Amigos da Jubarte

Turismo Sustentável e Conservação, Observação de Baleias no Espírito Santo

Photo of Anna Flavia Sacchetto
13 15

Written by

Nome completo do(a) representante do projeto

Anna Flavia Sacchetto

E-mail

amigosdajubarte@gmail.com; annaflaviasacchetto.afs95@gmail.com

Nacionalidade

Brasileira

Gênero

  • Feminino

Data de Nascimento

23011995

Sede da organização (UF)

  • Espírito Santo

Site da organização

queroverbaleia.com / amigosdajubarte@gmail.com.br

Mídias sociais da organização

https://instagram.com/amigosdajubarte?igshid=1b1vltsi8sdwy - instagram https://www.facebook.com/amigosdajubarte/ - facebook https://www.youtube.com/channel/UCI53HxvEbkm3kEzii7mdlKw - youtube

Data em que você iniciou o projeto

10/2014

Estágio do projeto

  • Estabelecido (passou com sucesso pelas fases iniciais, tem um plano para o futuro)

Elegibilidade I: Você atende a todos os critérios de elegibilidade?

  • Sim, eu tenho mais de 18 anos de idade.
  • Sou brasileira/o ou estrangeira/o residente no Brasil.
  • Tenho atuação direta e comprovada no projeto.
  • Não sou funcionário nem familiar de funcionários da Ashoka e da CTG Brasil.

Elegibilidade II: O projeto inscrito:

  • É um projeto já implementado e posso comprovar nas respostas, fotos e documentações a serem apresentadas nesta inscrição..

Ao se inscrever, você concorda que possamos apresentar seu trabalho nas mídias sociais e outras publicações da Ashoka e CTG Brasil, relacionadas ao Desafio?

  • Sim, eu concordo.

1) Viagem pessoal: qual a história por trás da decisão em iniciar este projeto?

Em outubro de 2014, os institutos O Canal e Últimos Refúgios, receberam uma valiosa informação científica de pesquisadores de fora do Espírito Santo, que 17 mil baleias-jubarte migravam todos os anos para o litoral capixaba, entre os meses de junho e novembro. Na época, as baleias eram associadas normalmente ao litoral baiano. No mesmo instante, nos perguntamos: Por que a maioria da população capixaba não sabe dessa informação? E porque o estado não se utiliza dessa informação para desenvolver o turismo de observação de baleias? Dias depois, organizamos, com recursos próprios, uma expedição marítima partindo do município de Aracruz, para verificar se essa informação poderia se confirmar na prática. Em 6 horas de navegação, avistamos mais de 80 baleias-jubarte, que deram um verdadeiro espetáculo com suas acrobacias, saltos e comportamentos que pareciam querer nos dizer algo especial. Nascia naquele momento, ainda no mar, o projeto Amigos da Jubarte.

2) O problema: que problema você está ajudando a resolver?

O ES atrela seu desenvolvimento social à matrizes econômicas relacionadas à monocultura agrícola e a uma rede de logística criada para explorar e comercializar insumos de natureza industrial.No contexto marítimo,a bacia do ES possui campos para exploração de gás natural e grande frota de embarcações pesqueiras.Tal modelo de desenvolvimento gerou impactos imensuráveis para a fauna e flora local, tendo como exemplo o desastre relacionado ao Rio Doce, uma importante bacia hidrográfica da região.

3) Sua solução: como seu projeto responde a esse problema? Compartilhe sua abordagem específica.

Coexistindo com a intensa atividade antrópica e seus impactos, a região abriga importantes fragmentos de Mata Atlântica, bacias hidrográficas e outros biomas, além de uma plataforma continental marinha que abriga uma das maiores biodiversidades do Brasil, expressado especialmente em seu litoral, com a presença de um verdadeiro tesouro natural até então desconhecido. A observação de baleias vem crescendo no mundo inteiro a uma taxa de 10 % ao ano, sendo realizada em mais de 100 (cem) países e gerando uma receita anual de 2 bilhões de dólares. Observá-las traz reconhecidamente uma série de benefícios, dentre os quais (1) o desenvolvimento do turismo responsável ligado à conservação da espécie em seu ambiente natural; (2) o fomento da informação e educação ambiental com comunidades e turistas; (3) a coleta de dados científicos; (4) a sensibilização para o desenvolvimento sustentável; (5) a geração de renda e valores agregados para as comunidades locais; (6) o incentivo dos setores hoteleiro e turístico. Portanto, a consolidação da Jubarte, como ícone científico, cultural, educacional e principalmente econômico, foi fundamental para realização de um “case” inédito na região, provando, através de uma atividade ecoturística, também ser possível gerar emprego, renda e divisas para empresas e governos em todos os municípios do litoral capixaba, de forma sustentável

4) Que tal incluir um vídeo sobre sua iniciativa?

vídeo

5) Atividades: Destaque as principais atividades que você realiza no dia-a- dia do seu projeto.

Pesquisa científica, difusão científica, educação ambiental, limpeza de praias, palestras, capacitação de agências e operadoras turísticas, eventos e festivais, exposições de fotografias, sensibilização ambiental, produção de matérias no site www.queroverbaleia.com, acompanhamento turístico, saída de barco para observação de baleias, monitoramento das baleias jubartes, educação ambiental em escolas públicas e privadas.

6) Inovação: Qual inovação sua iniciativa está desenvolvendo ou adaptando para solucionar problemas na área do turismo? Como se diferencia de outras iniciativas no setor?

Como inovação, o Projeto Amigos da Jubarte aposta no site www.queroverbaleia.com. Foi perceptível a importância do portal na assistência de informações sobre os passeios realizados na Grande Vitória-ES. Para os mais de 30 mil usuários visitantes do site em 2019, das mais diferentes partes do Brasil e do mundo, o portal serviu como ponto de encontro entre a demanda turística e as agências/operadoras parceiras, capacitadas e monitoradas pelos pesquisadores do Jubarte.Lab, endossando assim o papel do projeto no desenvolvimento sustentável em sete (07) municípios costeiros do estado (Vitória,Vila Velha, Serra, Guarapari, Aracruz, Fundão e Linhares), promovendo geração de emprego e renda para diversos agentes da cadeia produtiva do Turismo, garantindo que a atividade no Espírito Santo nos últimos anos fosse realizada de forma controlada, respeitando os protocolos de segurança e conservação que regulamentam a turismo de observação de baleias, em ambiente natural, no Brasil.

7) a) Pilares do Turismo sustentável: Quais dos seguintes pilares do Turismo Sustentável o seu projeto contempla?

  • Social - iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.  
  • Cultural - iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais.  
  • Ambiental - iniciativas que reduzam o impacto ambiental, que ofereçam soluções de compensação, que cuidem da conservação e do uso de recursos naturais, que se proponham a regenerar áreas degradadas e que promovam educação e sensibilização ambiental.     
  • Econômico - iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais.  

7) b) Pilares do Turismo Sustentável: explique como os pilares que sinalizou na pergunta anterior estão presentes na implementação do seu projeto.

O Festival da Baleia, é um evento multicultural para sensibilização da sociedade capixaba que marca simbolicamente, no calendário anual festivo estadual, o início da temporada turística das baleias-jubarte em águas capixabas. Trata-se de uma série de atividades envolvendo educação ambiental, ações ambientais, esportes ecológicos, feira de agência de turismo, além de apresentações de expressões das mais variadas vertentes artísticas, mostrando toda a pluralidade cultural que existe na região, valorizando a cultura capixaba e impulsionando a prática do turismo de observação de baleias. Durante as expedições turísticas na temporada, os pesquisadores do Jubarte.Lab transmitem educação e sensibilização ambiental, acompanhando os participantes, auxiliando com informações e orientações em conjunto com a equipe da agência de turismo parceira. Ao embarcar, os pesquisadores realizam palestras com informações sobre a importância dos Cetáceos, a área de ocorrência mundial, no Hemisfério Sul e no Brasil, a migração devido a alimentação e reprodução, fisionomia, tamanho da população, histórico da caça e ameaças antrópicas, a importância do turismo de observação de cetáceos e os comportamentos que ocorrem nas áreas reprodutivas tropicais. Antes dos cruzeiros, também é distribuído para os participantes um material, informando aspectos da baleia-jubarte, normas de observação de cetáceos e um guia de observação de fauna com imagens dos principais animais encontrados durante o embarque.

8) Impacto: quais impactos seu projeto causou até agora? Considere impactos internos na estabilidade da sua organização e externos em relação ao pilares do turismo sustentável, utilize dados

Na temporada 2019, entre junho e novembro, pesquisadores do Jubarte.Lab monitoraram presencialmente 27 cruzeiros turísticos e promocionais na região da Grande Vitória. Segundo números fornecidos pela CDITV e pelo Jubarte.Lab, 841 pessoas praticaram, com agências cadastradas e autorizadas pelos órgãos fiscalizadores, o turismo de observação de baleias na capital, sendo 73% destes (615 pessoas aprox.) diretamente acompanhados de ”ponta-a-ponta” por meio da parceria entre o portal criado pelo Projeto Amigos da Jubarte - www.queroverbaleia.com e a agência AVES. O ”Whale Watching”, como a atividade é conhecida internacionalmente, movimentou cerca de 1 milhão de reais na economia capixaba só no ano passado, e contou com a participação majoritária de residentes de 11 municípios do ES (62,5 %) e centenas de turistas de 9 diferentes estados do Brasil (37%), principalmente vindos de MG, SP e RJ. A pesquisa etnográfica realizada pelo Jubarte.Lab/AVES, registrou também turistas estrangeiros de Portugal, Espanha, Finlândia e Itália, provando o grande potencial que a região tem para se tornar um dos maiores “hotspots” para observação de baleias no mundo.

9) Estratégias de crescimento: Quais são seus planos para fomentar o crescimento de sua iniciativa?

Na temporada 2020/21, a embarcação utilizada pelas agências parceiras capacitadas, certificadas e monitoradas pelo projeto Amigos da Jubarte, será novamente o “Mar de Abrolhos”, que passou por uma série de adaptações para atender ao Protocolo De Segurança Sanitária contra o Covid-19. Aumentamos o número de 1 para 3 embarcações disponíveis e habilitadas pela Capitania dos Portos do ES, proporcionando uma ampliação significativa do número de turistas que praticarão a observação de baleias no ES. Além disso, o novo embarque será através de uma marina particular localizada na praia do Suá, em Vitória-ES, para dar mais segurança e conforto aos participantes dos cruzeiros turísticos.Também está nos planos transformar o portal queroverbaleia.com em um aplicativo para telefone celular, o que proporcionará mais controle e dinamismo na relação das operadoras turísticas e turistas interessados. Com esses passos, estimamos aumento dos turistas em 2021, comparado as temporadas anteriores.

10) Colaboração: como a sua iniciativa colabora com outros atores (governos, universidades, empresas, associações da sociedade civil) para fazer a diferença? Você realiza alguma parceria?

Criamos “Observatório da Baleia”, uma instância colaborativa de diálogo e acompanhamento para monitorar a evolução da atividade, que conta com representantes de agências, operadoras e guias de turismo, pesquisadores de instituições locais, proprietários e mestres de embarcações, ONGs ambientais, Capitania dos Portos do ES, Cia. de Desenvolvimento de Vitória (CDV), Secretariais Municipais de Turismo e Meio Ambiente de Vila Velha e Vitória,Sebrae e Secretaria Estadual de Turismo do ES. Foram realizadas 6 reuniões presenciais em 2019, com assuntos sobre melhorias nos pontos de embarques, benfeitorias nas embarcações, parcerias para promoção em rede,desenvolvimento turístico da região,e outros.Parceiros como da Vale S/A e agência AVES,e apoio da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), prefeituras de Vitória, Vila Velha e Serra e Governo do Estado do Espírito Santo,além da parceria colaborativa com o Ministério do Meio Ambiente,através do Centro de Mamíferos Aquáticos (CMA/ICMBio).

11) Inspirar novos agentes de transformação: você tem influenciado outras organizações e pessoas a se envolverem no seu projeto e/ou a se preocuparem com o Turismo Sustentável? Se sim, como?

As ações do projeto incentivaram diversas agências de turismo locais a se adaptarem, e até novas agências foram criadas mercado local para atender a crescente demanda relacionada ao ecoturismo sustentável. Através do programa “Iniciação Escolar para o Turismo”,o projeto conta com atividades realizadas em escolas públicas, universidades, parques e associações de moradores e pescadores, em áreas de alta vulnerabilidade social. A educação ambiental tem a finalidade de despertar uma consciência crítica de forma participativa, sobre as questões socioambientais e as potencialidades turísticas capixabas, contemplam alunos de ensino infantil, fundamental, médio e superior, educadores, pedagogos, comunidades e turistas da região e conta com entrega de material didático, exibição de vídeos, apresentação de músicas, discussão e dinâmicas,campanhas participativas com linguagem acessível ao público alvo, práticas em campo, vivências ecológicas em ambientes naturais e certificação.

12) a)Quais dos seguintes recursos sua organização obteve até o momento?

  • parcerias públicas/privadas

12) b) Planejamento Financeiro: como você planeja financiar o seu projeto a curto, médio e longo prazo?

O Programa de Monitoramento de Cetáceos (Baleias e Golfinhos) do Porto de Tubarão (PMC-PT) criado e executado pelo projeto Amigos da Jubarte,por contrato será executada até 2028, e apresenta quatro frentes que compõem as atividades de monitoramento e sensibilização propostas para a atendimento da Condicionante IEMA N°101/2018: Monitoramento de Cetáceos; Acompanhamento do Turismo de Observação de Baleias; Educação e Sensibilização Ambiental; e Comunicação e Difusão Científica. Este programa é financiado pela Vale S.A., e tem como objetivo ampliar bases metodológicas iniciadas em 2017, para execução de monitoramento de longo prazo de cetáceos na Plataforma Continental da Grande Vitória, gerando parâmetros para a avaliação de potenciais impactos das atividades portuária e marítima sobre esses animais e a proposição de medidas que diminuam o risco de colisão na área de abrangência. Através essa parceria com a empresa, o projeto tem cerca de 60 % dos custos anuais subsidiados. Porém, para financiamento de inovações relacionadas ao turismo, como a criação do app “Queroverbaleia”, é necessário recorrer a editais e a doações (cerca de 40 % do orçamento anual).

12) c) Quanto você já investiu no seu projeto para a operação deste ano?

  • Investimento entre R$50.000 e R$100.000

12) d) Qual é o orçamento necessário para o funcionamento do seu projeto durante 1 ano?

  • acima de R$ 500.000

13) Equipe: qual é a atual composição da sua equipe (papéis, qualificação, tempo integral x temporários, etc)? Como essa composição se transformará no futuro do seu projeto?

O projeto é composto por 4 coordenadores de tempo integral, 7 pesquisadores (Biólogos e Oceanógrafos) contratados durante a temporada com mestrado e doutorado (9 meses por ano), 1 educador ambiental (6 meses por ano), 2 monitores (6 meses por ano), 3 comunicadores (6 meses por ano), além dezenas de voluntários das áreas de turismo, pesquisa e educação ambiental, e outros prestadores de serviços terceirizados para atender as áreas jurídica, contábil e financeira. Com a angariação de mais fundos, será possível aumentar o tempo de contratação e dedicação dos colaboradores, bem como a contratação de voluntários para comporem a equipe de execução remunerada, profissionalizando ainda mais o projeto Amigos da Jubarte.

14) Diversidade na equipe: descreva a diversidade de sua equipe e inclua informações sobre a distribuição de cargos.

A Equipe possui aproximadamente 40 colaboradores (voluntários e contratados), e inspirados na campanha #womeninscience (#mulheresnaciência), os coordenadores priorizam a contratação de pesquisadores do sexo feminino, independente da raça, etnia e cor que hoje compõem 80 % dos colaboradores da área científica e educacional.

15) a) Diversidade do público de sua iniciativa: o seu projeto tem como foco específico algum dos seguintes grupos?

  • Comunidade negra
  • Comunidade de baixa renda
  • Comunidade periférica
  • Todos que tiverem interesse em aprender, conhecer, observar e conservar as baleias jubartes.

15) b) Diversidade de público da iniciativa: Dê exemplos reais de como o seu projeto está conseguindo impactar todos os grupos que você indicou na pergunta anterior.

O “Tour Amigos da Jubarte”, é um projeto de educação ambiental, executado em parceria com as prefeituras de Serra, Vitória e Cariacica, que tem como objetivo a sensibilização ambiental, acerca do ecossistema marinho, de estudantes e de seus familiares, de comunidades em situação de vulnerabilidade social, utilizando o turismo de observação de baleias como uma ferramenta de inclusão, promovendo o contato delas com a natureza. Realizando capacitação de professores, atividades culturais nas escolas, difusão científica e excursões no mar para a observação das baleias-jubarte. O festival da jubarte recebe pessoas das mais variadas raças, etnias e grupos, possui shows , barracas e diversas atividades tudo para envolver a comunidade local. O portal queroverbaleia.com é um portal de comunicação com qualquer pessoa que tenha interesse em se informar, participar e observar baleias no litoral capixaba.

16) Como você soube desse desafio?

  • Mídia social
  • Recomendado por outras pessoas

Evaluation results

14 evaluations so far

1. IMPACTO: Esta iniciativa demonstra impacto relevante, e com evidências quantitativas e qualitativas?

Com toda certeza. - 50%

Sim, há evidências quantitativas e qualitativas de seu impacto na comunidade. - 35.7%

De forma parcial. - 7.1%

Não, há pouca evidência de resultados de impacto. - 7.1%

Não. - 0%

2. INOVAÇÃO: Esta iniciativa desenvolveu e implementou uma abordagem inovadora?

Com toda certeza. - 42.9%

Sim, tem características inovadoras. - 35.7%

De forma parcial. - 14.3%

Não, há pouca evidência demonstrada. - 7.1%

Não. - 0%

3. PLANEJAMENTO FINANCEIRO E OPERACIONAL: A iniciativa tem como base um modelo de negócio viável e mostra planos realistas de longo prazo para a sustentabilidade financeira?

Com toda certeza. - 21.4%

Sim, a iniciativa tem um bom modelo de negócio. - 64.3%

De forma parcial. - 7.1%

Insuficiente. - 0%

Não. - 7.1%

4. REPLICABILIDADE & CRESCIMENTO: Avalie a escalabilidade da iniciativa. Ela tem potencial de ser replicada em outros contextos sociais, culturais e/ou geográficos?

Com toda certeza. - 21.4%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 57.1%

De forma parcial. - 14.3%

Insuficiente. - 7.1%

Não. - 0%

5. AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO: Uma/um agente de transformação social é alguém que se propõem a lidar e encontrar soluções coletivas para o bem de uma comunidade, um grupo, uma localidade. Queremos saber: essa iniciativa ajuda a inspirar e apoiar outras pessoas a se tornarem agentes de transformação em suas comunidades?

Com toda certeza. - 50%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 50%

De forma parcial. - 0%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

6. DIVERSIDADE: Esta iniciativa demonstra a inclusão de públicos diversos em sua iniciativa, seja nos parceiros com os quais colabora e/ou na composição de sua equipe?

Com toda certeza. - 14.3%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 57.1%

De forma parcial. - 14.3%

Insuficiente. - 7.1%

Não. - 7.1%

7. AVALIAÇÃO GERAL: De forma geral, você considera que esta iniciativa deve avançar para a próxima fase do Desafio e se tornar um semifinalista?

Sim, com toda a certeza! - 50%

Sim, acredito que sim. - 35.7%

Talvez. - 0%

Provavelmente não. - 7.1%

Não. - 7.1%

13 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Diaspora.Black Da Silva Filho
Team

Diaspora.Black está à disposição para qualquer possibilidade de contribuir para o desenvolvimento deste belo trabalho.
Somos uma plataforma de venda de turismo de propósito e se fizer sentido, nos colocamos à disposição.
Grande abraço

Ei, já estava esquecendo de lhe pedir pra dar uma passada em nossa página e se curtir, pode comentar e avaliar, tá? rsrs
https://network.changemakers.com/challenge/turismosustentavel/inscricoes/diaspora-black-promovendo-a-transformacao-no-turismo-atraves-da-tecnologia-e-da-diversidade

Grande abraço

View all comments