CAMINHOS QUILOMBOLA DA BAÍA FORMOSA

Transmitir os saberes e costumes quilombolas dos nossos conhecimentos ancestrais através do turismo cultural e étnico.

Photo of Elizabeth Fernandes Teixeira
13 17

Written by

Nome completo do(a) representante do projeto

Elizabeth Fernandes Teixeira

E-mail

bethamajape@bol.com.br

Nacionalidade

Brasileira.

Gênero

  • Feminino

Data de Nascimento

5051968

Sede da organização (UF)

  • Rio de Janeiro

Site da organização

www.quilombobaiaformosa.com

Mídias sociais da organização

Redes sociais: FACEBOOK: https://www.facebook.com/quilombo.baiaformosa YOUTUBE: https://www.youtube.com/watch?v=dI5xjSe8QqA INSTAGRAM: https://instagram.com/quilombobaiaformosa?igshid=1hs04iilg7elr E-mail: quilombobaiaformosabuzios@gmail.com

Data em que você iniciou o projeto

20/06/ 2017

Estágio do projeto

  • Em crescimento (passaram das primeiras atividades; trabalhando para o próximo nível de expansão)

Elegibilidade I: Você atende a todos os critérios de elegibilidade?

  • Sim, eu tenho mais de 18 anos de idade.
  • Sou brasileira/o ou estrangeira/o residente no Brasil.
  • Tenho atuação direta e comprovada no projeto.
  • Não sou funcionário nem familiar de funcionários da Ashoka e da CTG Brasil.

Elegibilidade II: O projeto inscrito:

  • É um projeto que tem como foco pelo menos dois (2) dos quatro (4) pilares do turismo sustentável (social, cultural, ambiental e econômico) descritos na seção "Escopo e áreas de foco".

Ao se inscrever, você concorda que possamos apresentar seu trabalho nas mídias sociais e outras publicações da Ashoka e CTG Brasil, relacionadas ao Desafio?

  • Sim, eu concordo.

1) Viagem pessoal: qual a história por trás da decisão em iniciar este projeto?

A representatividade quilombola no nosso município precisa de muitas revindicações e visibilidade, tanto desde a sua área geográfica como no seu reconhecimento como cultura viva nestas terras. Fomos ganhando aos poucos o espaço que nos pertencem, mas ainda falta muito para sermos valorizados. Esses espaços foram entendidos por nós como a nossa parte da historia de Búzios e como queremos levar essa historia pro futuro de forma oral, audiovisual, escrita, nos seus sabores e caminhadas. Quando a gente pensa em turismo étnico e ecológico aparece como uma prioridade cuidar da nossa mensagem para os nossos jovens e idosos, integrando eles no trabalho e nas atividades culturais. Essa representatividade será o legado de este projeto para a nossa comunidade. No ano passado, realizamos um passo muito importante na luta de décadas, regularizando e reconhecendo as nossas terras, diante das parcerias institucionais com Ministério Público Federal, INCRA, Conselho do Parque da Costa do Sol e INEA.

2) O problema: que problema você está ajudando a resolver?

Com este projeto atingimos vários fatores que pretendemos resolver na nossa comunidade: - Situações decorrentes na marginalização dos nossos jovens. - Falta de oportunidades e capacitação para nossa comunidade. - A especulação imobiliária e o avanço da pratica de grilagem. - O êxodo compulsório dos nosso pares por causa do latifúndio. - Abandono e destruição das nossas terras que ficam ao descaso de lixões e desmatamentos.

3) Sua solução: como seu projeto responde a esse problema? Compartilhe sua abordagem específica.

- Preservar as nossas memorias de mobilidade através das trilhas que foram caminhadas pelos nossos antepassados e incentivar os cuidados que a natureza merece prevenindo a degradação e poluição com a nossa presença. - Estimular e capacitar os nosso jovens, mães e pais de família para serem incluídos num projeto que revitaliza a nossa memoria e promove a economia familiar. - Fomentar o turismo pedagógico, cientifico, transmitir os saberes e a história.

4) Que tal incluir um vídeo sobre sua iniciativa?

COZINHA QUILOMBOLA. BAIA FORMOSA BÚZIOS - Rota do Turismo Étnico. Este vídeo pertence a uma das fases da rota de Turismo Étnico Quilombola que faz parte dos objetivos de projetos da Associação dos Remanescentes Quilombolas da Baía formosa.

5) Atividades: Destaque as principais atividades que você realiza no dia-a- dia do seu projeto.

Organizamos o espaço, sede casa matriz do Quilombo Baía Formosa, para o recebimento dos convidados e turistas, tanto na parte da cozinha como na recepção. Realizamos as tarefas pertinentes a nossas sembras e coleitas na horta e extrativismo da aroeira~para a nossa culinária e capim para a confeição de cestas. A cidade de Armação dos Búzios tem o perfil de turismo: sol e praia, para massa. Apresentamo-nos uma alternativa diversificada quanto ao turismo étnico e ecológico, no que diz respeito ao desenvolvimento de uma proposta sustentável, sendo assim, cuidamos da limpeza e abertura dos caminhos de trilha. Planejamos o percorrido das trilhas, roteiros, a serem feitas com todos os cuidados que precisam ser levados em conta. Ensaiamos as nossas danças e cânticos (cirandas). Cuidamos da customização e reparos das nossas vestimentas. Atendemos as nossas redes sociais. Respondemos e-mails e whatsapps.

6) Inovação: Qual inovação sua iniciativa está desenvolvendo ou adaptando para solucionar problemas na área do turismo? Como se diferencia de outras iniciativas no setor?

A nossa cidade é de perfil turístico, Armação dos Búzios-RJ. Sendo esse turismos voltado só para o usufruto das praias e locais de entretenimento (lojas do centro, boates, etc) . Carecemos de qualquer tipo de turismo histórico, cultural, ecológico e sustentável até o momento. A nossa presença no ramo do turismo étnico é continuar a abrir esse espaço inovador para a cidade. Dessa forma se a apresentam outras territorialidades que nunca foram viabilizadas para o turismo e que trazem novas economias para os bairros fora do circuito cêntrico da cidade.

7) a) Pilares do Turismo sustentável: Quais dos seguintes pilares do Turismo Sustentável o seu projeto contempla?

  • Social - iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.  
  • Cultural - iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais.  
  • Ambiental - iniciativas que reduzam o impacto ambiental, que ofereçam soluções de compensação, que cuidem da conservação e do uso de recursos naturais, que se proponham a regenerar áreas degradadas e que promovam educação e sensibilização ambiental.     
  • Econômico - iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais.  

7) b) Pilares do Turismo Sustentável: explique como os pilares que sinalizou na pergunta anterior estão presentes na implementação do seu projeto.

Estão presentes no planejamento em fomentar a nossa culinária e rotas de caminhada com campanhas de divulgação de forma presencial e virtual, que convidem constantemente ao turismo local e estrangeiro. Lives e documentários que atraiam o nosso público turístico alvo assim como aos setores mais precários da nossa comunidade para elevar a sua participação. Promover a sinalização das nossas trilhas para caraterizar os nossos passos através da historia local. Trazer para a nossa casa matriz Quilombola, oficinas de cerâmica artesanal, feitura de roupas e objetos típicos, aulas de culinária que envolvam a comunidade toda.

8) Impacto: quais impactos seu projeto causou até agora? Considere impactos internos na estabilidade da sua organização e externos em relação ao pilares do turismo sustentável, utilize dados

Desde que foi criada a associação, seus integrantes tem participado de movimentos sócio- culturais e ambientais focados na disseminação e fortalecimento de sua cultura. A culinária típica do quilombo garante sua participação, desde 2013, no Festival Gastronômico de Búzios, que ocorre anualmente no mês de julho. Outro destaque para a culinária do Quilombo de Baia Formosa é a participação no livro: “A cozinha dos Quilombos: Sabores, territórios e memórias.” Uma iniciativa do instituto DAGAZ, dedicado a promover o desenvolvimento de comunidades carentes. A participação em projetos como o QUIPEA (Quilombos no Projeto de Educação Ambiental), deu visibilidade e acentuou a vontade de realização das atividades desenvolvidas no quilombo. Desde 2017 se investiu na capacitação de membros da comunidade no curso de guia de turismo, através da parceria com a empresa Shell, e também o curso de condutores ambientais, com INEA e o Instituto Federal Fluminense – Cabo Frio. Após a capacitação 25 membros da comunidade, iniciou-se o Turismo Étnico Quilombola. Além disso, o passeio também gerou fundos para a associação através da compra de ingresso para o tour e pela venda de artesanato tradicional

9) Estratégias de crescimento: Quais são seus planos para fomentar o crescimento de sua iniciativa?

A estrategia de crescimento se baseia em continuar a desenvolver o nosso diferencial como comunidade histórica nas nossas particularidades. Pretendemos conhecer ainda mais o nosso público e levar o conhecimento de área para os colegas de outros Quilombos e Associações. No nosso ideal esta satisfazer o interesse do público alvo para que acompanhem o nosso ressurgimento como coletivo focado na ancestralidade. Dessa forma chegaremos na visibilidade necessária para que aconteçam investimentos e em alianças comerciais para beneficio do projeto. Assim poderemos concretizar a nossa meta de valorizar os nossos integrantes como funcionários, colaboradores e voluntários com um relacionamento e fortalecimento econômico autossustentável. Projetamos construir o nosso Centro de Referencia, num local perto da nossa casa matriz e também terras quilombolas, com espaços diferenciais para projeções, rodas de dança e cânticos, elaboração de oficinas e seminários, e fortalecimento do marketing digital

10) Colaboração: como a sua iniciativa colabora com outros atores (governos, universidades, empresas, associações da sociedade civil) para fazer a diferença? Você realiza alguma parceria?

Sim, colabora com: IFFI (Instituto Federal Fluminense); Universidade Federal Fluminense do Estado de Rio de Janeiro; Projeto de Educação Ambiental: OBSERVAÇÃO; Prefeitura de Armação dos Búzios; QUIPEA (Quilombos no Projeto de Educação Ambiental); IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente; INEIA - Instituto Estadual do Meio Ambiente; GEO Parques; Parceria de capacitação com a empresa SHELL; MPF - Ministério Publico Federal; PECS - Conselho do Parque Estadual da Costa do Sol; Conselho Municipal do Meio Ambiente; Conselho Municipal de Politicas Culturais de Armação dos Búzios; Exposição em parceria com o Espaço Zanine.

11) Inspirar novos agentes de transformação: você tem influenciado outras organizações e pessoas a se envolverem no seu projeto e/ou a se preocuparem com o Turismo Sustentável? Se sim, como?

Inspiramos com a nossa mobilização outros quilombos da nossa área, como o Quilombo Feital (Magé), Quilombo de Machadinho (Quissamã), Quilombo da Rasa Búzios que começaram a se interessar nesta trilhas de conhecimento. Jovens da nossa comunidade que começaram se organizar para se reencontrar com a sua ancestralidade e virar gestores junto ao nosso Quilombo da Baia formosa.

12) a)Quais dos seguintes recursos sua organização obteve até o momento?

  • Suporte de amigos
  • Apoio da família
  • Vendas
  • Mentores / conselheiros
  • Prêmios
  • Visitas guiadas.

12) b) Planejamento Financeiro: como você planeja financiar o seu projeto a curto, médio e longo prazo?

O nosso planejamento a curto e médio prazo se foca na estrategia de investimento na nossa sede (espaço e casa matriz) e nos nossos colaboradores. Na capacitação dos condutores, com aulas de idiomas e especialização no atendimento ao turista. Aprimorar a nossa culinária em base de estudos de elaboração consciente e saúde alimentar. A longo prazo estaremos habilitando as nossas pesquisas para continuar a ser beneficiados em premiações e editais que nos levem a ter ferramentas próprias de trabalho para locomoção e funcionamento. No nosso orçamento consideramos: 20% serviços, receptivos e condução dos turistas; 35% em investimentos de apoiadores locais e mitigação com empreendimentos privados ; 35% editais e prêmios federais e estaduais; 10% doações.

12) c) Quanto você já investiu no seu projeto para a operação deste ano?

  • Investimento entre R$1.000 e R$10.000

12) d) Qual é o orçamento necessário para o funcionamento do seu projeto durante 1 ano?

  • acima de R$ 50.000

13) Equipe: qual é a atual composição da sua equipe (papéis, qualificação, tempo integral x temporários, etc)? Como essa composição se transformará no futuro do seu projeto?

A nossa equipe comunitária tem: - 03 guias de turismo formados (técnicos de turismo) - Tempo Integral. - 03 condutores de parques e trilhas credenciados pelo INEA. - Temporários. - 01 cozinheiro contratado - Tempo integral. - 10 integrantes do corpo de dança e percussão - Tempo integral. - 01 cozinheira diarista - Temporária. - 02 ajudantes de cozinha, diaristas - Temporário. - 02 auxiliares de serviços gerais, diaristas e voluntários - Temporários. - 01 recepcionista, voluntaria. - Temporária. - 01 guia tradutor|a de línguas especificas - Temporário. - 01 guia tradutor de libras - Temporário. - 01 Cinegrafista e fotografa|o , prestador de serviço- Temporário. - 01 motorista, prestador de serviço - Temporário. - 03 auxiliares de serviços de manutenção, entre diaristas e voluntários - Temporário.

14) Diversidade na equipe: descreva a diversidade de sua equipe e inclua informações sobre a distribuição de cargos.

A nossa equipe comunitária tem a diversidade de : 60% mulheres e 40% de homens. 90% de homens e mulheres de raça negra e 10% de outras raças e etnias. 90% classe baixa renda e 10% de classe de media. 5% de pessoas com deficiência de motricidade entre outros. Com a presença dos nossos jovens atingimos o 40% de participação na nossa equipe, compartilhado com o 40% de participação de adultos e 20% de idosos. A distribuição de cargos é relativa e dependendo da demanda. Mas na matriz do projeto se encontra com mais representatividade de mulheres, negras entre adultas e jovens.

15) a) Diversidade do público de sua iniciativa: o seu projeto tem como foco específico algum dos seguintes grupos?

  • Comunidade de pessoas com deficiência
  • Minorias étnicas
  • Comunidade negra
  • Comunidade de baixa renda
  • Comunidade LGBTQIA+
  • Comunidade rural
  • Comunidade periférica
  • Comunidade indígena
  • Comunidade quilombola
  • Outra Comunidade Tradicional
  • Público estrangeiro, público pedagógico, cientifico, e turismo náutico de cruzeiros.

15) b) Diversidade de público da iniciativa: Dê exemplos reais de como o seu projeto está conseguindo impactar todos os grupos que você indicou na pergunta anterior.

Embora não conseguimos ainda atingir de forma concretizada todos os grupos diversos de público, temos exemplos bem satisfatórios de ter impactado no publico estrangeiro e local das comunidades de estudo e vivencias multidisciplinares. Também conseguimos chegar nas diversas comunidades (indígenas, tradicional, de baixa renda, rurais, periférica) que foram atraídos pela nossa mobilização e organização comunitária na que conseguem se espelhar.

16) Como você soube desse desafio?

  • Recomendado por outras pessoas

17) ADAPTABILIDADE: Como sua iniciativa contribui para a resiliência socioeconômica e cultural da comunidade em que você atua? Ou seja, como ela ajudou a comunidade a se adaptar em uma situação de crise como a pandemia da covid-19?

Durante a situação de pandemia ajudamos manter a comunidade unida se abrindo um espaço solidário entre todos nós. O quilombo de Baía Formosa promoveu uma ação social para a entrega de cestas básicas com kit de limpeza, mascaras e álcool em gel entre as família da região que passam por dificuldades em virtude da Covid 19. Estas ações foram o resultado da participação do nosso Quilombo no edital do Habitat que contemplou projetos relacionados aos impactos do novo corona vírus sobre as famílias carentes com o projeto "Costurarte contra a Covid-19". Costureiras do quilombo confeccionaram mascaras para distribuição gratuita para as famílias. Através do projeto QUIPEIA (Quilombo no Projeto de Educação ambiental) distribuímos cestas básicas e pelo Observa Búzios distribuímos frutas entre na comunidade. Neste tempo, também se investiu na pesquisa de editais e estudos para o Quilombo participar.

18) MUDANÇAS SISTÊMICAS: Você diria que sua atuação gera ou visa a mudança sistêmica? Caso sim, por favor explique.

A primeira mudança sistemática foi a própria comunidade se reconhecer como remanescentes quilombolas. Emponderar a comunidade gerou uma mudança na sua percepção dentro do mercado de trabalho local, passando de ser mão de obra nos empreendimentos hoteleiros da região a gerar o seu próprio desenvolvimento econômico, sustentável e autorreferente. Esse trabalho interno, no fortalecimento da identidade quilombola, foi através das experiencias dentro do teatro do Oprimido, fundamentais para quebrar paradigmas religiosos que confundiam as origens ancestrais e que são independentes de qualquer religião. Sobre as mudanças na representatividade nas politicas publicas, a comunidade lutou pelo reconhecimento do segmento de Cultura Tradicional que ampara o Decreto nº 6.040, de 7 de fevereiro de 2007 e institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Tanto assim que o Conselho de Cultura de Búzios tem a a cadeira da Cultura Tradicional representada por uma quilombola da Baía Formosa aqui presente. As nossas ações abriram o dialogo com o poder publico e diferentes instituições, projetos ambientalistas, agencias de turismo, sistemas educacionais, empresas privadas, etc. Novas parcerias com espaços culturais da região impulsionaram experiencias na área do artesanato, artes visuais, artes cênicas ,musica e audiovisual; garantindo assim que as nossas multiples manifestações na arte e ancestralidade se manifestem no mesmo patamar que outras que sempre foram consideradas como únicas exposições da cultura local no nosso município. Outra mudança sistemática que conseguimos realizar e a revitalização que traz o ecoturismo nas nossas terras. Dessa forma se cria uma sorte de proteção ambiental por dar visibilidade ao nosso habitat de fauna e flora nativa, que correm perigo de invasão e depredação.

19) TURISMO COMO VETOR DE DESENVOLVIMENTO: Você consegue exemplificar, a partir da sua experiência, como o turismo pode colaborar localmente para um sistema de criação de valor compartilhado?

Investir na capacitação no vetor de turismo fomentou a valorização da nossa comunidade quilombolas reivindicando os seus costumes, saberes, tradições, ancestralidade. No tocante ao cuidado e preservação do território é onde se foca um novo sistema de criação compartilhada onde o beneficio é comunitário além da própria região quilombola. Assim também abre um novo campo de sistema financeiro e econômico para a cidade toda. Importante mostrar por meio da experiência Faz parte de um grupo de atividades da comunidade.

20) REPLICABILIDADE: Para você, é possível identificar outros projetos que foram inspiradores para sua iniciativa? Em quais aspectos? E como o seu projeto se preocupa em inspirar outras iniciativas e ser replicado em outros contextos? Há alguma estratégia para viabilizar sua replicação?

Outros projetos que nos inspiraram foi o trabalho realizado no projeto do Campinho da Independência em Paraty. Trouxe uma grande motivação para replicar esse trabalho inovador para o município de Búzios e fortalecer o nosso espaço. Aspectos culturais, econômicos e históricos se manifestaram como necessidade urgente para o nosso crescimento como comunidade. Assim, pretendemos inspirar as outras representatividade originais do nosso município, e assim está sendo, como a comunidade de pescadores artesanais e marisqueiras da Rasa, Canto Esquerdo de Geribá e a nossa outra Comunidade Quilombola da Rasa. A estrategia é mostrar com ações o nosso desenvolvimento econômico e representatividade chamando a parceria de toda a sociedade buziana.

21) UTILIZAÇÃO DO PRÊMIO - Caso sua inciativa seja uma das três iniciativas selecionadas para receber o prêmio em dinheiro, como pretende investir o valor recebido?

Nosso investimento é focado em ampliar a nossa sede, equipar a cozinha quilombola, banheiros, sala de reuniões, instalar o escritório e adaptar para receber os turistas, com sinalização das trilhas e demarcar o sitio geológico. Adquirir um veiculo Capacitar para retirar o cadastur Curso de idiomas Investir nas midias sociais Empregar e registrar 5 pessoas

22) a) TURISMO SUSTENTÁVEL: o que é turismo sustentável para você?

Turismo sustentável o considero como uma forma inovadora de lidar com as mudanças que o mundo esta tendo em vários aspectos sócio econômicos e ambientais. O nosso turismo, de base comunitária, esta sustentado numa questão de justiça social.

22) b) TURISMO SUSTENTÁVEL: Com base na sua experiência, quais você considera serem os principais desafios para a implementação de iniciativas de turismo sustentável na atualidade? Quais caminhos você vislumbra para superá-los?

A experiência sustentável já é uma preocupação da comunidade não somente nos aspectos do turismo, mas também manter e valorizar seus costumes, saberes e tradições para as próximas gerações, assim gera emprego e renda através dos valores histórico cultural, reconhecimento e resistência. A comunidade busca pelo equilíbrio para lidar com meio ambiente, como principio e estilo de vida. Essa busca é constante em revisar as próprias praticas e entender como elas podem ser cada vez mais sustentáveis no ponto de vista: econômico, cultural, ambiental e social. Principais Desafios: qualificação, capacitação. Que o turismo seja de qualidade e de baixo impacto ambiental, cuidando de limitar o seu desgaste na quantidade de visitantes nas trilhas e circuitos, assim como a frequência desses passeios.

22) c) TURISMO SUSTENTÁVEL: Quais oportunidades você considera importantes para fortalecer iniciativas de turismo sustentável?

As oportunidades de participar de editais afins a promover este tipo de turismo. Parcerias com empresas privadas que tenham esta sensibilidade. Convênios com entidades publicas tanto como privadas que preservem este olhar sobre o ecoturismo. Dialogo constante com a sociedade local através das mídias sociais e reuniões presenciais. Fortalecimento do conhecimento da preservação ambiental e importância da presença da nossa comunidade nessa caminhada.

Evaluation results

12 evaluations so far

1. IMPACTO: Esta iniciativa demonstra impacto relevante, e com evidências quantitativas e qualitativas?

Com toda certeza. - 41.7%

Sim, há evidências quantitativas e qualitativas de seu impacto na comunidade. - 33.3%

De forma parcial. - 25%

Não, há pouca evidência de resultados de impacto. - 0%

Não. - 0%

2. INOVAÇÃO: Esta iniciativa desenvolveu e implementou uma abordagem inovadora?

Com toda certeza. - 25%

Sim, tem características inovadoras. - 33.3%

De forma parcial. - 33.3%

Não, há pouca evidência demonstrada. - 8.3%

Não. - 0%

3. PLANEJAMENTO FINANCEIRO E OPERACIONAL: A iniciativa tem como base um modelo de negócio viável e mostra planos realistas de longo prazo para a sustentabilidade financeira?

Com toda certeza. - 8.3%

Sim, a iniciativa tem um bom modelo de negócio. - 25%

De forma parcial. - 58.3%

Insuficiente. - 8.3%

Não. - 0%

4. REPLICABILIDADE & CRESCIMENTO: Avalie a escalabilidade da iniciativa. Ela tem potencial de ser replicada em outros contextos sociais, culturais e/ou geográficos?

Com toda certeza. - 8.3%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 33.3%

De forma parcial. - 58.3%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

5. AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO: Uma/um agente de transformação social é alguém que se propõem a lidar e encontrar soluções coletivas para o bem de uma comunidade, um grupo, uma localidade. Queremos saber: essa iniciativa ajuda a inspirar e apoiar outras pessoas a se tornarem agentes de transformação em suas comunidades?

Com toda certeza. - 25%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 66.7%

De forma parcial. - 8.3%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

6. DIVERSIDADE: Esta iniciativa demonstra a inclusão de públicos diversos em sua iniciativa, seja nos parceiros com os quais colabora e/ou na composição de sua equipe?

Com toda certeza. - 50%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 25%

De forma parcial. - 25%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

7. AVALIAÇÃO GERAL: De forma geral, você considera que esta iniciativa deve avançar para a próxima fase do Desafio e se tornar um semifinalista?

Sim, com toda a certeza! - 25%

Sim, acredito que sim. - 16.7%

Talvez. - 50%

Provavelmente não. - 8.3%

Não. - 0%

Attachments (1)

Projeto de pesquisa - Patrick Soares.pdf

Território Quilombola: Formas de r-existência territorial da Comunidade de Baía Formosa. Projeto de estudo apresentado ao programa de pos graduação em serviço social do Centro de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. PUC - RJ, como requisito parcial para a obtenção de grau de mestre . Linha de Pesquisa: Questões sócio ambientais urbana e forma de resistência social.

13 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Paula Rascão
Team

Elizabeth Fernandes Teixeira tenho interesse em divulgar a trilha de vocês e levar pessoas para conhecer o quilombo. Pode me passar seu contato? Parabéns pela iniciativa!

Spam
Photo of Quilombo de Baia Formosa QBF
Team

boa tarde te agradeço pela oportunidade de compartilha nossa ideia ,de ter mais pessoas nos visitando e conhecendo a nossa historia e luta e também nos fortalecendo e formando um grupo que já estão trocando nossas experiência e vivencia este é o contato zap 22999760103 Beth

View all comments