Novo Encanto Expedições

Através de expedições turísticas sustentáveis, promover experiências e desenvolver o empreendedorismo e a capacitação das comunidades locais

Photo of Anaís Pinheiro Machado Serkeis
20 30

Written by

Nome completo do(a) representante do projeto

Carcius Azevedo dos Santos

E-mail

diretorexecutivo@novoencanto.org.br

Nacionalidade

Brasileiro

Gênero

  • Masculino

Data de Nascimento

1111962

Sede da organização (UF)

  • Distrito Federal

Site da organização

www.novoencanto.org.br

Mídias sociais da organização

Instagram: https://www.instagram.com/novoencantoeco/ Facebook: https://www.facebook.com/NovoEncantoEcologia Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCC3e3s8AtGgbtzqYn3CgmMQwww

Data em que você iniciou o projeto

A 1ª Expedição Novo Encanto foi realizada em Fevereiro de 2006

Estágio do projeto

  • Em expansão (expandindo o impacto para muitos lugares novos ou de várias maneiras novas)

Elegibilidade I: Você atende a todos os critérios de elegibilidade?

  • Sim, eu tenho mais de 18 anos de idade.
  • Sou brasileira/o ou estrangeira/o residente no Brasil.
  • Tenho atuação direta e comprovada no projeto.
  • Não sou funcionário nem familiar de funcionários da Ashoka e da CTG Brasil.

Elegibilidade II: O projeto inscrito:

  • É um projeto já implementado e posso comprovar nas respostas, fotos e documentações a serem apresentadas nesta inscrição..
  • É um projeto que tem como foco pelo menos dois (2) dos quatro (4) pilares do turismo sustentável (social, cultural, ambiental e econômico) descritos na seção "Escopo e áreas de foco".

Ao se inscrever, você concorda que possamos apresentar seu trabalho nas mídias sociais e outras publicações da Ashoka e CTG Brasil, relacionadas ao Desafio?

  • Sim, eu concordo.

1) Viagem pessoal: qual a história por trás da decisão em iniciar este projeto?

A preservação do Seringal Novo Encanto, adquirido na década de 1990, foi o propósito inicial da criação da Associação Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico. A idéia das expedições turísticas surgiu como uma forma de promover a conservação dos 3.400 hectares do seringal. De 2006 pra cá, já realizamos 24 Expedições, com um total aproximado de 1.200 pessoas de diferentes regiões do Brasil e também de alguns países como Estados Unidos, Portugal e Espanha. Essas expedições estão sendo fundamentais para a conservação dessa área de floresta amazônica nativa, no município de Lábrea (AM) que é um ponto crítico de expansão da fronteira agrícola na região. Durante esses 15 anos, a associação desenvolveu, em parceria com o Centro Espírita Beneficente União do Vegetal (CEBUDV), entidade beneficente originária no povo seringueiro, um modelo de negócios inovador e empreendedor, que hoje tem maturidade para ser aplicado em outras localidades brasileiras, criando renda e inclusão social.

2) O problema: que problema você está ajudando a resolver?

Em algumas regiões, especialmente no entorno da unidades de conservação, verificamos a diminuição de fontes de renda sustentáveis e um aumento no uso exploratório dos recursos naturais. No turismo, o problema agrava-se devido a baixa educação formal e pouco incentivo ao empreendedorismo, tornando quase inexistente o mercado de turismo de base comunitária e a existência de operadoras que trabalhem com esse segmento, dificultado ainda mais a comercialização e sustentabilidade desses roteiros.

3) Sua solução: como seu projeto responde a esse problema? Compartilhe sua abordagem específica.

O Projeto Novo Encanto Expedições possui 4 estratégias I: Oferecer experiências transformadoras para os visitantes através de vivências ambientais, culturais e de interação com as comunidades locais; II: Fomentar o empreendedorismo e capacitar os parceiros locais a desenvolverem roteiros turísticos comunitários sustentáveis; III: Criar um “hub" de oportunidades de turismo sustentável através de uma plataforma digital; IV: Apoiar no elo mais vulnerável dos roteiros de base comunitária que é a comercialização e capitação de clientes. Para execução temos como princípios: 1. Despertar da consciência; 2. Conservação ambiental; 3. Protagonismo comunitário; 4. Parcerias locais; 5. Formação e capacitação continuada dos atores locais; 6. Conectar populações de diversas camadas sociais; 5. Empreendedorismo social com geração de benefícios para comunidades economicamente vulneráveis; 7. Inclusão social focada em jovens e mulheres; 8. Voluntariado. Assim, o projeto tem como objetivo promover a expansão da conscientização humana, a conservação da biodiversidade e a valorização do saber local, através de vivências na natureza e práticas educativas com o respeito às diferentes formas de expressão, dando destaque às comunidades e saberes tradicionais. O modelo empreendedor gera oportunidades para que jovens e mulheres, em especial, possam se desenvolver e se capacitar de forma digna, criando mais renda e inclusão social.

4) Que tal incluir um vídeo sobre sua iniciativa?

O Programa Novo Encanto Expedições é a expansão das Expedições ao Seringal NE por todo o Brasil trazendo a valorização de saberes locais com a atuação e o reconhecimento das comunidades locais, ao mesmo tempo que é gerado maior valor socioambiental da região, trabalho em parceria entre entidades locais e melhoria na qualidade de vida.

5) Atividades: Destaque as principais atividades que você realiza no dia-a- dia do seu projeto.

Nesse estágio de expansão do projeto: Lançamos Edital em 2019. Já foram selecionados 27 projetos e 54 “piloteiros" locais. Já realizamos capacitações: 1. COMUNICAÇÃO: Promoção e divulgação; 2. ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO: 2.1 Elaboração de planilha financeira; 2.2 Organização e método de trabalho; 2.3 Definição de atribuições para gerir as inscrições; 2.4 Definição de conteúdo na formação de segurança no trabalho; 3. ELABORAÇÃO DOS ROTEIROS: 3.1 Passo a passo na elaboração de roteiro; 3.2 Metodologia de controle de qualidade 3.3 Contrato do participante, autorização para menores; 3.4 Legado dos expedicionários como retribuir para a comunidade local; 4. INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL; 5 GUIAGEM EM TRILHA E PROTOCOLOS DE SEGURANÇA 5.1 Protocolos de Medidas Sanitárias. Desenvolvimento de materiais de divulgação (ex: vídeo promocional) e convênios de cooperação técnica local para a execução do programa entre a Associação Novo Encanto e cada Núcleo participante do CEBUDV.

6) Inovação: Qual inovação sua iniciativa está desenvolvendo ou adaptando para solucionar problemas na área do turismo? Como se diferencia de outras iniciativas no setor?

A inovação do projeto Novo Encanto Expedições é a expansão da iniciativa consolidada no Seringal Novo Encanto para todo o Brasil através de 4 pilares: 1.Oferecer experiências transformadoras para os visitantes através de vivências ambientais e culturais e da interação com as comunidades locais; 2. Fomentar o empreendedorismo e capacitar os parceiros locais a desenvolverem bons roteiros turísticos valorizando vivências com a natureza, a cultura e o povo local; 3. Criar um “hub" de turismo sustentável através de uma plataforma digital; 3. Apoiar no elo mais vulnerável dos roteiros de base comunitária que é a comercialização e capitação de clientes; Nosso diferencial é a cooperação técnica com o Centro Espírita Beneficente União do Vegetal, e as iniciativas são incubadas junto a um dos 216 núcleos espalhados pelo Brasil priorizando mulheres e jovens em situação de vulnerabilidade econômica mas que possuem espírito com potencial empreendedor. Esses “piloteiros” são escolhidos pela comunidade para gerenciarem as ações que irão gerar benefícios individuais e coletivos. Inicialmente, a Associação NE irá fazer a comercialização dos roteiros junto aos 27 mil participantes do CEBUDV até que as iniciativas possam criar suas associações, microempresas ou agências locais de turismo sustentável, a partir da articulação em Rede de Turismo Sustentável formada por diferentes grupos que estão localizados nessas regiões do país.

7) a) Pilares do Turismo sustentável: Quais dos seguintes pilares do Turismo Sustentável o seu projeto contempla?

  • Social - iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.  
  • Cultural - iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais.  
  • Ambiental - iniciativas que reduzam o impacto ambiental, que ofereçam soluções de compensação, que cuidem da conservação e do uso de recursos naturais, que se proponham a regenerar áreas degradadas e que promovam educação e sensibilização ambiental.     
  • Econômico - iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais.  

7) b) Pilares do Turismo Sustentável: explique como os pilares que sinalizou na pergunta anterior estão presentes na implementação do seu projeto.

1.Social – O projeto utiliza a dinâmica do empreendedorismo social em um formato que as comunidades são os protagonistas do processo. Os 27 roteiros tiveram que se candidatar, serem aprovados e estão se estruturando para receber as expedições, o que tem gerado mobilização e articulação social. Além disso, oferecemos as capacitações necessárias promovendo formação e profissionalização desses grupos, principalmente os 54 piloteiros. 2. Cultural – A valorização do saber local está no DNA do projeto. Acreditamos que as experiências de natureza mais marcantes são aquelas vividas através da interação com a cultura do local. Por exemplo, os roteiros são incentivados a momentos de rodas de conversa e contação de histórias pelos "anciões" locais. 3. Ambiental – Os roteiros desenhados utilizando ao máximo transporte coletivo, hospedagem comunitária, compra de produtos e materiais locais, e alimentação regional com produtos da época. Além disso, todos os roteiros terão uma forma ou momento quando os expedicionários farão uma ação de retribuição que em muitos casos será plantio de árvores no local ou coleta de lixo. 4. Econômico – O modelo empreendedor gera oportunidades para que as comunidades possam se capacitar e profissionalizar de forma digna, criando mais renda e inclusão social através de modos de vida sustentáveis como o turismo. Nosso projeto fortalece o pilar econômico que sustenta as iniciativas através da ponte entre roteiros e mercado consumidor.

8) Impacto: quais impactos seu projeto causou até agora? Considere impactos internos na estabilidade da sua organização e externos em relação ao pilares do turismo sustentável, utilize dados

O maior impacto do projeto até agora é demonstrar que o turismo de natureza, feito de forma sustentável pode contribuir com a conservação. Hoje, parcela importante da manutenção da estrutura e funcionários do Seringal Novo Encanto é provenientes dos recursos das expedições As Expedições ao Seringal também foram decisivas para o fortalecimento da Associação Novo Encanto que hoje conta com 1300 sócios de todo o Brasil e de outros países. Até o momento já realizamos 24 expedições, com cerca de 1200 pessoas envolvidas, em 14 anos de experiência. 1. Impactos nos visitantes: fortemente impactados pela reconexão com a natureza e interesse na conservação ambiental. 2. Impactos no seringal: preservação da área do Seringal NE em local de pressão agropecuária; 2.1. Instalação de matriz de energia renovável fotovoltaica na Sede do Seringal; 2.2 Fortalecimento do extrativismo de castanha e açaí, através de projetos de agrofloresta; 2.3 Realização de três formações em sistemas agroflorestais nas comunidades dos assentados rurais de reforma agrária do entorno; 2.4 Estamos estruturando um centro de memória do ciclo da borracha e construção de três casas de seringueiros tradicionais.

9) Estratégias de crescimento: Quais são seus planos para fomentar o crescimento de sua iniciativa?

Estamos nesse estágio do projeto: Expansão. As expedições ao Seringal Novo Encanto são um sucesso comprovado com mais de 24 expedições e 1200 visitantes durante 14 anos. O Programa Expedições Novo Encanto é nosso plano de fomentar o crescimento da iniciativa. Através de edital lançado no final de 2019, oferecemos a oportunidade à 27 comunidades que decidiram participar do programa, assim fomentamos o protagonismo desses grupos e promovemos o empreendedorismo social. Com a articulação local implantada e as lideranças de cada roteiro escolhidas, iniciamos as capacitações necessárias à formação e profissionalização dos 54 "piloteiros" e preparação comunitária para receber com qualidade e segurança os visitantes. Ao mesmo tempo, desenvolvemos um cardápio de novos roteiros ao mercado de expedicionários que já visitaram o Seringal e todos os membros do CEBUDV. Com o amadurecimento das iniciativas, o plano é que os pacotes possam ser oferecidos para outros mercados.

10) Colaboração: como a sua iniciativa colabora com outros atores (governos, universidades, empresas, associações da sociedade civil) para fazer a diferença? Você realiza alguma parceria?

Os roteiros têm ações e atividades de visitação que vão desde a Comunidade Tradicional do Vale do Pati, Comunidade Quilombola Kaonge Cachoeira, Comunidade Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, Povos da Floresta a até a Fundação Casa Grande, Memorial Homem Kariri, Museu de Astronomia (MASS) e diversas organizações comunitárias. Essas atividades serão realizadas com o apoio, autorização e prestação de serviço dos parceiros e colaboradores locais/ regionais /nacionais: Associações de Guias e Condutores de Mucugê, do Vale do Brejão, da Chapada dos Veadeiros e do Vale do Pati, Prefeituras Municipais e Secretarias Estaduais de Meio Ambiente (ao solicitar licença e autorização para passagem do roteiro em áreas de reservas ambientais que necessitam), Guias Credenciados do ICMBio (nas áreas visitadas dentro dos Parques Nacionais), além do fortalecimento e suporte básico das comunidades envolvidas por meio da produção associada de serviços (hospedagem, alimentação e vendas de artesanato).

11) Inspirar novos agentes de transformação: você tem influenciado outras organizações e pessoas a se envolverem no seu projeto e/ou a se preocuparem com o Turismo Sustentável? Se sim, como?

Sebastião Guimarães (zelador do Seringal) é conhecido também como o“Leão do Seringal” por ter evitado que muitas áreas do seringal fossem invadidas. Para ele, a história do Seringal é diretamente ligada à história de sua vida e de sua família. “O Seringal é razão da minha vida. Por que arrisquei lá também, junto com a minha familia e companheira. Se a gente se empenhar mesmo, eu acredito que o Seringal vem ser o que estou pensando, um local autossustentável como nós queremos”. Hoje, aos 67 anos, aposentado, continua morando no Seringal e é também o nosso condutor de visitantes oficial que leva os grupos expedicionários para conhecer a floresta. Hoje, o que sustenta a conservação do Seringal são os recursos provenientes das expedições, além de, organizações que apoiam e incentivam o andamento do projeto, como a Embrapa de Rio Branco, Fundação Banco do Brasil e Universidade Federal do Acre que atuam no campo da pesquisa e apoio nas atividades de recuperação de áreas degradadas.

12) a)Quais dos seguintes recursos sua organização obteve até o momento?

  • Suporte de amigos
  • Vendas
  • Mentores / conselheiros
  • A Associação funciona através da mensalidade dos 1300 sócios e doações e não é dependente do projeto

12) b) Planejamento Financeiro: como você planeja financiar o seu projeto a curto, médio e longo prazo?

Estamos no estágio de expansão do Programa Novo Encanto Expedições. A expansão do projeto está sendo incubada pelo escritório da Associação Novo Encanto que recebe recursos financeiros através das mensalidades de seus sócios e de doações para manter-se e financiar seus projetos de conservação e conscientização ambiental. Nesse período de incubação, o Programa Novo Encanto Expedições ainda está sendo sustentado pela Associação, sua estrutura organizacional e pelo trabalho voluntário de seus sócios. A Associação já investiu mais de R$15mil na preparação dos materiais e da estratégia de marketing a ser lançada em outubro de 2020. Localmente, cada comunidade está investindo seu tempo na preparação dos roteiros. Assim no CURTO PRAZO tem 100% recursos investidos pela Associação + doação de trabalho voluntário no escritório central e nas localidades. No MÉDIO PRAZO, o planejamento financeiro está sendo feito com a perspectiva de entrada de recursos através da comercialização das expedições com o pagamento pelos trabalhos dos envolvidos localmente, um parte do lucro ficando para o benefício da comunidade (70%) e uma parte para a manutenção do apoio administrativo, marketing, capacitação a ser realizado pelo escritório central (30%). No LONGO PRAZO, temos por objetivo a sustentabilidade financeira das comunidades com sua profissionalização através da criação de associações de guias e agências de turismo locais formadas pelos “piloteiros”.

12) c) Quanto você já investiu no seu projeto para a operação deste ano?

  • Investimento entre R$10.000 e R$50.000

12) d) Qual é o orçamento necessário para o funcionamento do seu projeto durante 1 ano?

  • acima de R$ 50.000

13) Equipe: qual é a atual composição da sua equipe (papéis, qualificação, tempo integral x temporários, etc)? Como essa composição se transformará no futuro do seu projeto?

Composição atual envolvida no projeto: 1 - Diretor Executivo / Gestor (Contratado); 1 - Coordenador Técnico / Doutor em Ecologia (Voluntário); 1 Assistente de projeto - Geógrafa e Guia de Ecoturismo (Voluntária); 1 Assistente Administrativo (Contratado); 1 Criador de Conteúdo - Mídias audiovisuais (Voluntário); 5 - Instrutores Especialistas (Voluntários); 1 Contador (Contratado); 44 Monitores Executores (Comunitários) e equipes locais (média de 10 pessoas por expedição) com as mais diversas formações e vivências.

14) Diversidade na equipe: descreva a diversidade de sua equipe e inclua informações sobre a distribuição de cargos.

1 Diretor Executivo – masculino, classe média, branco, 50 anos oriundo da periferia do Rio de Janeiro; 1 Coordenador Técnico - masculino, classe média, branco, casado com negra, 3 filhos e 18 anos de trabalho voluntário; 1 Assistente de projeto – feminino, classe média baixa, branca, 35 anos; Monitores Locais (54) – masculino e feminino, branco, negro, pardo, amarelo, idade que varia de 25 a 70 anos. Localmente, as próprias comunidades fizeram a seleção dos monitores locais considerando capacidade de articulação e liderança mas também vulnerabilidade econômica.

15) a) Diversidade do público de sua iniciativa: o seu projeto tem como foco específico algum dos seguintes grupos?

  • Comunidade de baixa renda
  • Comunidade indígena
  • Outra Comunidade Tradicional
  • Jovens / Mulheres / Ribeirinhos / Seringueiros

15) b) Diversidade de público da iniciativa: Dê exemplos reais de como o seu projeto está conseguindo impactar todos os grupos que você indicou na pergunta anterior.

Com um perfil de rotas e temáticas diferentes em cada expedição, temos a oportunidade de passear nos diversos públicos citados e encontrar nas vivências que acontecem durante essas viagens, uma forma de integrar e apresentar o Brasil que nem sempre é visto e que quer mostrar a sua história. Exemplos entre os 54 roteiros por comunidade: Comunidade de baixa renda: AMAZÔNIA: FLORESTAS, RIOS E PRAIAS DE ÁGUA DOCE DOS RIOS TAPAJÓS E ARAPIUNS - PA; CHAPADA DO ARARIPE - CE; EXPEDIÇÃO VALE DO PATI - CAHAPADA DIAMANTINA - BA Comunidade Indígena: APA LITORAL NORTE : TRILHA SAPIRANGA X RESERVA INDÍGENA MASSARANDUPIÓ - BA; CAMPO NOVO AO PARQUE NACIONAL DOS PACAÁS NOVOS - RO; TRILLA AO ULTIMO REFUGIO INKA”CHOQUEQUIRAO” - Peru Ribeirinhos e Seringueiros: AMAZÔNIA: FLORESTAS, RIOS E PRAIAS DE ÁGUA DOCE DOS RIOS TAPAJÓS E ARAPIUNS - PA; CAMPO NOVO AO PARQUE NACIONAL DOS PACAÁS NOVOS - RO; CAMINHADA URUBUENA - AP

16) Como você soube desse desafio?

  • Recomendado por outras pessoas

17) ADAPTABILIDADE: Como sua iniciativa contribui para a resiliência socioeconômica e cultural da comunidade em que você atua? Ou seja, como ela ajudou a comunidade a se adaptar em uma situação de crise como a pandemia da covid-19?

Como a pandemia, as expedições ao Seringal Novo Encanto foram suspensas em 2020, assim como todo o mercado de turismo no mundo. Dessa forma, os funcionários do Seringal assim como as pessoas envolvidas com as expedições tiveram sua sustentabilidade econômica comprometida. Graças a Associação Novo Encanto, originada à partir da conservação do seringal, e à contribuição de seus sócios, está sendo possível manter a estrutura existente e a equipe engajada mesmo com toda a adversidade gerada pela pandemia do COVID-19 ao setor de turismo. A nova fase do projeto com a expansão das iniciativas por todo o Brasil que seria lançada em 2020 também está sendo profundamente impactada pela pandemia. Através da Associação Novo Encanto criamos uma comunidade de prática onde as iniciativas e seus participantes estão podendo ser melhor capacitados, trocar experiências e motivar uns aos outros para que atravessar esse momento. Além disso, as iniciativas estão desenvolvendo protocolos bem definidos para o atendimento dos visitantes dentro dos padrões de higiene necessários para um turismo pós-COVID. Entretanto, com os devidos cuidados, já estamos com organizando o lançamento para Outubro de 2020 e a pré-venda de 6 Expedições que acontecerão entre Dezembro 2020 e Fevereiro de 2021 (dependendo das condições de saúde no país): 1 - CHAPADA DO ARARIPE - CEARÁ 2 - ROTEIRO CAMINHOS ANTIGOS DA ILHA (SC) - Ilha de Santa Catarina - Florianópolis 3 - CHAPADA DIAMANTINA (BA) - Reserva Terra Viva (Ibicoara-Bahia) 4 - APA LITORAL NORTE (BA): ENCANTOS, TRADIÇÃO E CULTURA 5 - CHAPADA DOS GUIMARÃES (MT): ÁGUAS, MORROS, CAVERNAS E CERRADOS 6 - INKO FLORESTAL (GO): VIVÊNCIA EM AGROFLORESTAL E SAÚDE, COM VISITAÇÃO À CHAPADA VIADEIROS

18) MUDANÇAS SISTÊMICAS: Você diria que sua atuação gera ou visa a mudança sistêmica? Caso sim, por favor explique.

A Carta de Princípios da Associação Novo Encanto traz como diretrizes (https://novoencanto.org.br/a-novo-encanto-2/): "1. Atuar pela tomada de consciência de que o único domínio que nos cabe exercer sobre a Natureza é o processo gradual de autoconhecimento e autodisciplina sobre a natureza humana: o domínio de si. 2. Trabalhar pela substituição de uma relação de consumo agressivo da Natureza por uma relação de comunhão. E nesta comum-união, tornar-nos Um com ela. 3. O ser humano expressa o seu grau de integração na Natureza na sua prática, na medida em que estabelece laços de União com todos aqueles que compartilham desta mesma aspiração. É desta união que vem brotando a força que há de conduzir as pessoas e os movimentos que trabalham em prol da Vida e da Paz à realização de seus objetivos. 4. Combinar a implantação de projetos de preservação do meio ambiente com atividades de conscientização de um número cada vez maior de pessoas quanto à seriedade da crise que estamos vivendo, assim como os caminhos de sua superação. 5. A responsabilidade que se põe para cada ser humano hoje é a de uma transformação profunda de nossa relação com o planeta Terra. Para que esta transformação ocorra é preciso reencontrar a experiência da Natureza em seus encantos. O nome de nossa associação se vincula a este querer." Assim o Projeto Expedições Novo Encanto é a iniciativa que possui no seu DNA, o código para gerar todas essas mudanças: - Promover as experiências com potencial para ampliar a consciência socioambiental das pessoas - Elaborar roteiros de turismo de base comunitária que buscam um experiência autêntica de troca de vivências entre visitantes e locais contrapondo os pacotes turísticos pasteurizados onde os turistas viajam sem sair da sua bolha. - Promover alternativas de renda sustentáveis para populações carentes em modelo que fomenta o empreendedorismo local ao invés de tornarmos as iniciativas dependentes indefinidamente do projeto.

19) TURISMO COMO VETOR DE DESENVOLVIMENTO: Você consegue exemplificar, a partir da sua experiência, como o turismo pode colaborar localmente para um sistema de criação de valor compartilhado?

O turismo pode ser um forte vetor de desenvolvimento. Os 14 anos de expedições ao Seringal Novo Encanto tem gerado uma cadeia de valor importante para a sustentabilidade ambiental dos 3400 hectares do Seringal Novo Encanto além da melhoria ecológica das práticas agrícolas no entorno da área. As expedições tem papel importante na geração de renda para as famílias de seringueiros que vivem no local além das demais pessoas envolvidas nos pacotes turísticos. Com o apoio dos recursos financeiros advindos das expedições, está sendo possível investir na estruturação e preservação do seringal, além da melhoria da qualidade de vida e dos modos de produção das famílias com geração de alternativas de renda com produção de castanha e agrofloresta consorciada de açaí. Além disso, o projeto tem proporcionado também a valorização da cultura seringueira e seu modo de vida através do compartilhamento de experiências com os visitantes. Lá no seringal, os caboclos que são os doutores. Essa valorização está inspirando a criação do memorial seringueiro no local para contar a história daquele povo. O objetivo agora é expandir esse efeito multiplicador para outras regiões do Brasil e outra culturas tradicionais em locais onde existe atuação da Associação Novo Encanto.

20) REPLICABILIDADE: Para você, é possível identificar outros projetos que foram inspiradores para sua iniciativa? Em quais aspectos? E como o seu projeto se preocupa em inspirar outras iniciativas e ser replicado em outros contextos? Há alguma estratégia para viabilizar sua replicação?

O Projeto Expedições ao Seringal Novo Encanto é inspirado nas antigas peregrinações que eram feitas onde o objetivo da viagem não era o consumo de paisagem mas a abertura para o novo, o desconhecido. O convite para visitantes urbanos conhecerem um seringal na amazônia sempre buscou esse sentimento através de um pacote simples, com conforto mínimo mas muito amor, alegria, vivências e compartilhamento de experiências. Os envolvidos na organização das expedições são comunitários remunerados ou voluntários membros da Associação Novo Encanto que trabalham com o objetivo de promover a conservação da área e a oportunidade de receber outras pessoas e mostrar as belezas e riquezas locais, doando seu trabalho para o coletivo. Assim Programa Novo Encanto Expedições é a replicabilidade do Projeto Expedições ao Seringal Novo Encanto que, devido ao seu sucesso, está sendo expandido por todo o Brasil. Estamos apresentando o modelo implementado no Seringal para inspirar outras iniciativas que tenham esse mesmo objetivo de oferecer experiências autênticas para que os visitantes possam interagir com pessoas reais e conhecer mais a natureza e cultura local. Ao mesmo tempo, oferecer a oportunidade para que as comunidades locais e as pessoas em situação de fragilidade econômica possa desenvolver uma alternativa de renda sustentável através de um modelo de empreendendorismo social, onde as iniciativas foram escolhidas através de edital e estão sendo capacitadas para serem protagonistas nos projetos locais.

21) UTILIZAÇÃO DO PRÊMIO - Caso sua inciativa seja uma das três iniciativas selecionadas para receber o prêmio em dinheiro, como pretende investir o valor recebido?

O prêmio em dinheiro está diretamente ligado com a sustentabilidade financeira do projeto a médio prazo e melhoria da qualidade dos roteiros. 30% para a contratação da voluntária que vem fazendo o trabalho administrativo para a organização roteiros e contato com as comunidades locais pelo período de um ano mais custos administrativos e de promoção. 70% para capacitação dos "piloteiros" locais através do financiamento de viagens entre roteiros (benchmarking).

22) a) TURISMO SUSTENTÁVEL: o que é turismo sustentável para você?

Turismo Sustentável é uma proposta de vivência e um modelo de negócios, não um segmento do turismo. Todos os segmentos do turismo podem ser sustentáveis se seguirem o tripé da sustentabilidade (ecológico, social e econômico). O turismo sustentável precisa ter a menor pegada ecológica possível quanto a transporte, geração de resíduos e utilização de recursos. Ao mesmo tempo deve focar no impacto social local promovendo a valorização da cultura local, a troca de conhecimento, a igualdade, a fraternidade e a união. Como suporte a tudo isso, o roteiro precisa ser sustentável economicamente (ou será apenas uma visão romântica e inocente desconectada da realidade) valorizando mão de obra local, cadeia produtiva e materiais regionais, além de promover a melhoria da qualidade de vida com utilização sustentável dos recursos naturais.

22) b) TURISMO SUSTENTÁVEL: Com base na sua experiência, quais você considera serem os principais desafios para a implementação de iniciativas de turismo sustentável na atualidade? Quais caminhos você vislumbra para superá-los?

O principal desafio para implementação de iniciativas de turismo sustentável é mercado. Existe pouca oferta e por consequência pouca demanda. As populações urbanas estão cada dia mais desconectadas da natureza e da cultura regional, causando diversos comprometimentos na sua saúde das pessoas. O atual ritmo de vida artificial e acelerado das grandes cidades, somado a falta de áreas verdes nos centros urbanos está afastando a conexão do Ser Humano com a Natureza e com seus benefícios físicos, mentais, emocionais e espirituais. Esse distanciamento da natureza repercute também na falta de consciência necessária para se desenvolver ações mais ecológicas e mais humanas. Quando possuem o tempo e recursos necessários para efetuarem viagens recreativas, essas população tem acesso à roteiros massificados que levam ao consumo pasteurizado dos ambientes sem a oportunidade de contato genuíno com as comunidades locais. É necessário mudar essa cultura! Assim, o Programa Novo Encanto Expedições tem como objetivo trabalhar nessas duas frentes: oferta e demanda de roteiros de turismo comunitário sustentável. Por um lado o Programa é uma incubadora de novos roteiros, promovendo a articulação local, o empreendedorismo, a formação e o protagonismo comunitário e pelo outro lado, queremos oferecer a sociedade e ao mercado turístico alternativas mais sustentáveis, mais autênticas de viagens que contraponham o turismo de massa.

22) c) TURISMO SUSTENTÁVEL: Quais oportunidades você considera importantes para fortalecer iniciativas de turismo sustentável?

Melhoria nas políticas públicas e mais editais com financiamento. Melhoria nas políticas públicas que favoreçam o desenvolvimento da cultura de natureza e do turismo sustentável no Brasil com mais pessoas buscando as áreas naturais para se reencontrar, reconectar e reenergizar. E mais editais como essa iniciativa da Ashoka / Changemakers e CTG que fomentam e dão visibilidade a um setor que tem grande potencial para promover o desenvolvimento sustentável, a valorização cultural e a inclusão social.

Evaluation results

11 evaluations so far

1. IMPACTO: Esta iniciativa demonstra impacto relevante, e com evidências quantitativas e qualitativas?

Com toda certeza. - 54.5%

Sim, há evidências quantitativas e qualitativas de seu impacto na comunidade. - 27.3%

De forma parcial. - 18.2%

Não, há pouca evidência de resultados de impacto. - 0%

Não. - 0%

2. INOVAÇÃO: Esta iniciativa desenvolveu e implementou uma abordagem inovadora?

Com toda certeza. - 9.1%

Sim, tem características inovadoras. - 54.5%

De forma parcial. - 27.3%

Não, há pouca evidência demonstrada. - 9.1%

Não. - 0%

3. PLANEJAMENTO FINANCEIRO E OPERACIONAL: A iniciativa tem como base um modelo de negócio viável e mostra planos realistas de longo prazo para a sustentabilidade financeira?

Com toda certeza. - 0%

Sim, a iniciativa tem um bom modelo de negócio. - 54.5%

De forma parcial. - 36.4%

Insuficiente. - 0%

Não. - 9.1%

4. REPLICABILIDADE & CRESCIMENTO: Avalie a escalabilidade da iniciativa. Ela tem potencial de ser replicada em outros contextos sociais, culturais e/ou geográficos?

Com toda certeza. - 18.2%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 54.5%

De forma parcial. - 27.3%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

5. AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO: Uma/um agente de transformação social é alguém que se propõem a lidar e encontrar soluções coletivas para o bem de uma comunidade, um grupo, uma localidade. Queremos saber: essa iniciativa ajuda a inspirar e apoiar outras pessoas a se tornarem agentes de transformação em suas comunidades?

Com toda certeza. - 18.2%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 54.5%

De forma parcial. - 18.2%

Insuficiente. - 9.1%

Não. - 0%

6. DIVERSIDADE: Esta iniciativa demonstra a inclusão de públicos diversos em sua iniciativa, seja nos parceiros com os quais colabora e/ou na composição de sua equipe?

Com toda certeza. - 18.2%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 36.4%

De forma parcial. - 36.4%

Insuficiente. - 9.1%

Não. - 0%

7. AVALIAÇÃO GERAL: De forma geral, você considera que esta iniciativa deve avançar para a próxima fase do Desafio e se tornar um semifinalista?

Sim, com toda a certeza! - 18.2%

Sim, acredito que sim. - 45.5%

Talvez. - 36.4%

Provavelmente não. - 0%

Não. - 0%

20 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Salvador
Team

Olá Anaís e equipe,
O Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima é uma iniciativa que tem como propósito implantar na atividade turística a compensação de emissões de Gases de Efeito Estufa geradas pelo trade turístico e pelos turistas, algo que será cada vez mais necessário para responder à crise climática. Os recursos da compensação financiam um conjunto de ações voltadas à conservação e restauração de florestas, à inclusão socioeconômica de grupos sociais vulneráveis e ao enfrentamento à crise climática.
Após 10 anos testando, avaliando e aprimorando o protótipo nosso próximo passo é replicar a iniciativa para outras regiões do Brasil. Nossa estratégia na replicação é estruturar uma rede de Ongs e instituições interessadas em executar o programa em suas regiões, adaptando-o às realidades locais. Vamos capacitar e assessorar as instituições para que se apropriem do conceito, metodologia e do funcionamento do programa, dando suporte técnico e operacional durante o tempo necessário à sua implantação.
Com a estruturação da Rede Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima existe um potencial enorme para desencadearmos um poderoso movimento no país em prol do clima, das florestas, da agricultura ecológica, do combate à pobreza no meio rural e da vida, gerando mudanças socioambientais sistêmicas e profundas a partir do turismo.
Envolver as iniciativas semifinalistas do Desafio de Inovações em Turismo Sustentável na Rede Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima será algo fantástico para iniciar a replicação. Neste sentido, queremos convidá-los a conhecer a iniciativa com mais propriedade e havendo interesse em participar da Rede entrar em contato através do email salvador@mecenasdavida.org.br ou pelo WhatsApp 73 999646444
https://network.changemakers.com/challenge/turismosustentavel/edicao/turismo-co2-legal-guardioes-do-clima
Gratidão pela escuta e fiquem bem.
Salvador e equipe Mecenas da Vida

View all comments