelhos e distritos da zona norte, regiões insulares e de países de expressão portuguesa. Terá impacto multicultural de toda conveniência na área da saúde e num mundo que se quer em mudança.

8. Impacto esperado: qual a mudança que esperas que a tua ideia provoque nas pessoas que vai servir?

Estudantes com maior capacidade para gerir o stress, ansiedade, frustração e situações de maior tensão, diminuindo a necessidade de recorrerem a consulta de saúde mental e psiquiátrica por aumento das suas competências socioemocionais.Espera-se que os estudantes alcancem o bem-estar, maior qualidade de vida, sucesso e sobretudo a resiliência.Pretendemos torná-los capazes de cuidarem de si através da inteligência emocional, como futuros profissionais de saúde, ao prestarem cuidados e/ou como cidadãos ativos na jornada para transformar o mundo.

9.1. No último ano, fizeste algo para responder a um problema social ou ambiental, no teu contexto?

  • Sim

9.2. Qual das seguintes afirmações descreve melhor o tipo de iniciativa que tiveste?

  • Apoiei uma campanha ou movimento, já existente, de outra pessoa, ou reagi diretamente ao problema perto de mim. Exemplos: Assinei uma petição, juntei-me a um protesto ou manifestação, ensinei a língua local a refugiados, fiz voluntariado numa casa de acolhimento para sem-abrigo, doei comida/roupa aos sem-abrigo, etc.

9.3. Estás a apoiar outros a serem agentes de mudança de alguma das formas aqui descritas?

  • Dar estratégias/ ferramentas para que desenvolvam a Inteligência Emocional

11. Edição de Ideias // Definição de Pressupostos

12. Edição Ideias // Plano para de Ação para Validação de Pressupostos

13. Depois deste tempo a validar os pressupostos que definiste, queres alterar o problema, a solução, o factor X ou qualquer outro ponto da ideia que inicialmente propuseste?

  • Não

13. e) OUTRAS ALTERAÇÕES / DESCOBERTAS

Através de entrevistas realizadas a estudantes da Licenciatura em Enfermagem e do Cetsp em Termalismo e Bem Estar conseguimos comprovar a adequação da nossa ideia inicial, por intermédio destas entrevistas conseguimos também receber um feedback muito positivo relativamente ao projeto. Os elementos entrevistados, de uma forma geral, garantiram tratar-se de um projeto interessante capaz de trazer mais valias a escola. Quando questionados sobre a sua vontade em integrar o Emocionalmente caso este fosse implementados todos responderam afirmativamente a exceção de um elemento, que devido a falta de tempo referiu não poder garantir a sua participação.

7 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Sofiya Joosab
Team

Gostei muito da vossa ideia! Saber reconhecer e gerir as nossas emoções é de facto muito importante.
Votos de boa sorte!

View all comments