Plataforma eTrilhas

Plataforma digital que conecta o público, as Unidades de Conservação e a cadeia econômica produtiva do entorno das trilhas.

Photo of Paula Rascão
23 13

Written by

Nome completo do(a) representante do projeto

Paula Rascão

E-mail

paula@etrilhas.com.br

Nacionalidade

Brasileira

Gênero

  • Feminino

Data de Nascimento

4121979

Sede da organização (UF)

  • Rio de Janeiro

Site da organização

etrilhasinterativa.com.br / etrilhas.com.br

Mídias sociais da organização

facebook/etrilhas instagram:@etrilhas

Data em que você iniciou o projeto

setembro/2010

Estágio do projeto

  • Em crescimento (passaram das primeiras atividades; trabalhando para o próximo nível de expansão)

Elegibilidade I: Você atende a todos os critérios de elegibilidade?

  • Sim, eu tenho mais de 18 anos de idade.
  • Sou brasileira/o ou estrangeira/o residente no Brasil.
  • Tenho atuação direta e comprovada no projeto.
  • Não sou funcionário nem familiar de funcionários da Ashoka e da CTG Brasil.

Elegibilidade II: O projeto inscrito:

  • É um projeto já implementado e posso comprovar nas respostas, fotos e documentações a serem apresentadas nesta inscrição..
  • É um projeto que tem como foco pelo menos dois (2) dos quatro (4) pilares do turismo sustentável (social, cultural, ambiental e econômico) descritos na seção "Escopo e áreas de foco".

Ao se inscrever, você concorda que possamos apresentar seu trabalho nas mídias sociais e outras publicações da Ashoka e CTG Brasil, relacionadas ao Desafio?

  • Sim, eu concordo.

1) Viagem pessoal: qual a história por trás da decisão em iniciar este projeto?

Aos 21 anos de idade, fiz um intercâmbio na Austrália e lá tive contato com parques e trilhas extremamente estruturadas, e com uma economia que gira em torno dos atrativos naturais. De lá, me dei conta do enorme patrimônio natural existente aqui, e das inúmeras oportunidades de desenvolvimento sustentável através do turismo de natureza. Ao voltar ao Brasil, ingressei na faculdade de Turismo e desde então atuei em diferentes segmentos do trade, até que em 2010 fundei a eTrilhas para me dedicar exclusivamente a atividades ligadas ao Turismo de Natureza. Marcos Ferreira se uniu ao desafio em 2015 trazendo sua bagagem em tecnologia e inovação. Juntos produzimos a nova versão do aplicativo eTrilhas, divulgando em especial trilhas do Estado do Rio de Janeiro. Os resultados vieram rápido e logo 18 mil pessoas seguiam a idéia no Facebook. Com a repercussão nossa empresa foi selecionada para licenciar o aplicativo à primeira trilha de longo percurso do Brasil, a Trilha Transcarioca.

2) O problema: que problema você está ajudando a resolver?

O digital sempre esteve distante do turismo ecológico. Quando existem, as plataformas digitais de trilhas são desenvolvidas separadamente. Os agentes econômicos do entorno não tem estrutura e expertise para realizar uma divulgação forte nas redes. Às Unidades de Conservação, a manutenção de trilhas é um problema devido à falta de efetivo e de equipamentos para monitoramento constante dos locais. Essa desarticulação faz com que a ocupação das trilhas fique enfraquecida, com impactos ambientais.

3) Sua solução: como seu projeto responde a esse problema? Compartilhe sua abordagem específica.

A plataforma digital eTrilhas - composta de um aplicativo para sistemas operacionais iOS e Android, um website e um sistema administrativo - permite a conexão entre três vetores das trilhas ecológicas: o público em geral, a cadeia produtiva do entorno das trilhas e as unidades administrativas. Uma mesma ferramenta é capaz de dar insumos a cada um destes atores e potencializar uma relação de consumo sustentável, oferecendo a cada um deles uma interface de sua pertinência. A ferramenta, além disso, é capaz de ser customizada para diferentes áreas geográficas e unidades de conservação. Seu gerenciamento é realizado de forma descentralizada por estes três agentes, garantindo escalabilidade global à solução. O modelo de negócio da plataforma é baseada no financiamento central da solução, através de apoiadores, patrocinadores e licenciantes do aplicativo, em um modelo de períodos de manutenção e evolução bianual, o que permite uma estabilidade do projeto e uma grande capilaridade no uso. A plataforma é desenvolvida de forma white label - ou seja, ela é sempre customizada para trilhas de pequeno e longo curso. A receita oriunda de novas versões permite a evolução da plataforma para todos.

4) Que tal incluir um vídeo sobre sua iniciativa?

A iniciativa estimula a visitação das trilhas, gera impactos positivos para as Unidades de Conservação, para a preservação ambiental e para a cadeia produtiva do entorno das trilhas.

5) Atividades: Destaque as principais atividades que você realiza no dia-a- dia do seu projeto.

Por se tratar de uma pequena empresa, as atividades são divididas entre os sócios, que possuem atuação complementar. A operação se relaciona tanto a projetos sendo desenvolvidos para clientes - como a produção de aplicativos, vídeos, conteúdos ligados ao meio ambiente - como no aprimoramento do produto próprio, a plataforma eTrilhas. O dia a dia envolve a parte comercial e de Marketing, atendendo a solicitações de orçamentos e prospecção de novos clientes, e o desenvolvimento de peças de divulgações dos produtos e serviços. Marcos está a frente do setor de inovação, desenvolvendo novos features para a plataforma eTrilhas e validando sua implementação junto ao público final. De forma simultânea, desenvolve uma pesquisa permanente em novas tecnologias, avaliando a sua pertinência ao campo de atuação da empresa.

6) Inovação: Qual inovação sua iniciativa está desenvolvendo ou adaptando para solucionar problemas na área do turismo? Como se diferencia de outras iniciativas no setor?

A plataforma eTrilhas é desenvolvida desde 2010 e, desde lá, teve origem de financiamento de diferentes setores da sociedade: secretarias de turismo, setores de fomento a pesquisa e organizações sem fins lucrativos. Este evolutivo permitiu aos sócios ver a demanda do setor sob os olhos de diferentes atores, sumarizado em três vetores: público visitante, Unidades de Conservação e agentes econômicos do entorno. Isso também conduziu a uma conclusão: que estes três atores dependem cada um do outro, e a preservação do meio ambiente depende da confluência destes três. Se uma primeira versão da eTrilhas foi feita para o fomento ao turismo, a sua segunda buscou promover agentes econômicos - mais especificamente os guias turísticos -, e sua terceira buscou oferecer insumos para gestão das trilhas às Unidades de Conservação. A quarta versão, atualmente sendo desenvolvida, envolve estes três modelos juntos. O principal desafio de inovação de uma plataforma como esta, com diferentes stakeholders, é que a origem de financiamento tende a querer focar nas suas mais urgentes demandas. Para quebrar este ciclo, eTrilhas propõe um modelo de financiamento de origem descentralizada mas com destino central. Em outras palavras, toda receita de licenciamento da plataforma é direcionada para o desenvolvimento da plataforma como um todo.

7) a) Pilares do Turismo sustentável: Quais dos seguintes pilares do Turismo Sustentável o seu projeto contempla?

  • Social - iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.  
  • Cultural - iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais.  
  • Ambiental - iniciativas que reduzam o impacto ambiental, que ofereçam soluções de compensação, que cuidem da conservação e do uso de recursos naturais, que se proponham a regenerar áreas degradadas e que promovam educação e sensibilização ambiental.     
  • Econômico - iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais.  

7) b) Pilares do Turismo Sustentável: explique como os pilares que sinalizou na pergunta anterior estão presentes na implementação do seu projeto.

Através da plataforma conectamos pequenos agentes econômicos do entorno das trilhas ecológicas ao público em geral, de forma totalmente gratuita, permitindo que o seu desenvolvimento e fortalecimento contribuam com a preservação do trecho. Atualmente, por exemplo, são listados guias verificados que podem realizar tours nos trechos específicos. A plataforma contribui culturalmente ao desenvolver conteúdos para a plataforma que evidenciam histórias e saberes locais e divulgá-lo ao público em geral. Todos os trechos, por exemplo, contam com ilustração fotográfica e textual, com curiosidades e histórias dos trechos. A empresa também desenvolve conteúdos em vídeo, com publicação em redes sociais. Por fim, ao oferecer insumos de informação às Unidades de Conservação - na plataforma, o público pode relatar ocorrências e problemas das trilhas diretamente aos mantenedores das trilhas - , há a contribuição direta para a manutenção ambiental. A Trilha Transcarioca, por exemplo, conta com mais de 150 relatos do público em geral sobre problemas como sinalização, violência, captação irregular de água e até achados - um usuário encontrou uma casa de pau-a-pique em meio à trilha e sugeriu que fosse buscada sua história.

8) Impacto: quais impactos seu projeto causou até agora? Considere impactos internos na estabilidade da sua organização e externos em relação ao pilares do turismo sustentável, utilize dados

A plataforma eTrilhas existe desde 2010, através de patrocínio do Governo do Rio de Janeiro. A empresa foi incubada pelo Rio Criativo. Em 2013, foi lançada uma nova versão com aplicativo mobile e mapas impressos, com patrocínio da secretaria de Turismo da Cidade do Rio de Janeiro. Em 2016 a plataforma teve nova versão com apoio da Faperj, com uma nova interface em realidade aumentada. Em 2017 foi licenciada para a Trilha Transcarioca, com apoio da Conservação Internacional. A empresa participou de uma expedição da World Trails Network no Japão, congregando 13 líderes do segmento de trilhas ecológicas do mundo. Em 2018 foi lançada a versão 2.0 com apoio da Associação Trilha Transcarioca, contemplando também um Progressive Web App. São 18 mil seguidores no Facebook da eTrilhas, mais de 1.000 downloads dos aplicativos e mais de uma centena de contribuições do público relatando ocorrências na Trilha Transcarioca.

9) Estratégias de crescimento: Quais são seus planos para fomentar o crescimento de sua iniciativa?

A nova versão da plataforma eTrilhas está focada em dois pilares: engajamento do público e estruturação de informações. Com estas prioridades entraremos em um ciclo virtuoso de crescimento. Especificamente, a plataforma irá focar em: - Implementar o sistema de relatórios e painel de informações aos mantenedores das unidades de conservação - Internacionalização da nova versão - Desenvolver o sistema de cadastro e manutenção de agentes econômicos do entorno da trilha - Implementar o plano de comunicação da plataforma para os próximos dois anos - Garantir a manutenção do aplicativo por dois anos - Aprimorar os termos jurídicos do aplicativo em relação ao usuário, principalmente levando em conta a nova lei de proteção de dados, a relação com os agentes econômicos e com as unidades de conservação.

10) Colaboração: como a sua iniciativa colabora com outros atores (governos, universidades, empresas, associações da sociedade civil) para fazer a diferença? Você realiza alguma parceria?

Etrilhas contribui para que Unidades de Conservação, Governos e Associações ligadas às trilhas participantes da plataforma tenham acesso aos dados estatísticos gerados pelo App sobre a visitação.Na Trilha Transcarioca temos um diálogo constante com membros da Associação, buscando soluções tecnológicas para suas demandas e contribuindo com a manutenção da trilha através da ferramenta colaborativa chamada Guardião, onde usuários relatam ocorrências nos trechos. Também mantemos a comunicação ativa com a Conservação Internacional, que financiou o App da TT. Etrilhas já teve apoio da Riotur na divulgação das trilhas cariocas, da Faperj e da incubadora Rio Criativo. A empresa mantém o diálogo com as UCs onde as trilhas estão localizadas, e busca parcerias com agentes locais para divulgação de seus serviços. Possuímos conexão com a World Trails Network, tendo a oportunidade de de trocar experiência sobre o uso das trilhas e ter acesso a iniciativas de sucesso no setor.

11) Inspirar novos agentes de transformação: você tem influenciado outras organizações e pessoas a se envolverem no seu projeto e/ou a se preocuparem com o Turismo Sustentável? Se sim, como?

O desenvolvimento da plataforma eTrilhas está diretamente relacionada com a impactação de novos públicos ao turismo sustentável, em especial em dois pilares: o público em geral, que, além de visitar os locais, contribui para sua preservação com relatos de ocorrências na plataforma Guardião; os agentes econômicos, que vêem maior viabilidade na sua operação com o crescimento da demanda no turismo sustentável, gerando emprego e renda para as comunidades locais. A plataforma eTrilhas dá suporte a guias de ecoturismo e despertou a atenção geral deste segmento econômico, seja por iniciativa de guias individuais, seja por empresas em geral de guiamento, que se prontificaram imediatamente a cadastrar seus perfis na plataforma. Marcas em geral também demonstraram interesse em se associar à plataforma, embora este ainda seja um contato em estágio inicial.

12) a)Quais dos seguintes recursos sua organização obteve até o momento?

  • Vendas
  • Participação em programas de incubação e aceleração

12) b) Planejamento Financeiro: como você planeja financiar o seu projeto a curto, médio e longo prazo?

A estratégia da plataforma é a captação de recursos com patrocinadores, sejam da esfera pública, seja da privada, seja de organizações sem fins lucrativos. Esta estratégia é um contraponto à comercialização junto ao público final. Etrilhas, portanto, tem o modelo de negócio essencialmente em um modelo B2B e não B2C. Assim sendo, para o próximo biênio, buscamos 75% do orçamento em editais e leis de incentivo e 25% em projetos especiais e patrocínios privados. Entendemos que o momento não é de captação de investimento no sentido de divisão patrimonial do negócio na medida em que a evolução atual do produto sempre se deu através da comercialização e licenciamento da plataforma junto a parceiros comerciais.

12) c) Quanto você já investiu no seu projeto para a operação deste ano?

  • Investimento entre R$10.000 e R$50.000

12) d) Qual é o orçamento necessário para o funcionamento do seu projeto durante 1 ano?

  • acima de R$ 100.000

13) Equipe: qual é a atual composição da sua equipe (papéis, qualificação, tempo integral x temporários, etc)? Como essa composição se transformará no futuro do seu projeto?

Paula Rascão é turismóloga, possui experiência e network no segmento de ecoturismo e aventura. Atua na captação de novos clientes, coordenação e execução dos projetos. Marcos Ferreira é quem administra o segmento de produto, tecnologia e inovação da empresa. Marcos possui experiência internacional no segmento, tendo sido contemplado com o prêmio Young Creative Entrepreneur pelo British Council. Atende clientes como Fundação Roberto Marinho, Canal Brasil, Museu do Amanhã. Marcos foi o desenvolvedor da última versão da plataforma, garantindo autonomia no desenvolvimento tecnológico, e evolução constante do produto. Além disso, possui muita experiência na produção de conteúdo audiovisual, contribuindo para a produção de conteúdo sobre as trilhas. Ambos os sócios possuem outros empreendimentos. Marcos é sócio diretor da mobCONTENT e Paula é sócia da Cactus Experiências (operadora de ecoturismo) e da Casa Cactus (pousada), mas possuem 75% do seu tempo disponível para a eTrilhas.

14) Diversidade na equipe: descreva a diversidade de sua equipe e inclua informações sobre a distribuição de cargos.

Atualmente toda operação da eTrilhas é feita pelos seus dois sócios e de eventuais colaboradores terceirizados. Com o aumento de escala da operação um dos objetivos é manter a maior diversidade possível na equipe com relação a gênero, raça, etnia e sexualidade.

15) a) Diversidade do público de sua iniciativa: o seu projeto tem como foco específico algum dos seguintes grupos?

  • Minorias étnicas
  • Comunidade rural
  • Comunidade indígena
  • Comunidade quilombola
  • Outra Comunidade Tradicional

15) b) Diversidade de público da iniciativa: Dê exemplos reais de como o seu projeto está conseguindo impactar todos os grupos que você indicou na pergunta anterior.

Ao cadastrar agentes econômicos e culturais do entorno das trilhas a plataforma eTrilhas estimula a adesão de comunidades rurais e periféricas, onde a maior parte destes locais se encontra. Eventualmente as trilhas envolvem regiões relacionadas com comunidades quilombolas e indígenas.

16) Como você soube desse desafio?

  • Recomendado por outras pessoas

Evaluation results

15 evaluations so far

1. IMPACTO: Esta iniciativa demonstra impacto relevante, e com evidências quantitativas e qualitativas?

Com toda certeza. - 20%

Sim, há evidências quantitativas e qualitativas de seu impacto na comunidade. - 46.7%

De forma parcial. - 26.7%

Não, há pouca evidência de resultados de impacto. - 6.7%

Não. - 0%

2. INOVAÇÃO: Esta iniciativa desenvolveu e implementou uma abordagem inovadora?

Com toda certeza. - 40%

Sim, tem características inovadoras. - 46.7%

De forma parcial. - 13.3%

Não, há pouca evidência demonstrada. - 0%

Não. - 0%

3. PLANEJAMENTO FINANCEIRO E OPERACIONAL: A iniciativa tem como base um modelo de negócio viável e mostra planos realistas de longo prazo para a sustentabilidade financeira?

Com toda certeza. - 13.3%

Sim, a iniciativa tem um bom modelo de negócio. - 20%

De forma parcial. - 40%

Insuficiente. - 26.7%

Não. - 0%

4. REPLICABILIDADE & CRESCIMENTO: Avalie a escalabilidade da iniciativa. Ela tem potencial de ser replicada em outros contextos sociais, culturais e/ou geográficos?

Com toda certeza. - 26.7%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 53.3%

De forma parcial. - 20%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

5. AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO: Uma/um agente de transformação social é alguém que se propõem a lidar e encontrar soluções coletivas para o bem de uma comunidade, um grupo, uma localidade. Queremos saber: essa iniciativa ajuda a inspirar e apoiar outras pessoas a se tornarem agentes de transformação em suas comunidades?

Com toda certeza. - 6.7%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 53.3%

De forma parcial. - 26.7%

Insuficiente. - 13.3%

Não. - 0%

6. DIVERSIDADE: Esta iniciativa demonstra a inclusão de públicos diversos em sua iniciativa, seja nos parceiros com os quais colabora e/ou na composição de sua equipe?

Com toda certeza. - 13.3%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 40%

De forma parcial. - 20%

Insuficiente. - 26.7%

Não. - 0%

7. AVALIAÇÃO GERAL: De forma geral, você considera que esta iniciativa deve avançar para a próxima fase do Desafio e se tornar um semifinalista?

Sim, com toda a certeza! - 15.4%

Sim, acredito que sim. - 30.8%

Talvez. - 30.8%

Provavelmente não. - 15.4%

Não. - 7.7%

Attachments (1)

Etrilhas Pitch Deck (1).pdf

Apresentação eTrilhas

23 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Ana Taranto
Team

Que bacana conhecer o eTrilhas! Moro no Rio e ainda não tinha visto o app. Vou considerar usá-lo nas próximas trilhas que fizer por aqui :) Quais as redes sociais de vocês para eu acompanhar o trabalho?

Spam
Photo of Paula Rascão
Team

@etrilhas, tanto no Instagram como no0 facebook. Fizemos uma avaliação do seu projeto! Parabéns pela iniciativa e boa sorte!

Spam
Photo of Ana Taranto
Team

Obrigada, Paula! Agora já estou seguindo a @etrilhas tanto pelo meu pessoal quanto pelo da @brazilian.do. Muito obrigada por ter avaliado nossa iniciativa. Sucesso!

View all comments