Rolezin Lagoinha - O que existe além do óbvio?

Uma experiência nada tradicional, que convida moradores e turistas a redescobrir a história e o presente do bairro Lagoinha, berço de Beagá.

Photo of Viva Lagoinha
5 12

Written by

Nome completo do(a) representante do projeto

Filipe Thales dos Santos

E-mail

rolezinlagoinha@gmail.com

Nacionalidade

Brasileiro

Gênero

  • Masculino

Data de Nascimento

19111982

Sede da organização (UF)

  • Minas Gerais

Mídias sociais da organização

https://www.instagram.com/vivalagoinha https://www.facebook.com/vivalagoinha

Data em que você iniciou o projeto

Janeiro/2017

Estágio do projeto

  • Em crescimento (passaram das primeiras atividades; trabalhando para o próximo nível de expansão)

Elegibilidade I: Você atende a todos os critérios de elegibilidade?

  • Sim, eu tenho mais de 18 anos de idade.
  • Sou brasileira/o ou estrangeira/o residente no Brasil.
  • Tenho atuação direta e comprovada no projeto.
  • Não sou funcionário nem familiar de funcionários da Ashoka e da CTG Brasil.

Elegibilidade II: O projeto inscrito:

  • É um projeto já implementado e posso comprovar nas respostas, fotos e documentações a serem apresentadas nesta inscrição..
  • É um projeto que tem como foco pelo menos dois (2) dos quatro (4) pilares do turismo sustentável (social, cultural, ambiental e econômico) descritos na seção "Escopo e áreas de foco".

Ao se inscrever, você concorda que possamos apresentar seu trabalho nas mídias sociais e outras publicações da Ashoka e CTG Brasil, relacionadas ao Desafio?

  • Sim, eu concordo.

1) Viagem pessoal: qual a história por trás da decisão em iniciar este projeto?

Era agosto de 2007, quando comuniquei à minha Mãe que estava me mudando pra Lagoinha e ela impactada, logo colocou as mãos na cabeça e disse: "Meu Deus, o Filipe vai morar na zona". Me mudei e no dia seguinte, fui surpreendido por um fusca 78 que passava na rua com uma caixa de som velha anunciando a exibição de um filme sobre o bairro. Ao chegar na sessão me deparei com uma moradora antiga saudando quem chegava com um sorriso e dizendo: "Bem vindo a Lagoinha antiga, pois hoje ela não existe mais". Depois do filme, emocionado, descobri que acabara de me mudar para o berço cultural da cidade mas no imaginário de muita gente, ela ainda era a zona de prostituição e conhecida como a cracolândia da cidade. A partir daí me dispus a conhecer as pessoas, sua histórias e difundir a história e o presente do bairro Lagoinha recebendo moradores e turistas para um passeio a pé que contribui para desmistificar sua fama.

2) O problema: que problema você está ajudando a resolver?

- Baixa estima do morador - Alto índice de pessoas em situação de rua - Falta de vida noturna

3) Sua solução: como seu projeto responde a esse problema? Compartilhe sua abordagem específica.

- Baixa estima do morador: A partir do contato com a história do bairro, seus moradores e iniciativas, os turistas, sejam eles nativos ou não, ao formarem opiniões positivas, começam a valorizar, frequentar, construir e consumir localmente, o que reflete no aumento do interesse e no valor que os moradores da Lagoinha dão ao bairro. - Alto índice de pessoas em situação de rua: A partir do contato de mais pessoas com a nossa realidade, mesmo que não seja nosso foco mostrar essa problemática, ela fica visível para mais pessoas, o que força o Poder Público tomar providências. Nesse caso específico, além de melhorias no ambiente urbano como iluminação, pintura de passarelas e nas cenas de uso de crack, nós co-criamos um programa governamental que visa transformar a Lagoinha num ambiente fértil para inovação chamado: Horizonte Criativo - Falta de vida noturna: Inspirado pelo conceito da acupuntura urbana, nosso passeio mapeou locais que são propícios de ocupação, seja ele humano ou comercial e que se forem ativados, podem mudar progressivamente a vida no bairro. Essas intervenções urbanas ajudam a sarar a dor de forma instantânea, eficaz e funcional. Esse é o caso do Mirante Diamantina, um vazio urbano que é fruto de intervenções urbanas que a partir de conexões com o setor de eventos da cidade, conseguimos realizar lá em setembro de 2019 um festival de arte que deixou de legado uma outra paisagem urbana que logo em seguida foi ocupada pelos moradores que cuidam da área.

4) Que tal incluir um vídeo sobre sua iniciativa?

https://youtu.be/b7qASQKwlf0

5) Atividades: Destaque as principais atividades que você realiza no dia-a- dia do seu projeto.

- Gestão: Planejamento (pré produção, produção e pós produção), Plano Pedagógico (execução e acompanhamento), Financeiro (bilhetagem, contas a pagar/receber) e Certificação (Emissão de certificados e pesquisas de satisfação). - Comunicação: Criação do conceito e identidade visual de cada edição, alinhamento com os agentes locais e divulgação nas mídias sociais, whatsapp, imprensa e offline no bairro. - Experiência: Introdução com dinâmica de grupo, alinhamento de expectativas e repasse de informações, alongamento, caminhada a pé com rota pré definida de acordo com o conceito de cada edição, paradas com contato com monumentos, moradores, iniciativas, lanches, almoço, fechamento com dinâmica de grupo e happy hour.

6) Inovação: Qual inovação sua iniciativa está desenvolvendo ou adaptando para solucionar problemas na área do turismo? Como se diferencia de outras iniciativas no setor?

Nosso principal diferencial está na condução do passeio que é realizado por um casal de moradores do bairro e na experiência. Oferecemos aos moradores e viajantes uma aprendizagem vivencial que estimula a observação, percepção, reflexão e pertencimento por meio da participação ativa dos visitantes e da cadeia produtiva local que fortalece o desenvolvimento territorial.

7) a) Pilares do Turismo sustentável: Quais dos seguintes pilares do Turismo Sustentável o seu projeto contempla?

  • Social - iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.  
  • Cultural - iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais.  
  • Econômico - iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais.  

7) b) Pilares do Turismo Sustentável: explique como os pilares que sinalizou na pergunta anterior estão presentes na implementação do seu projeto.

- Social: Inclusão dos agentes locais como protagonistas: Durante o passeio, os visitantes/viajantes, têm oportunidade de conhecer e vivenciar o bairro através do caminhar e das histórias de moradores que possuem a vivência, saber popular, comércio ou lidera alguma iniciativa coletiva no território. Parceria com escolas públicas do bairro e execução de passeios que trabalham a temática de território e patrimônio cultural com estudantes do 6º e 7º ano. - Cultural: Além dos famosos antiquários da Rua Itapecerica, o trajeto contempla o contato com moradores e iniciativas coletivas inspiradoras, já que a intenção é transmitir o olhar de afeto de quem mora ali para os visitantes. Através do diálogo com os agentes locais que exemplificam: hábitos, valores, memórias e histórias. Promovendo uma série de ocasiões educativas articuladas com os recursos disponíveis na Lagoinha, o Rolezin clarifica seu papel sobre a transformação destas experiências de vida em experiência de cultura. Todos os agentes locais que recebem os participantes dispõem de uma linguagem comum, de forma singela, concreta e comprometida. - Econômico: Todos os agentes ambientais recebem cachê para receber por 10-15 minutos nossos visitantes. Além da pausa para o almoço, que sempre acontece em um dos restaurantes parceiros, temos outros momentos para explorar estabelecimentos e lugares marcantes do bairro. A caminhada se encerra por volta das 17h com um happy hour onde também há consumo.

8) Impacto: quais impactos seu projeto causou até agora? Considere impactos internos na estabilidade da sua organização e externos em relação ao pilares do turismo sustentável, utilize dados

Com 17 edições realizadas, diretamente já conseguimos conectar 500 pessoas ao território. Com a atividade de conectar eventos de expressão da cidade com a Lagoinha, conseguimos conectar quase 30 mil pessoas ao realizar aqui: Circuito Urbano de Arte (CURA Lagoinha) 05 a 15 de setembro de 2019 GIRO - janeiro/fevereiro 2020 Carnaval de Belo Horizonte / Palco Lagoinha - Fevereiro 2020 Além disso somos os responsáveis por conectar com o território: Movimento Gentileza (Programa da Prefeitura que faz intervenções artísticas em locais degradados) Projeto Moradores - Edição Lagoinha Zona 30 E fazemos parte do ecossistema de startups Orbi Conecta. Além de impactar diretamente nos ODS: 4 - Educação de Qualidade 5 - Igualdade de Gênero 8 - Trabalho Decente e Crescimento Econômico 10 - Redução das Desigualdades 11 - Cidades e Comunidades Sustentáveis

9) Estratégias de crescimento: Quais são seus planos para fomentar o crescimento de sua iniciativa?

Em função da pandemia, para o próximo ano planejamos: Produção audiovisual da webserie Rolezin Lagoinha; Campanha “Parabéns, Copo Lagoinha” que pretende comemorar o aniversário de 74 anos do Copo Americano recém reconhecido pela fabricante como Copo Lagoinha após nossa petição e campanha; Inauguração da Casa Bumba, nossa sede Lançamento do nosso site e do jornal hiperlocal Gazeta da Lagoinha on-line

10) Colaboração: como a sua iniciativa colabora com outros atores (governos, universidades, empresas, associações da sociedade civil) para fazer a diferença? Você realiza alguma parceria?

O Viva Lagoinha acredita na colaboração e no fazer junto. Por isso, coleciona diversas co-criações como: Prefeitura de Belo Horizonte: Co-criacao do Programa Horizonte Criativo Universidade Federal de Minas Gerais: Auxiliamos estudantes dos cursos de arquitetura nos seus trabalhos de conclusão de curso. Instituto Anima: Fazemos parte do movimento que pensa e faz o Futuro da Educação FA.VELA (Fellow Ashoka): Fomos selecionados no último CorreCriativo é atualmente fazemos parte da rede Estômago da Lagoinha: Somos parceiros do coletivo de empreendedores da gastronomia local.

11) Inspirar novos agentes de transformação: você tem influenciado outras organizações e pessoas a se envolverem no seu projeto e/ou a se preocuparem com o Turismo Sustentável? Se sim, como?

Sim, influenciamos todos os agentes locais que têm algum empreendimento a se organizar, os empreendedores da gastronomia a colaborar, a turma do audiovisual e da fotografia a produzir utilizando a Lagoinha como inspiração, os músicos a cantarem a Lagoinha e os moradores a ficar aqui e não se mudarem.

12) a)Quais dos seguintes recursos sua organização obteve até o momento?

  • Vendas
  • Mentores / conselheiros

12) b) Planejamento Financeiro: como você planeja financiar o seu projeto a curto, médio e longo prazo?

Atualmente o projeto está suspenso devido a pandemia de COVID - 19. Websérie (curto e médio prazo) 100% Venda direta

12) c) Quanto você já investiu no seu projeto para a operação deste ano?

  • Investimento entre R$1.000 e R$10.000

12) d) Qual é o orçamento necessário para o funcionamento do seu projeto durante 1 ano?

  • acima de R$ 50.000

13) Equipe: qual é a atual composição da sua equipe (papéis, qualificação, tempo integral x temporários, etc)? Como essa composição se transformará no futuro do seu projeto?

Filipe Thales - Idealizador, gestor e mediador do passeio - Tempo integral Raquel Alves - Gestora Pedagógica e produção - Parcial Com o crescimento da nossa demanda, vamos treinar novos agentes locais e incluir mais profissionais na prestação de serviços como foto , video e gestão de midias sociais.

14) Diversidade na equipe: descreva a diversidade de sua equipe e inclua informações sobre a distribuição de cargos.

Filipe Thales - Homem preto Raquel Alves - Mulher branca Todos os agentes culturais e equipe de fotografia são negros.

15) a) Diversidade do público de sua iniciativa: o seu projeto tem como foco específico algum dos seguintes grupos?

  • O projeto não tem como foco comunidades em situação de vulnerabilidade específica.

15) b) Diversidade de público da iniciativa: Dê exemplos reais de como o seu projeto está conseguindo impactar todos os grupos que você indicou na pergunta anterior.

O público que se interessa pelo Rolezin Lagoinha abrange desde afroempreendedores, estudantes de arquitetura, urbanismo, história, viajantes, produtores culturais, servidores públicos,empreendedores sociais, iniciativa privada ligada à gastronomia, consulados, pessoas em geral que se interessam pelas temática de cidades e comunidades sustentáveis e patrimônio cultural.

16) Como você soube desse desafio?

  • Indicação de um Fellow Ashoka

17) ADAPTABILIDADE: Como sua iniciativa contribui para a resiliência socioeconômica e cultural da comunidade em que você atua? Ou seja, como ela ajudou a comunidade a se adaptar em uma situação de crise como a pandemia da covid-19?

Durante a pandemia vários projetos do Viva Lagoinha foram adiados ou até mesmo cancelados. Com a pausa nas atividades os próprios moradores começaram a se mobilizar individualmente nos espaços que foram inaugurados a partir da conexão do Viva Lagoinha, como o Mirante na Rua Diamantina. Um dos moradores da rua conhecido como Carioca e também nosso amigo próximo, começou a plantar no espaço e nos procurou para auxiliar para conseguir água, a partir daí além de solicitar água para a prefeitura adotamos o espaço, através do programa “Adote o Verde”, programa de parcerias da Prefeitura de Belo Horizonte para a implantação, revitalização e manutenção de áreas verdes públicas da cidade. Neste mesmo Mirante uma família começou a vender churrasquinho a céu aberto (cumprindo todas as normas de segurança do COVID 19) atividades que estava planejada para ser realizada de forma orgânica com carrinhos de food truck uma vez ao mês, quando fecharmos a rua apoio da BHtrans no projeto zona 30, outra parceria do Viva Lagoinha. Além dessas duas histórias de adaptabilidade, a pedidos das pessoas que acompanham o Rolezin Lagoinha, em novembro será lançada uma websérie do Rolezin pela gastronomia local em parceria com cervejaria Wals e Nadir Fiqueredo, um Rolezin que além de trazer o encantamento da cozinha local, vai cantar parabéns para o Copo Americano Lagoinha, o grande responsável pela Lagoinha estar presente na casa de todos os brasileiros.

18) MUDANÇAS SISTÊMICAS: Você diria que sua atuação gera ou visa a mudança sistêmica? Caso sim, por favor explique.

O Viva Lagoinha acredita na mudança sistêmica e uma de suas bases teórica é a acupuntura urbana de Jaime Lerner, para ele para compreender o tecido urbano e seus problemas, e propor soluções adequadas, é necessário entender que para cada problema há uma solução particular. Uma intervenção acurada, que conjugue funcionalidade e arte, e valorize a identidade cultural e o bem-estar da população – como uma agulha de acupuntura, colocada com precisão para curar uma dor específica, por isso além do Viva Lagoinha fazer parte da Rede de Cultura do Bairro Lagoinha, faz parte REDE MOBILIZA de BH e da RECRIA do Recife, pois além de pensar e agir nas políticas públicas, dinâmicas de mercado, cadeias produtivas do bairro, nos conectamos com os movimentos da cidade e do país.

19) TURISMO COMO VETOR DE DESENVOLVIMENTO: Você consegue exemplificar, a partir da sua experiência, como o turismo pode colaborar localmente para um sistema de criação de valor compartilhado?

O Rolezin Lagoinha é baseado na economia criativa e não poderia existir sem a parceria com os agentes locais que são moradores e comerciantes do bairro, que contam suas histórias e visão do bairro. A cada Rolezin estes agentes recebem uma quantia pela participação, além de abrirem suas portas para que os viajantes e turistas retornem para consumir no seu comércio. Além de contribuir com o desenvolvimento do comércio local e conectar grandes eventos para o território, o Rolezin tem incentivado as pessoas de morar na Lagoinha, após as 17 edições do Rolezin, 5 pessoas já mudaram para o território. Pois temos dois lemas #gentefica e #vempralagoinha.

20) REPLICABILIDADE: Para você, é possível identificar outros projetos que foram inspiradores para sua iniciativa? Em quais aspectos? E como o seu projeto se preocupa em inspirar outras iniciativas e ser replicado em outros contextos? Há alguma estratégia para viabilizar sua replicação?

O Rolezin Lagoinha se preocupa em ser replicável, por isso temos a metodologia própria: “Toma Bença”, baseada em conhecer território através dos moradores mais antigos do bairro e estabelecer alianças e com iniciativas já existentes. A experiência é construída através da oralidade, dos saberes locais e caminhada pelo território. O Rolezin, acontece valorizando o aprendizado vivencial, aprendendo na cidade, com a cidade e com as pessoas. Além de estar disponível para replicar nas redes que já participamos, entre os anos de 2019 e 2020 fomos procurados por duas iniciativas de Belo Horizonte para conhecer melhor nossa metodologia e forma de trabalho: Cidades Invisíveis e De Role. Acreditamos tanto na nossa replicabilidade que em todos os editais que nos inscrevemos a contrapartida é sempre pautada na replicabilidade e disponibilidade da nossa metodologia.

21) UTILIZAÇÃO DO PRÊMIO - Caso sua inciativa seja uma das três iniciativas selecionadas para receber o prêmio em dinheiro, como pretende investir o valor recebido?

Iremos investir na nossa sede - CASA BUMBA e na documentação da nossa OSC. A Casa Bumba, impulsionada pelo sucesso do Rolezin Lagoinha e do programa Lagoinha Educadora, será um espaço aberto e aconchegante de cultura, educação e conexão das iniciativas do bairro Lagoinha. Visando proporcionar para o público belorizontino: formações, imersões, exposições fixas e temporárias, lançamentos de livros, cafezin, comidinhas, cinema a céu aberto e encontros afetivos.

22) a) TURISMO SUSTENTÁVEL: o que é turismo sustentável para você?

ra nós o turismo se sustenta quando todas as atividades e/ou serviços mediados por anfitriões que geram encantamento e revelam identidades locais. Por Turismo Criativo entende-se o conjunto de experiências oferecidas para visitantes e viajantes, que promovem aprendizado de práticas criativas por meio da cocriação e da participação ativa da cadeia produtiva local com vistas ao desenvolvimento territorial.

22) b) TURISMO SUSTENTÁVEL: Com base na sua experiência, quais você considera serem os principais desafios para a implementação de iniciativas de turismo sustentável na atualidade? Quais caminhos você vislumbra para superá-los?

O principal desafio do turismo sustentável é se manter estável financeiramente, pois para estar ativo na sua comunidade gerando encantamento e experiência é necessário agir em rede, formar equipes e conectar iniciativas em prol do mesmo objetivo e este custo todo não pode ser mantido apenas pelo turista.

22) c) TURISMO SUSTENTÁVEL: Quais oportunidades você considera importantes para fortalecer iniciativas de turismo sustentável?

Consideramos oportunidades importantes para fortalecer as iniciativas editais como esse, editais lei de incentivo, investimento direto de iniciativa privada e principalmente para longo prazo investimentos de políticas públicas para gerar uma mudança sistêmica.

Evaluation results

11 evaluations so far

1. IMPACTO: Esta iniciativa demonstra impacto relevante, e com evidências quantitativas e qualitativas?

Com toda certeza. - 54.5%

Sim, há evidências quantitativas e qualitativas de seu impacto na comunidade. - 36.4%

De forma parcial. - 9.1%

Não, há pouca evidência de resultados de impacto. - 0%

Não. - 0%

2. INOVAÇÃO: Esta iniciativa desenvolveu e implementou uma abordagem inovadora?

Com toda certeza. - 45.5%

Sim, tem características inovadoras. - 36.4%

De forma parcial. - 9.1%

Não, há pouca evidência demonstrada. - 9.1%

Não. - 0%

3. PLANEJAMENTO FINANCEIRO E OPERACIONAL: A iniciativa tem como base um modelo de negócio viável e mostra planos realistas de longo prazo para a sustentabilidade financeira?

Com toda certeza. - 18.2%

Sim, a iniciativa tem um bom modelo de negócio. - 63.6%

De forma parcial. - 18.2%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

4. REPLICABILIDADE & CRESCIMENTO: Avalie a escalabilidade da iniciativa. Ela tem potencial de ser replicada em outros contextos sociais, culturais e/ou geográficos?

Com toda certeza. - 45.5%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 36.4%

De forma parcial. - 18.2%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

5. AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO: Uma/um agente de transformação social é alguém que se propõem a lidar e encontrar soluções coletivas para o bem de uma comunidade, um grupo, uma localidade. Queremos saber: essa iniciativa ajuda a inspirar e apoiar outras pessoas a se tornarem agentes de transformação em suas comunidades?

Com toda certeza. - 63.6%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 36.4%

De forma parcial. - 0%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

6. DIVERSIDADE: Esta iniciativa demonstra a inclusão de públicos diversos em sua iniciativa, seja nos parceiros com os quais colabora e/ou na composição de sua equipe?

Com toda certeza. - 45.5%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 45.5%

De forma parcial. - 0%

Insuficiente. - 9.1%

Não. - 0%

7. AVALIAÇÃO GERAL: De forma geral, você considera que esta iniciativa deve avançar para a próxima fase do Desafio e se tornar um semifinalista?

Sim, com toda a certeza! - 54.5%

Sim, acredito que sim. - 36.4%

Talvez. - 0%

Provavelmente não. - 9.1%

Não. - 0%

5 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Salvador
Team

Olá equipe Viva Lagoinha,
O Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima é uma iniciativa que tem como propósito implantar na atividade turística a compensação de emissões de Gases de Efeito Estufa geradas pelo trade turístico e pelos turistas, algo que será cada vez mais necessário para responder à crise climática. Os recursos da compensação financiam um conjunto de ações voltadas à conservação e restauração de florestas, à inclusão socioeconômica de grupos sociais vulneráveis e ao enfrentamento à crise climática.
Após 10 anos testando, avaliando e aprimorando o protótipo nosso próximo passo é replicar a iniciativa para outras regiões do Brasil. Nossa estratégia na replicação é estruturar uma rede de Ongs e instituições interessadas em executar o programa em suas regiões, adaptando-o às realidades locais. Vamos capacitar e assessorar as instituições para que se apropriem do conceito, metodologia e do funcionamento do programa, dando suporte técnico e operacional durante o tempo necessário à sua implantação.
Com a estruturação da Rede Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima existe um potencial enorme para desencadearmos um poderoso movimento no país em prol do clima, das florestas, da agricultura ecológica, do combate à pobreza no meio rural e da vida, gerando mudanças socioambientais sistêmicas e profundas a partir do turismo.
Envolver as iniciativas semifinalistas do Desafio de Inovações em Turismo Sustentável na Rede Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima será algo fantástico para iniciar a replicação. Neste sentido, queremos convidá-los a conhecer a iniciativa com mais propriedade e havendo interesse em participar da Rede entrar em contato através do email salvador@mecenasdavida.org.br ou pelo WhatsApp 73 999646444
https://network.changemakers.com/challenge/turismosustentavel/edicao/turismo-co2-legal-guardioes-do-clima
Gratidão pela escuta e fiquem bem.
Salvador e equipe Mecenas da Vida

View all comments