Turismo Sustentável de Observação de Vida Silvestre, como estratégia de preservação da biodiversidade, inclusão social e geração de empregos

Nosso projeto transformou caçadores de onças em guias de turismo de observação silvestre e hoje sustenta mais de 50 famílias em Poconé/MT.

Photo of Jussara Utsch
10 20

Written by

Nome completo do(a) representante do projeto

Douglas Brian Trent

E-mail

douglas.trent@institutosustentar.net; ecotrent@aol.com

Nacionalidade

norte-americana

Gênero

  • Masculino

Data de Nascimento

16061957

Sede da organização (UF)

  • Minas Gerais

Site da organização

www.institutosustentar.net www.bichosdopantanal.org

Mídias sociais da organização

https://www.linkedin.com/company/institutosustentar/ https://www.facebook.com/bichosdopantanal/ https://www.youtube.com/user/bichosdopantanal https://twitter.com/bichospantanal https://www.instagram.com/bichosdopantanal/ https://www.instagram.com/institutosustentar/ https://www.instagram.com/bichosdopantanal/

Data em que você iniciou o projeto

07/2013

Estágio do projeto

  • Em expansão (expandindo o impacto para muitos lugares novos ou de várias maneiras novas)

Elegibilidade I: Você atende a todos os critérios de elegibilidade?

  • Sim, eu tenho mais de 18 anos de idade.
  • Sou brasileira/o ou estrangeira/o residente no Brasil.
  • Tenho atuação direta e comprovada no projeto.
  • Não sou funcionário nem familiar de funcionários da Ashoka e da CTG Brasil.

Elegibilidade II: O projeto inscrito:

  • É um projeto já implementado e posso comprovar nas respostas, fotos e documentações a serem apresentadas nesta inscrição..
  • É um projeto que tem como foco pelo menos dois (2) dos quatro (4) pilares do turismo sustentável (social, cultural, ambiental e econômico) descritos na seção "Escopo e áreas de foco".

Ao se inscrever, você concorda que possamos apresentar seu trabalho nas mídias sociais e outras publicações da Ashoka e CTG Brasil, relacionadas ao Desafio?

  • Sim, eu concordo.

1) Viagem pessoal: qual a história por trás da decisão em iniciar este projeto?

O ecólogo, operador de turismo de observação de vida silvestre e "birdwatching", Douglas Trent, foi o 1º operador de turismo de natureza no Brasil. Em 1980, ele propôs aos pantaneiros de Poconé/MT, ajuda para entrar no negócio ecoturismo se parassem de caçar a onça-pintada. Em troca, eles ganhariam dinheiro "mostrando" as onças aos turistas. Douglas levantou recursos de pré-reservas junto aos turistas estrangeiros e ergueram uma pousada; foi criado um site em inglês; a comunidade teve aulas sobre"como guiar" os turistas; como elaborar um plano de negócios, taxonomia da avifauna; foi estabelecido o 1º carro de safári do Pantanal e voluntários americanos ensinaram inglês. Entre outras iniciativas, foram realizadas "press trips" com jornalistas internacionais que fizeram a fama do lugar para clientes de vários países. Quando o projeto se tornou sustentável, hoje 50 famílias vivem da iniciativa, Douglas se mudou para Cáceres/MT, onde continua capacitando guias e coordena Projeto atual.

2) O problema: que problema você está ajudando a resolver?

O Brasil ocupa o 1º lugar mundial em biodiversidade, além de ser conhecido lá fora, mas a falta de bons guias, de operadoras de turismo profissionais ligadas à observação de vida silvestre e de promoção internacional do país como destino para esta categoria de turismo, resulta em um desempenho com indicadores bem abaixo da expectativa para este tipo de prática. Está provado que o investimento no turismo de natureza pode promover a redução da pobreza e melhorar a preservação do meio ambiente.

3) Sua solução: como seu projeto responde a esse problema? Compartilhe sua abordagem específica.

Desenvolvemos uma metodologia que atende à expectativa dos "stakeholders" mapeados na região do Alto Pantanal, que é a transição do turismo de pesca para o turismo de observação de vida silvestre, promovendo a inclusão social e sustentabilidade econômica de artesãos e pequenos proprietários rurais, ribeirinhos, guias e monitores turísticos, dos proprietários e funcionários de empreendimentos turísticos, tais como barcos de pesca, locadoras de carro, agências e operadoras de turismo, proprietários de pousadas, restaurantes entre outros d setor de turismo. Criamos a "Rede de Cooperação Bichos do Pantanal" que trabalha a implantação do projeto de turismo sustentável de observação de vida silvestre e birdwatching. Fizemos um inventário das principais espécies de fauna da região, foi identificada uma nova rota turística, alternativa nomeada Estrada Turística Transpantanal. Os integrantes da Rede de Cooperação e a comunidade local receberam assistência e treinamento para receber turistas interessados na observação de vida silvestre, fotografia e pesquisa científica. O programa de capacitação é ministrado de forma que os parceiros se tornem multiplicadores e atores nos programas de desenvolvimento local, provendo oportunidades iguais p/ todos e igualdade de gêneros. Realizamos capacitação teórica e prática dos guias e monitores locais e cursos sobre "Como planejar, desenvolver e comercializar produtos de ecoturismo promovendo o desenvolvimento sustentável", abertos ao trade.

4) Que tal incluir um vídeo sobre sua iniciativa?

A Rede de Cooperação Bichos do Pantanal, formada por atores locais, regionais e internacionais, trabalhou pela transição do turismo de pesca para o turismo de natureza. Jussara Utsch (Presid. Instituto Sustentar) e Douglas Trent (diretor internac. Projeto Bichos do Pantanal) contam sobre a criação da Estrada Transpantanal, como alternativa à Transpantaneira. Criada pela Rede, esta rota de turismo sustentável de observação de vida silvestre é uma forma de priorizar a vocação da região.

5) Atividades: Destaque as principais atividades que você realiza no dia-a- dia do seu projeto.

CAPACITAÇÃO, FORMAÇÃO DE PRODUTOS E DO TRADE TURÍSTICO: Capacitação dos prestadores de serviço locais, conforme diagnóstico: aulas de inglês, Educação Ambiental, noções de taxonomia, capacitação de cozinheiros, camareiras etc. Formação do Trade por rede de empreendedores, prestadores de serviços relacionados ao Turismo de Observação da Vida Silvestre. Formatação do produto(s) turístico(s) a ser(em) comercializado(s). Marketing digital e de reputação. Manutenção e ampliação da Rede de Cooperação para apoiar a implementação e a continuidade das ações. Identificação de produtos materiais com potencial de venda turística (biodiversidade, artesanato, comidas típicas, doces regionais etc). Design de alojamentos, inovação, práticas sustentáveis. Seminários/iniciativas de inovação e monitoramento.

6) Inovação: Qual inovação sua iniciativa está desenvolvendo ou adaptando para solucionar problemas na área do turismo? Como se diferencia de outras iniciativas no setor?

Na estruturação do turismo sustentável criamos um pacote de desenvolvimento c/ programas de inovação p/ o turismo por meio da capacitação de guias e monitores, que se tornam multiplicadores do conceito de conexão c/ a natureza e da qualificação dos PMEs c/ foco no desenvolvimento e operação do negócio voltado principalmente ao público internacional, alinhados às ODS e protocolos pós Covid. O Brasil tem a maior biodiversidade do mundo, mas não aproveitamos adequadamente as oportunidades como o turismo de observação. Essa atividade inclui capacitação e orientação p/ receber turistas internacionais e nacionais, aulas de inglês gratuitas c/ voluntários, taxonomia das espécies, conhecimentos de marketing e comunicação, presença online e organização de presstrip visando aumento de visitação para observação da natureza. O Projeto conta c/ uma Rede de Cooperação formada por stackholders como UNEMAT, IFMT, Univers. Kansas KU/EUA, Universid. da Flórida, SECITEC - Secretaria Ciência e Tecnologia e Secret. Turismo do Mato Grosso,Prefeitura, Secret.Meio Ambiente, Turismo e Cultura, Secret. Educação de Cáceres/MT e Prefeitura Porto Estrela/MT, SEBRAE-MT, ESEC Taiamã e ESEC Serra das Araras/ICMBio, APAC - Ass .Artesãos, APPEC - Ass.Pescadores, Colônia dos Pescadores, Assoc. Comercial de Cáceres, Assoc. proprietários de barcos-hotéis e pousadas etc, que garante sustentabilidade futura e norteia ações p reduzir pressão sobre os ecossistemas e melhorar a qualidade de vida da população.

7) a) Pilares do Turismo sustentável: Quais dos seguintes pilares do Turismo Sustentável o seu projeto contempla?

  • Social - iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.  
  • Cultural - iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais.  
  • Ambiental - iniciativas que reduzam o impacto ambiental, que ofereçam soluções de compensação, que cuidem da conservação e do uso de recursos naturais, que se proponham a regenerar áreas degradadas e que promovam educação e sensibilização ambiental.     
  • Econômico - iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais.  

7) b) Pilares do Turismo Sustentável: explique como os pilares que sinalizou na pergunta anterior estão presentes na implementação do seu projeto.

O turismo de observação de vida silvestre é uma atividade já consolidada em muitos países e educa os guias e monitores para atuarem em conexão com a natureza, tornando-se multiplicadores do projeto e conservacionaistas, de forma a garantir a perenidade da atividade e a preservação da natureza. O Instituto Sustentar introduziu essa tecnologia em Cáceres, em 2013, com o Projeto Bichos do Pantanal, atuando fortemente para o desenvolvimento local por meio da formação de uma Rede de Cooperação, que capacitou de mais de 3.000 pessoas, entre guias e demais pessoas envolvidas na cadeia produtiva para atuação no turismo de observação de vida silvestre. O Projeto incluiu o Alto Pantanal de Cáceres no mapa do turismo internacional, com divulgação em mais de 32 países em diversas línguas, desenvolveu uma rota turística alternativa a Transpantaneira na região, batizada de “Estrada Turística Transpantanal”. O Projeto desenvolve empreendedorismo local e estimula a preservação de aspectos da cultura pantaneira como o resgate da culinária local, saberes dos pescadores, produção e venda de artesanato e apresentações folclóricas - que passam a ser valorizadas pelos comerciantes locais para atrair os turistas.

8) Impacto: quais impactos seu projeto causou até agora? Considere impactos internos na estabilidade da sua organização e externos em relação ao pilares do turismo sustentável, utilize dados

Atuamos com pesquisas, educação ambiental e rede de desenvolvimento local. Com o nosso programa ecoturístico houve aumento da oferta de empregos e renda local, contribuindo na transição do turismo de pesca para o turismo de observação de aves e espécies silvestres. Barcos-hotéis e pousadas que fechavam no período do defeso causando desemprego, agora permanecem abertos c/ observação de onças e birdwatching e guias e piloteiros locais ganhando em dólares. Criamos a rota turística alternativa à Transpantaneira, nomeada Estrada Transpantanal. Alcançamos ampla cobertura de mídia nacional e internacional c/ divulgação em 12 idiomas e 34 países, além das redes sociais e revistas de bordo para para potenciais turistas nacionais e internacionais. O programa contemplou 45 empreendedores locais PME com cursos de gestão turística responsável, artesanato, aulas de inglês e gastronomia. Em Poconé/MT, 50 famílias capacitadas já vivem deste projeto e profissionalizamos 35 guias que se comunicam em inglês e ajudam na preservação ambiental.

9) Estratégias de crescimento: Quais são seus planos para fomentar o crescimento de sua iniciativa?

Com base na experiência de 4 décadas no Brasil e outros países c/ a Focus Tour - 1ª operadora de turismo de observação, projeto JAGUAR ECOLOGICAL RESERVE e o Projeto Bichos do Pantanal, o Instituto Sustentar tem indicadores de sucesso que permitem adequar p/ várias regiões, programas inovadores de capacitação para Turismo Sustentável, com base na metodologia do projeto que prevê as seguintes fases: 1. DIAGNÓSTICO, 2.CAPACITAÇÃO, FORMAÇÃO DE PRODUTOS E DO TRADE TURÍSTICO,3. DIVULGAÇÃO NACIONAL, TESTES DOS PRODUTOS E IMPLEMENTAÇÃO INICIAL e 4. DIVULGAÇÃO INTERNACIONAL. Esta tecnologia é muito bem-sucedida e superou as expectativas e metas c/ a publicação de 12 artigos científicos, produziu material de referências para professores e estudantes da rede pública e privada, assim como cursos técnicos e já recebeu mais de 120 mil alunos, com binóculos em campo, no programa de educação c/ foco em conexão com a natureza, preparando a comunidade p/ atuar profissionalmente e proteger a natureza.

10) Colaboração: como a sua iniciativa colabora com outros atores (governos, universidades, empresas, associações da sociedade civil) para fazer a diferença? Você realiza alguma parceria?

A Rede de Cooperação, criada pelo Instituto Sustentar, em parceria com universidades nacionais e internacionais, governo local e estadual, implantou um programa ecoturístico bem-sucedido aumentando tanto emprego como a renda da população local e é formada por instituições como: UNEMAT, IFMT, Univers. Kansas KU/EUA, Universidade da Flórida, SECITEC - Secretaria Ciência e Tecnologia e Secret. Turismo do Mato Grosso Prefeitura, Secret.Meio Ambiente, Turismo e Cultura, Secret. Educação de Cáceres/MT e Prefeitura Porto Estrela/MT. SEBRAE-MT, ESEC Taiamã e ESEC Serra das Araras/ICMBio, APAC - Ass .Artesãos, APPEC - Ass.Pescadores, Colônia dos Pescadores, Assoc. Comercial de Cáceres, Associação dos proprietários de barcos-hoteis e pousadas, Conselho Municipal de Turismo, entre outros. O Instituto Sustentar elaborou e mantém "acordos técnicos de parceria e colaboração" assinados com as instituições acima.

11) Inspirar novos agentes de transformação: você tem influenciado outras organizações e pessoas a se envolverem no seu projeto e/ou a se preocuparem com o Turismo Sustentável? Se sim, como?

Nas atividades de estruturação do turismo sustentável, trabalhamos com as comunidades para criar um pacote de desenvolvimento, que incluiu programas de capacitação e educação ambiental, ensinando natureza no nível de espécies de cada região (taxonomia) e capacitação de guias e monitores, que são os líderes desta reconexão com a natureza na região. O programa de capacitação também contemplou os empreendedores do segmento, com orientação para gestão de negócios, comercialização e marketing e identificação de oportunidades com foco na sustentabilidade do turismo nacional e internacional na região. Pousadas, hotéis e barcos-hotéis que antes operavam somente com o turismo de pesca já operam com turismo de observação e as pousadas abriram trilhas para "Birdwatching" em suas propriedades, ampliando o foco de atuação, com orientação do projeto.

12) a)Quais dos seguintes recursos sua organização obteve até o momento?

  • Patrocínio Programa Petrobras Socioambiental, apoio dos atores da Rede de Cooperação -stackholders.

12) b) Planejamento Financeiro: como você planeja financiar o seu projeto a curto, médio e longo prazo?

Diversificação das fontes de captação de recursos, incluindo ações como a qualificação da equipe interna para participação efetiva em editais de fundações nacionais e internacionais. Planejamento anual para expansão das atividades e prestação de serviços desenvolvidas pela equipe multidisciplinar do Instituto Sustentar. Campanhas institucionais para doações. Estabelecimento de metas para autonomia do Projeto por meio de replicação. Percentuais desejados: 25% - doações; 35% - patrocínio; 30% - editais; 10% - lei de incentivo para produtos culturais.

12) c) Quanto você já investiu no seu projeto para a operação deste ano?

  • Investimento entre R$100.000 e R$500.000

12) d) Qual é o orçamento necessário para o funcionamento do seu projeto durante 1 ano?

  • acima de R$ 500.000

13) Equipe: qual é a atual composição da sua equipe (papéis, qualificação, tempo integral x temporários, etc)? Como essa composição se transformará no futuro do seu projeto?

O Instituto Sustentar conta com uma equipe multidisciplinar com muita vivência profissional na área socioambiental e de desenvolvimento local. Relação dos Cargos: Coord. Geral do Projeto e Rel. Institucionais - CLT - Coord. Técnico e de Pesquisa do Projeto - PJ - Gestor de Projetos e Marketing - PJ - Supervisor administrativo - CLT - Auxiliar administrativo-financeiro-contábil - CLT Pesquisador de campo (2) - Bolsa Estágio Assistente pesquisador de campo (5) - Bolsa Pesquisa Coordenador de Educação Ambiental - Bolsa Pesquisa Monitores de Educação Ambiental (3) - PJ Assessor de imprensa - CLT Analista de Comunicação - CLT Serviços gerais - CLT Serviços de limpeza - doméstico - PJ Contamos com equipe de capacitação profissional, de pesquisas, de comunicação/mkt terceirizados, visando a formação de multiplicadores para garantir a sustentabilidadedo projeto, sendo que a composição se altera conforme as atividades agregadas dependendo da receita do atrocínio em cd ciclo.

14) Diversidade na equipe: descreva a diversidade de sua equipe e inclua informações sobre a distribuição de cargos.

Contamos com uma equipe composta e coordenada por mulheres, privilegiando a equidade social e de gênero, nossa equipe técnica é formada 8 mulheres, sendo que 75% em cargos de liderança e 8 homens, também em cargos de liderança, técnicos e multiplicadores da educação ambiental. A equipe possui diversidade racial, incluindo brancos e pretos e intergeracional onde membros do corpo técnico variam 19 anos – 65 anos, distribuídos nos diversos cargos. Em relaçãoo aos gênero, não há distinção e a equipe se relaciona também com fornecedores de comunicação e jornalistas de vários países que fazem coberturas sobre as pesquisas e outras contribuições.

15) a) Diversidade do público de sua iniciativa: o seu projeto tem como foco específico algum dos seguintes grupos?

  • Minorias étnicas
  • Comunidade negra
  • Comunidade de baixa renda
  • Comunidade LGBTQIA+
  • Comunidade rural
  • Comunidade periférica
  • Comunidade indígena
  • Comunidade quilombola
  • Outra Comunidade Tradicional
  • Ribeirinhos

15) b) Diversidade de público da iniciativa: Dê exemplos reais de como o seu projeto está conseguindo impactar todos os grupos que você indicou na pergunta anterior.

Os integrantes da Rede e a comunidade local identificada receberam assistência e treinamento especial para receber estrangeiros e brasileiros interessados na observação de vida silvestre, fotografias e pesquisas científicas. Os guias e condutores receberam treinamento em taxonomia para aprender a identificar as espécies de vida silvestre pelo nome científico, aulas de inglês com voluntários de universidades internacionais parceiras do projeto, alguns equipamentos como binóculo, luneta, livros, playback e APPs com gravação sons avifauna p/ prática birdwatching foram sorteados e os que não ganharam tiveram acesso a financiamento para compra equipamentos. As agências e operadoras de turismo e os empreendimentos como hotéis, pousadas, companhias rent-a-car, comércio de artesanato, restaurantes etc, tbem receberam capacitação para atuar no segmento e receber estrangeiros, com informações e cardápios de padrão internacional, em inglês, e orientação para atendimento em em horários especiais.

16) Como você soube desse desafio?

  • Mídia social
  • Mecanismo de busca
  • Participou de desafios anteriores da Ashoka

Evaluation results

16 evaluations so far

1. IMPACTO: Esta iniciativa demonstra impacto relevante, e com evidências quantitativas e qualitativas?

Com toda certeza. - 62.5%

Sim, há evidências quantitativas e qualitativas de seu impacto na comunidade. - 25%

De forma parcial. - 12.5%

Não, há pouca evidência de resultados de impacto. - 0%

Não. - 0%

2. INOVAÇÃO: Esta iniciativa desenvolveu e implementou uma abordagem inovadora?

Com toda certeza. - 43.8%

Sim, tem características inovadoras. - 37.5%

De forma parcial. - 18.8%

Não, há pouca evidência demonstrada. - 0%

Não. - 0%

3. PLANEJAMENTO FINANCEIRO E OPERACIONAL: A iniciativa tem como base um modelo de negócio viável e mostra planos realistas de longo prazo para a sustentabilidade financeira?

Com toda certeza. - 43.8%

Sim, a iniciativa tem um bom modelo de negócio. - 37.5%

De forma parcial. - 18.8%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

4. REPLICABILIDADE & CRESCIMENTO: Avalie a escalabilidade da iniciativa. Ela tem potencial de ser replicada em outros contextos sociais, culturais e/ou geográficos?

Com toda certeza. - 53.3%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 33.3%

De forma parcial. - 13.3%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

5. AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO: Uma/um agente de transformação social é alguém que se propõem a lidar e encontrar soluções coletivas para o bem de uma comunidade, um grupo, uma localidade. Queremos saber: essa iniciativa ajuda a inspirar e apoiar outras pessoas a se tornarem agentes de transformação em suas comunidades?

Com toda certeza. - 37.5%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 50%

De forma parcial. - 12.5%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

6. DIVERSIDADE: Esta iniciativa demonstra a inclusão de públicos diversos em sua iniciativa, seja nos parceiros com os quais colabora e/ou na composição de sua equipe?

Com toda certeza. - 43.8%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 31.3%

De forma parcial. - 25%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

7. AVALIAÇÃO GERAL: De forma geral, você considera que esta iniciativa deve avançar para a próxima fase do Desafio e se tornar um semifinalista?

Sim, com toda a certeza! - 50%

Sim, acredito que sim. - 31.3%

Talvez. - 18.8%

Provavelmente não. - 0%

Não. - 0%

10 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Faby Dickmann
Team

Olá !!
Meu nome é Fabiana, sou idealizadora do programa de turismo no espaço rural "Caminhos do Campo", achei muito interessante seu projeto, e estou interessado em conversar a respeito,se poder entrar em contato esse é meu e-mail fabi.dickman@gmail.com
Parabéns pelo projeto...

View all comments