FUNDAÇÃO CASA GRANDE E A REDE DE MUSEUS ORGÂNICOS DA CHAPADA DO ARARIPE

Museu Orgânico, espaço de memória e resistência, das manifestações material e imaterial, dos valores simbólicos, humanos e económicos.

Photo of Casa Grande
13 18

Written by

Nome completo do(a) representante do projeto

Francisco de Assis dos Santos Filho

E-mail

fundacaocasagrandemhk@gmail.com

Nacionalidade

Brasileiro

Gênero

  • Masculino

Data de Nascimento

10041992

Sede da organização (UF)

  • Ceará

Site da organização

www.blogfundacaocasagrande.wordpress.com

Mídias sociais da organização

Instagram - @fundacaocasagrande, Facebook - @fundacaocasagrande, Twitter - @fundacaocasagrande, https://turismocomunitariofcg.wordpress.com/

Data em que você iniciou o projeto

Março / 2012

Estágio do projeto

  • Em expansão (expandindo o impacto para muitos lugares novos ou de várias maneiras novas)

Elegibilidade I: Você atende a todos os critérios de elegibilidade?

  • Sim, eu tenho mais de 18 anos de idade.
  • Sou brasileira/o ou estrangeira/o residente no Brasil.
  • Tenho atuação direta e comprovada no projeto.
  • Não sou funcionário nem familiar de funcionários da Ashoka e da CTG Brasil.

Elegibilidade II: O projeto inscrito:

  • É um projeto já implementado e posso comprovar nas respostas, fotos e documentações a serem apresentadas nesta inscrição..
  • É um projeto que tem como foco pelo menos dois (2) dos quatro (4) pilares do turismo sustentável (social, cultural, ambiental e econômico) descritos na seção "Escopo e áreas de foco".

Ao se inscrever, você concorda que possamos apresentar seu trabalho nas mídias sociais e outras publicações da Ashoka e CTG Brasil, relacionadas ao Desafio?

  • Não, eu não concordo.

1) Viagem pessoal: qual a história por trás da decisão em iniciar este projeto?

A Fundação Casa Grande tem como missão ser espaço de vivência em gestão cultural, para crianças e jovens. Dessa forma, a criação da Rede de Museus Orgânicos da Chapada do Araripe registra a Memória do Sertão, da pré-história a contemporaneidade, provocando confluências metodológicas que fortalecem o trabalho e o aprendizado coletivo, resguardando uma infinidade de signos e símbolos cujo teor é considerado como patrimônio cultural da Chapada do Araripe. Com isso, contribuir para formação e atuação de jovens em novos espaços de trabalho, fomentando o fortalecimento da cadeia produtiva da economia da cultura em toda região do Cariri Cearense, repercute na oferta de produtos e serviços, criativos e inovados, a exemplo: da segmentação do turismo sustentável -cultural, científico, ecoturismo, observação de aves; da hospitalidade; da gastronomia; da moda e dos eventos, possibilitando um conjunto de empreendimentos sociais, geradores de renda para os jovens e suas famílias.

2) O problema: que problema você está ajudando a resolver?

Fortalecer a ideia de justiça distributiva no turismo, de modo que não sejam apenas médios e grandes empresários os beneficiados da cadeia produtiva do turismo no vale da Chapada do Araripe. Ao ser estruturada a rede de Museus Orgânicos do Cariri, como rota turística, os benefícios e resultados repercutirão sobremaneira no conjunto de empreendimentos sociais que compõem a oferta a exemplo de : pousadas domiciliares, artesãos, artistas, restaurantes, cafés, receptivo local e pequenos negócios.

3) Sua solução: como seu projeto responde a esse problema? Compartilhe sua abordagem específica.

A rede de Museus Orgânicos da Chapada do Araripe é gestada no âmbito da Fundação Casa Grande espaço restaurado para abrigar o Memorial do Homem Kariri, em 1992, na cidade de Nova Olinda, Ceará, por Alemberg Quindins e Rosiane Limaverde. O Memorial abriga o acervo arqueológico coletado na região, por meio de doações dos achados pelaos moradores nas suas propriedades rurais. Assim gradativamente, por meio da arqueologia, crianças e jovens foram orientados e formados tendo como fundamentos outras linguagens e expressões da cultural, valores e ética da solidariedade e da economia colaborativa, assim vão constituindo empresas sociais que promovem a geração de renda familiar e expandem outros e novos negócios no território surgindo o conceito já reconhecido e comprovado, em âmbito acadêmico, a Arqueologia Social Inclusiva. No modelo de turismo sustentável, de base comunitária, é possível identificar os princípios e acordos que ocorrem na gestão coletiva, a exemplo da transparência no uso e destinação dos recursos sejam financeiros, humanos. A importância e dimensão do universo da cultural do Kariri e a renomada reputação da Fundação Casa Grande possibilitaram que a Instituição liderasse a preparaçao do dossiê a ser encaminhado ao IPHAN solicitando inscrição na Lista Indicativa Brasileira da proposta de candidatura para o reconhecimento internacional, como patrimônio cultural e natural, da Chapada do Araripe. O conceito da rede de Museu Orgânico está incorporada ao Dossiê.

4) Que tal incluir um vídeo sobre sua iniciativa?

A iniciativa propõe a produção de conteúdo; possibilitar o aumento da permanência do visitante; gerar novos serviços que garantam a distribuição equaneme de renda por meio da prática do turismo responsável com ênfase no Patrimônio - cultura e natural-, na Chapada do Araripe, notoriamente Território de surpreendente atributos, tangíveis e intangíveis.

5) Atividades: Destaque as principais atividades que você realiza no dia-a- dia do seu projeto.

A 27 a Fundação Casa Grande vem construindo a identidade cultural do cariri trabalhando a inclusão social e o desenvolvimento econômico através do Turismo Sustentável. Na Fundação a mais simples atividade no seu cotidiano a exemplo do momento que abre suas portas- limpeza, jardinagem, recepção, guiamento, àquelas mais complexas como a definição dos conteúdos transmitidos, o planejamento institucional, a formulação de projetos dentre outras, são realizadas, mensuradas, qualificadas e avaliadas de forma coletiva e cooperadas, momento de aprendizagem. Um mestre pode ser uma criança que aponta como pode ser feito o melhor, nas trocas e responsabilidades. Espaço de criar, gestar, gerir com generosidade, ludicidade e felicidade, todos fazem parte de um coletivo múltiplo e diversos em habilidades e potencialidades.

6) Inovação: Qual inovação sua iniciativa está desenvolvendo ou adaptando para solucionar problemas na área do turismo? Como se diferencia de outras iniciativas no setor?

O modelo de inovação na operacionalização da cadeia produtiva do turismo sustentável, de base comunitária, se dá a partir da Educação Infantil que é o “jardim da infância da gestão do turismo” onde as atividades lúdicas desenvolvidas no Memorial do Homem Kariri formam os pequenos gestores. No início da Fundação, percebeu-se a eminente necessidade de acolher as crianças e os jovens da região, que enfrentavam a falta de perspectiva de vida e a necessidade de inclusão sociocultural, vivendo à margem da sociedade brasileira, sem ter acesso às informações, ao conhecimento e conteúdo de qualidade e a uma formação humana e cidadã integral, já que a escola pública formal não supri todas essas carências. O desafio foi o de sistematizar uma ação educativa que proporcionasse a esses meninos e jovens ferramentas formadoras para a ampliação do repertório cultural, gerando perspectivas e oportunidades de inclusão social e geração de renda por meio da profissionalização. Tudo isso só foi possível pelo acesso, vivência e internalização de novos saberes e conteúdos em assuntos como: memória, comunicação, identidade, patrimônio, mitologia, arqueologia, turismo sustentável, gestão cultural, empreendedorismo social, economia solidária, meio ambiente, livro e leitura, artes e cidadania. A diferença é não buscar modelos e sim trocas de conteúdo, colaboração, orientações, com isso se constituiu informalmente uma rede de “amigos da Casa Grande” que, quando demandados, suprem as carências.

7) a) Pilares do Turismo sustentável: Quais dos seguintes pilares do Turismo Sustentável o seu projeto contempla?

  • Social - iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.  
  • Cultural - iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais.  
  • Ambiental - iniciativas que reduzam o impacto ambiental, que ofereçam soluções de compensação, que cuidem da conservação e do uso de recursos naturais, que se proponham a regenerar áreas degradadas e que promovam educação e sensibilização ambiental.     
  • Econômico - iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais.  

7) b) Pilares do Turismo Sustentável: explique como os pilares que sinalizou na pergunta anterior estão presentes na implementação do seu projeto.

A Rede Museus Orgânicos, físico e virtual, tem a arte de reunir todos os sentidos. O passado e o futuro estão presentes, estão livres para criar e recriar o belo, compor existências livres e solidárias. Os espaços de vivência dos museus são todos equipados e formam uma rede interna de comunicação. Cada museu possui seu acervo, produções e atendimentos registrados e sistematizados pelos/as Mestres e jovens gestores dos espaços. E uma iniciativa de turismo sustentável, de base comunitária, que protege a natureza, o patrimônio, as tradições e colabora com as pessoas e a economia do lugar onde estão inseridos. A essência dos museus orgânicos está no baixo impacto ambiental, promove o emprego de mão de obra e de fornecedores locais, o uso consciente dos recursos naturais e a valorização dos patrimônios naturais e culturais dos lugares. As propostas sempre foi criação, ampliação ou melhorias: em pousadas e meios de hospedagem, receptivo, roteiros de viagem, passeios, restaurantes, ateliês, lojas e outros atrativos e serviços relacionados ao turismo são premissas os valores e princípios da economia solidária e do turismo sustentável que propõem fortalecer e capacitar as redes de prestadores de serviços locais.

8) Impacto: quais impactos seu projeto causou até agora? Considere impactos internos na estabilidade da sua organização e externos em relação ao pilares do turismo sustentável, utilize dados

A Rede proporciona a região além do recursos financeiros, circula uma moeda de valor intangível que só o turismo sustentável e de base comunitária pode proporcionar. A sistematização dos indicadores aponta para o caráter formador, qualitativo, quantitativo, distributivo e dinâmico que as manifestações culturais possibilitam nas pequenas comunidades, medindo além do dinheiro, também, a formação de redes de produção capazes de gerar produtos e serviços inclusivos, o verdadeiro significado de desenvolvimento. Os parâmetros definidos para dar visibilidade às ações, os recursos técnicos, financeiros e materiais e também resultados confirmam que os indicadores construídos vão além do crescimento da Rede de Museus Orgânicos, vão além de meramente informar aos apoiadores, “amigos”, comunidade da Chapada do Araripe, gestores públicos e em particular a “meninada” da Fundação. Os indicadores de processos e de resultados, aqui apresentados, propõem avaliar novos parâmetros possíveis onde, criatividade, liberdade, conteúdo, erudição, percepção estética, felicidade, são componentes mensuráveis a partir de um turismo Sustentável.

9) Estratégias de crescimento: Quais são seus planos para fomentar o crescimento de sua iniciativa?

A relação entre a Fundação e a comunidade é constante, sendo que suas práticas têm influenciado as políticas públicas em âmbito municipal, estadual e federal. A repercussão dos trabalhos desenvolvidos pela Fundação, apoiando e promovendo um turismo sustentável de base comunitária, o Ministério do Turismo reconheceu Nova Olinda, entre os 65 municípios indutores do turismo no Brasil, direcionando responsabilidades e recursos para estruturar a região para acolher turistas nacionais e internacionais. Consequentemente, fomentou o trabalho municipal na direção das benfeitorias e benefícios para o município e sua população. A perspectiva da Chapada do Araripe ser reconhecida como patrimônio cultural e natural da humanidade exige aperfeiçoar as ações focadas nas expressões culturais locais e territoriais, contribuindo para a construção de mecanismos de apoio junto às comunidades, para uma melhor compreensão e que sejam alcançados um efetivo reconhecimento e fortalecimento das demandas locais.

10) Colaboração: como a sua iniciativa colabora com outros atores (governos, universidades, empresas, associações da sociedade civil) para fazer a diferença? Você realiza alguma parceria?

Destaca-se que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 2009, declara a Fundação Casa Grande “Casa do Patrimônio da Chapada do Araripe” por sua experiência de gestão criativa. Posteriormente as regras foram alteradas e tornam-se “Casa do Patrimônio” iniciativas governamentais. No contexto territorial e local a Fundação integra conselhos municipais e territoriais, redes de relacionamentos locais e regionais, nacionais (Rede TURISOL) e internacionais (Portugal, Itália, Angola e Moçambique). A Fundação abriga o Instituto de Arqueologia do Cariri Dra. Rosiane Limaverde, parceria com Universidade Regional do Cariri(URCA), Universidades Federal do Piauí e Coimbra (Portugal) promovendo o incentivo a pesquisa, guarda e musealização arqueológica. O maior reconhecimento, nos âmbitos acadêmico e científico, para com a Fundação Casa Grande se dá pela parceria com a URCA na realização do Curso de Especialização em Arqueologia Social inclusiva tendo como apoiado o GeoPark.

11) Inspirar novos agentes de transformação: você tem influenciado outras organizações e pessoas a se envolverem no seu projeto e/ou a se preocuparem com o Turismo Sustentável? Se sim, como?

A iniciativa possibilita ampliar a cooperação e parcerias, demonstrar que as demandas de recursos são baixas, em relação aos serviços gerados e, não menos importante, avaliar a capacidade de criar independente das condições, quer sejam ótimas ou adversas. A capacidade de articulação da Fundação Casa Grande, possibilitou mobilizar a cooperação da Universidade de Coimbra, do GeoPark Araripe e do Serviço Social do Comercio (SESC) que agregaram aportes materiais e de conteúdo possibilitando a implantação de novos museus, proporcionando uma ampliação da Rede de Museus Orgânicos e realização de uma seminário internacional com intuito de mobilizar para o encaminhamento da candidatura do Cariri como Patrimônio da Humanidade, com rica em intercâmbios culturais, com diversidade de percepções sobre os temas abordados, variados níveis de capacitação técnica profissional para os jovens gestores participantes e para o público de 5.000 participantes.

12) a)Quais dos seguintes recursos sua organização obteve até o momento?

  • Suporte de amigos
  • Apoio da família
  • Vendas
  • Mentores / conselheiros
  • Participação em programas de incubação e aceleração
  • Prêmios
  • Parceria com a iniciativa privada

12) b) Planejamento Financeiro: como você planeja financiar o seu projeto a curto, médio e longo prazo?

A primeira prática é a da gestão financeira da Casa Grande, onde as crianças e jovens gestores dos laboratórios iniciaram, em dezembro de 2011, a formulação de planilhas contendo as necessidades de materiais e investimento para a sustentabilidade financeira das unidades. Destaca-se que há três níveis de demandas, definidas como “planos”. O Plano A é a situação ótima, todas as necessidades atendidas. O Plano B exclui itens para reduzir os recursos financeiros. Plano C, criar com as condições mínimas, materiais e financeiras. Os termos do edital e os critérios de avaliação, onde estão formulados os questionamentos sobre histórico, gestão, relações com a comunidade possibilita refletir e registrar a essência e princípio da Fundação Casa Grande: cultura como economia e cultura como ação libertadora. Os resultados até aqui apresentados demonstram que os custos estão compatíveis com as metas e atividades propostas. A experiência de gestão financeira das atividades da Fundação, tem com 60% de investimento, 30% de serviços e 10% de doações, por ser compatível com as necessidades e demandas institucional, de se trabalhar com o menor custo benefício, considerando a capacidade de atendimento/visitação/hospitalidade, registrada em 2019, em torno de 75.000 mil pessoas e as necessidades de manutenção e funcionamento das oficinas laboratoriais no desenvolvimento do projeto para movimentar a cadeia produtiva da cultura no Município de Nova Olinda e região.

12) c) Quanto você já investiu no seu projeto para a operação deste ano?

  • Investimento entre R$50.000 e R$100.000

12) d) Qual é o orçamento necessário para o funcionamento do seu projeto durante 1 ano?

  • acima de R$ 50.000

13) Equipe: qual é a atual composição da sua equipe (papéis, qualificação, tempo integral x temporários, etc)? Como essa composição se transformará no futuro do seu projeto?

O programa de empreendedorismo social, tem garantido a permanência dos jovens formados pela Fundação Casa Grande no município, ao mesmo em tempo que os conecta com o mundo, gerando estabilidade profissional e o associativismo entre eles em prol de benefícios para a rede que garantam sua manutenção bem como as atividades socioeducativas da fundação. Este núcleo de inovação e empreendedorismo social de jovens, geram em outros jovens da comunidade, por meio de suas práticas na dinâmica institucional e seus trabalhos profissionais, potencialidades e competências sociais que despertam vocações produtivas nas áreas do turismo, produção cultural, gastronomia, entre outros. O aprender a fazer, o aprender fazendo, o aprender comunicar, o aprender negociar com imaginação criadora, o aprender que a experiência humana tenha sentido, o aprender que a educação e cultura são constitutivos da existência, são elementos fundamentais para a economia da cultura, exercício diário na Fundação.

14) Diversidade na equipe: descreva a diversidade de sua equipe e inclua informações sobre a distribuição de cargos.

A Rede conta com a expertise e cooperação de membros da Casa Grande, nas demandas que se fazem necessárias, entretanto, inicialmente, nos conteúdos de planejamento, ações pedagógicas, transferência de conhecimento, se destacam: Francisco Alemberg de Souza Lima – Curadoria - Fundador da Fundação Casa Grande-Memorial do Homem Kariri. Fabiana Barbosa - Coordenação Geral - Graduada em Serviço Social e Gestora Cultural da FCG Aécio Diniz – Oficineiro - Graduação em Artes Visuais, Universidade Regional do Cariri. Músico, produtor cultural e musical. Gerente Casa Grande FM. João Paulo Maropo – Planejamento - Graduando em Ciências Biológicas e membro do Instituto de Arqueologia do Cariri. Francisco de Assis dos Santos Filho – Turismólogo - Graduação em Turismo e Mestrando em Turismo, Coordenador do Programa de Turismo Responsável da FCG. Heloisa Bitú – Arqueóloga - Mestrado em Arqueologia. Lucineide Marquis – Arqueóloga - Mestrado em Arqueologia.

15) a) Diversidade do público de sua iniciativa: o seu projeto tem como foco específico algum dos seguintes grupos?

  • Comunidade de pessoas com deficiência
  • Minorias étnicas
  • Comunidade negra
  • Comunidade de baixa renda
  • Comunidade rural
  • Comunidade periférica
  • Comunidade quilombola
  • Outra Comunidade Tradicional

15) b) Diversidade de público da iniciativa: Dê exemplos reais de como o seu projeto está conseguindo impactar todos os grupos que você indicou na pergunta anterior.

A prática vivida na Rede de Museus Orgânicos, é a das relações centradas na ética pedagógica, no sentido do coletivo, na pesquisa, no bom senso, na tolerância, na esperança, na curiosidade, na disponibilidade, no respeito às diferenças. Portanto, são relações de trocas, abertas e aptas para a produção de conhecimentos, espaço que acolhe, produz, promove, cria, transforma, respeita e garante o acesso à cultura fundamentada em sua essência, a diversidade.

16) Como você soube desse desafio?

  • Indicação de um Fellow Ashoka

17) ADAPTABILIDADE: Como sua iniciativa contribui para a resiliência socioeconômica e cultural da comunidade em que você atua? Ou seja, como ela ajudou a comunidade a se adaptar em uma situação de crise como a pandemia da covid-19?

O tempo de isolamento e de luta pela sobrevivência possibilitaram refletir sobre como todos que dão voz, que urdem, tramam, tecem, moldam, criam, recriam, fazem circulara, preservar, manter vivo o vasto território da Chapada do Araripe. Estarmos em diálogo refletindo, com cada um, no seu campo de produto ou serviço que compõe a cadeia do turismo. Reuniões virtuais, esporadicamente algum atendimento presencial para suporte de emergência, guardando todos os requisitos de segurança, foram realizados. Com os museus dialogando sobre normas, e esclarecendo procedimentos. As pousadas domiciliares, por se constituir uma renda complementar o tempo de espera é suportável, todavia reflexões sobre atitude futuras de segurança da família e do hospede. Os agricultores sentiram menos os impactos, pois se ajustaram às entregas de produtos diretamente aos consumidores locais. Todos os envolvidos receberam kits de higiene, fornecido por empresa local. O que virá ainda vamos aprender, mas atentos hoje para as atitudes que constituem a segurança do coletivo. Muito importante nesse momento as iniciativas se faz necessário viver e buscar o ambiente e os seus conteúdos, tanto nos momentos de troca de conhecimento: vivencia, rodas de conversa; como nos momentos em que o ritual dos espaços está sendo praticadas pelos seus membros, os momentos fortuitos e espontâneos de troca.

18) MUDANÇAS SISTÊMICAS: Você diria que sua atuação gera ou visa a mudança sistêmica? Caso sim, por favor explique.

Tudo é velho hoje, os cuidados e atitudes de segurança e saúde devem ser introspectados buscando o bem comum existência em sentido da existência humana. Até aqui inovamos no diálogo determinado pelo isolamento, não nos calamos. A Casa Grande realizou reuniões virtuais, webinários de modo que cada relato trouxe as experiências, as perspectivas, o que estão a fazer, com quais meios e estímulos para qualificarmos os negócios da cadeia produtiva do turismo na Chapada do Araripe - instalação de novas hospedagens e a ampliação de polo gastronômico; os museus orgânicos como equipamentos culturais com cuidados de segurança para a família e para o visitante; os agricultores com cuidados com a segurança alimentar; os operadores, guias, agência refletindo sobre circuitos curtos e consórcios regionais; as crianças e jovens em suas casas participam do movimento. O diálogo está possibilitando construir conteúdos de segurança a ser apresentado ao Comitê que elabora o dossiê da Candidatura da Chapada do Araripe Patrimônio dá Humanidade.

19) TURISMO COMO VETOR DE DESENVOLVIMENTO: Você consegue exemplificar, a partir da sua experiência, como o turismo pode colaborar localmente para um sistema de criação de valor compartilhado?

O projeto Fundação Casa Grande e a Rede de Museus Orgânicos não só integra como têm papel fundamental na promoção do desenvolvimento humano, com a salvaguarda dos bens culturais e naturais do Chapada do Araripe; no aprofundamento de estudos sobre território, bioma e a valorização da cultura popular, os fazeres, saberes e memórias, os centros históricos, e a identidade de uma população cheia de encantamento na região do Cariri cearense. A Fundação com este projeto garante ampliar os mecanismos de salvaguarda do patrimônio cultural, de modo científico e afetivo, assim colaborando diretamente com o desenvolvimento humano, social, econômico, ambiental, turístico e cultural da população carirense. Esta proposta está intrinsecamente ligada à ação educativa, articulação institucional da gestão compartilhada com a participação da sociedade civil, visando a contribuição ao desenvolvimento social, ambiental e econômico para toda comunidade, gerando impacto direto a populações mais vulneráveis e pautadas nos parâmetros e atitudes exigidos em tempos. Daqui, do sul do Ceará, do sul global, cultura produzida. Sua sustentação permeia na fé, na fauna, na flora e o nossos mistérios dos ancestrais Kariri, sua memória corre como água que transborda memoria e pertencimento e pede passagem para o pertencimento.

20) REPLICABILIDADE: Para você, é possível identificar outros projetos que foram inspiradores para sua iniciativa? Em quais aspectos? E como o seu projeto se preocupa em inspirar outras iniciativas e ser replicado em outros contextos? Há alguma estratégia para viabilizar sua replicação?

Sem arrogância ou prepotência desconhecemos iniciativas no Brasil em relação a um circuito com rede de museus Orgânicos. Na Rede, as crianças e os jovens são os criadores, produtores, gestores e beneficiários (junto com suas famílias) em todas as fases dos processos. A Fundação Casa Grande, com o objetivo de proporcionar o acesso de outros estratos sociais à sua tecnologia de desenvolvimento comunitário, criou o programa de Turismo Sustentável. Esse programa, inspirado nos princípios de um turismo solidário, abriu à pesquisa os laboratórios de conteúdo da Fundação para o público de turistas visitantes, ampliando o atendimento da Rede de Museus Orgânicos a turistas de outros Estados brasileiros, chegando também a outros países, gerando novas oportunidades de intercambio institucional e demanda turística. Hoje com os intercâmbios institucionais nos espaços físicos internos dos Museus Orgânicos vem sendo formatado para um turismo de conteúdo e possibilidade de residência artística, período em que o pesquisador tem acesso ao acervo físico ao bem patrimonial, tornando acessível o aprofundamento das técnicas, materiais, conteúdo simbólico e ritualísticos da identidade cultural do povo kariri interagindo com as atividades desenvolvidas nos espaços da produção cultural.

21) UTILIZAÇÃO DO PRÊMIO - Caso sua inciativa seja uma das três iniciativas selecionadas para receber o prêmio em dinheiro, como pretende investir o valor recebido?

O projeto possibilitará que Fundação instale sistema de segurança no Memorial do Homem Kariri – hidrantes e elétrico- considerando a redução de riscos e a importância da auto sustentabilidade por meio da eficiência energética – energia solar- como forma de garantir a salvaguarda dos acervos e artefatos para que não sejam deterioradas e perdidas as referências documentais e identitárias da Chapada do Araripe.

22) a) TURISMO SUSTENTÁVEL: o que é turismo sustentável para você?

Turismo sustentável tem lastro na diversidade cultural e nos valores humanos, geradores de riqueza, essência e proposito do método científico definido no conceito da arqueologia social inclusiva. A moeda não é recebida, é trocada! Os valores não geram riquezas, geram nobreza! É o turismo do presente… e é tão do presente que no futuro as palavras turismo e turistas incomodarão tanto quem recebe quanto quem é recebido. É uma visita à verdade que cada um tem pra mostrar e pra contar ao outro. Não é um turismo que busca estrelas… ele é a estrela! O Turismo Sustentável é por mim entendido como a convergência entre o homem, o meio, a produção material e simbólica, as riquezas geradas, é cultura, atributos e valores mantidos por redes humanas, éticas, cooperadas, solidarias e focadas na cultura da paz. Turismo Sustentável perpassa o ancestral e as correntezas da água, e, por isso, os patrimônios culturais revelam reverberam no nosso tempo nas formas como vivemos e processamos nossa história.

22) b) TURISMO SUSTENTÁVEL: Com base na sua experiência, quais você considera serem os principais desafios para a implementação de iniciativas de turismo sustentável na atualidade? Quais caminhos você vislumbra para superá-los?

A Fundação Casa Grande trabalha na perspectiva do turismo sustentável disseminando conhecimento e formando crianças e jovens, por meio dos laboratórios de conteúdo - Gibiteca, DVDteca, Biblioteca, Discoteca, estúdio de rádio e de gravação, um teatro – garantindo qualidade e profundidade no conhecimento. Divulgar o trabalho da Casa Grande se faz por redes sociais, rede de amigos e por quem aí passa. Regularmente os eventos que ocorrem na Casa se constituem espaços de formação para as crianças e jovens por meio de diálogos formativos e informativos. Nessa perspectiva o grande desafio é buscar orientações, recursos técnicos e financeiros que assegurem adequar, capacitar, realizar intercâmbio de experiencias, promoção de eventos, produzir materiais audiovisuais que ampliem o nível de informação, conteúdo, quanto as inovações, segurança e credibilidade dos arranjos produtivos local e territorial que surjam em decorrentes da pandemia. De tal modo, as ações propõem articulações, refletir e debater sobre patrimônio na perspectiva de permanência no território. O sentido da Fundação Casa Grande com a Rede de Museus Orgânicos é dar voz e vez para quem, do local ao territorial, materializa a identidade cultural do Cariri trabalhando a inclusão social e o desenvolvimento econômico por meio do turismo sustentável, de base comunitária.

22) c) TURISMO SUSTENTÁVEL: Quais oportunidades você considera importantes para fortalecer iniciativas de turismo sustentável?

Reafirmar a identidade cultural do Cariri trabalhando a inclusão social e o desenvolvimento econômico por meio do turismo responsável. Estimular e qualificar os negócios da cadeia produtiva do turismo e da economia criativa; viabilizar a instalação de energia solar na sede, pousadas, propriedades rurais, museus orgânicos; criar fundo rotativo de crédito para apoiar capital de giro dos pequenos negócios; possibilitar viagens de intercâmbio para conhecer e vivenciar experiências; estimulara coleta seletiva e reciclagem de lixo; estimular criação de operadora turística; promover eventos técnicos e científicos; realizar pesquisa científica e formação acadêmica e, ampliação de rede de Museus Orgânicos, no território. Realizar estudo periódico dos impactos sócio, econômico, cultural da cadeia produtiva do turismo - atrativos, produtos, serviços, postos de ocupação e renda, lazer, etc. de modo criar série histórica dos atributos e impactos em área de patrimônio cultural, ambiental. O fortalecimento do turismo sustentável está em compartilhar ferramentas capazes de favorecer a conexão entre turista e comunidade, tendo em vista as etapas de planejamento, realização e avaliação da iniciativa e atrativos turísticos, por meio de análises da realidade, apresentação de metodologias e resultados de pesquisas, bem como processos de trabalho coletivos e colaborativos. Buscar, também, proporcionar vivências que estimulem a articulação entre os aspectos locais e globais e as realidades cotidianas de criação e produção por meio dos atrativos, vivencia e produtos turístico.

Evaluation results

11 evaluations so far

1. IMPACTO: Esta iniciativa demonstra impacto relevante, e com evidências quantitativas e qualitativas?

Com toda certeza. - 45.5%

Sim, há evidências quantitativas e qualitativas de seu impacto na comunidade. - 54.5%

De forma parcial. - 0%

Não, há pouca evidência de resultados de impacto. - 0%

Não. - 0%

2. INOVAÇÃO: Esta iniciativa desenvolveu e implementou uma abordagem inovadora?

Com toda certeza. - 36.4%

Sim, tem características inovadoras. - 63.6%

De forma parcial. - 0%

Não, há pouca evidência demonstrada. - 0%

Não. - 0%

3. PLANEJAMENTO FINANCEIRO E OPERACIONAL: A iniciativa tem como base um modelo de negócio viável e mostra planos realistas de longo prazo para a sustentabilidade financeira?

Com toda certeza. - 27.3%

Sim, a iniciativa tem um bom modelo de negócio. - 63.6%

De forma parcial. - 9.1%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

4. REPLICABILIDADE & CRESCIMENTO: Avalie a escalabilidade da iniciativa. Ela tem potencial de ser replicada em outros contextos sociais, culturais e/ou geográficos?

Com toda certeza. - 36.4%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 54.5%

De forma parcial. - 9.1%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

5. AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO: Uma/um agente de transformação social é alguém que se propõem a lidar e encontrar soluções coletivas para o bem de uma comunidade, um grupo, uma localidade. Queremos saber: essa iniciativa ajuda a inspirar e apoiar outras pessoas a se tornarem agentes de transformação em suas comunidades?

Com toda certeza. - 45.5%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 54.5%

De forma parcial. - 0%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

6. DIVERSIDADE: Esta iniciativa demonstra a inclusão de públicos diversos em sua iniciativa, seja nos parceiros com os quais colabora e/ou na composição de sua equipe?

Com toda certeza. - 45.5%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 54.5%

De forma parcial. - 0%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

7. AVALIAÇÃO GERAL: De forma geral, você considera que esta iniciativa deve avançar para a próxima fase do Desafio e se tornar um semifinalista?

Sim, com toda a certeza! - 45.5%

Sim, acredito que sim. - 54.5%

Talvez. - 0%

Provavelmente não. - 0%

Não. - 0%

13 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Salvador
Team

Olá equipe Casa Grande,
O Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima é uma iniciativa que tem como propósito implantar na atividade turística a compensação de emissões de Gases de Efeito Estufa geradas pelo trade turístico e pelos turistas, algo que será cada vez mais necessário para responder à crise climática. Os recursos da compensação financiam um conjunto de ações voltadas à conservação e restauração de florestas, à inclusão socioeconômica de grupos sociais vulneráveis e ao enfrentamento à crise climática.
Após 10 anos testando, avaliando e aprimorando o protótipo nosso próximo passo é replicar a iniciativa para outras regiões do Brasil. Nossa estratégia na replicação é estruturar uma rede de Ongs e instituições interessadas em executar o programa em suas regiões, adaptando-o às realidades locais. Vamos capacitar e assessorar as instituições para que se apropriem do conceito, metodologia e do funcionamento do programa, dando suporte técnico e operacional durante o tempo necessário à sua implantação.
Com a estruturação da Rede Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima existe um potencial enorme para desencadearmos um poderoso movimento no país em prol do clima, das florestas, da agricultura ecológica, do combate à pobreza no meio rural e da vida, gerando mudanças socioambientais sistêmicas e profundas a partir do turismo.
Envolver as iniciativas semifinalistas do Desafio de Inovações em Turismo Sustentável na Rede Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima será algo fantástico para iniciar a replicação. Neste sentido, queremos convidá-los a conhecer a iniciativa com mais propriedade e havendo interesse em participar da Rede entrar em contato através do email salvador@mecenasdavida.org.br ou pelo WhatsApp 73 999646444
https://network.changemakers.com/challenge/turismosustentavel/edicao/turismo-co2-legal-guardioes-do-clima
Gratidão pela escuta e fiquem bem.
Salvador e equipe Mecenas da Vida

View all comments