Trilha Transmantiqueira (TMTQ)

Trilha de longo curso como ferramenta de conservação, aparelho de recreação e ecoturismo de base comunitária.

Photo of Hugo de Castro
69 225

Written by

Nome completo do(a) representante do projeto

Hugo de Castro Pereira

E-mail

hugodcp@gmail.com

Nacionalidade

Brasileiro

Gênero

  • Masculino

Data de Nascimento

13091973

Descrição dos anexos

1. orçamento-transmantiqueira - orçamento geral com os custos por setor

2. Custos dos insumos da sinalização - orçamento para a atividade de sinalização da trilha

3. projeto-trilha-transmantiqueira - histórico, mapeamento e estrutura da Trilha Transmantiqueira

Sede da organização (UF)

  • São Paulo

Site da organização

http://www.trilhatransmantiqueira.com.br/

Mídias sociais da organização

Instagram: https://www.instagram.com/trilhatransmantiqueira/ Facebook: https://www.facebook.com/TrilhaTransmantiqueira Twitter: https://twitter.com/trilhatransmant Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCoa0nRXZUobvNuUFbVO9S8A

Data em que você iniciou o projeto

Novembro de 2017

Estágio do projeto

  • Em crescimento (passaram das primeiras atividades; trabalhando para o próximo nível de expansão)

Elegibilidade I: Você atende a todos os critérios de elegibilidade?

  • Sim, eu tenho mais de 18 anos de idade.
  • Sou brasileira/o ou estrangeira/o residente no Brasil.
  • Tenho atuação direta e comprovada no projeto.
  • Não sou funcionário nem familiar de funcionários da Ashoka e da CTG Brasil.

Elegibilidade II: O projeto inscrito:

  • É um projeto já implementado e posso comprovar nas respostas, fotos e documentações a serem apresentadas nesta inscrição..
  • É um projeto que tem como foco pelo menos dois (2) dos quatro (4) pilares do turismo sustentável (social, cultural, ambiental e econômico) descritos na seção "Escopo e áreas de foco".

Ao se inscrever, você concorda que possamos apresentar seu trabalho nas mídias sociais e outras publicações da Ashoka e CTG Brasil, relacionadas ao Desafio?

  • Sim, eu concordo.

1) Viagem pessoal: qual a história por trás da decisão em iniciar este projeto?

Aprecio o ambiente natural e a vida ao ar livre desde jovem. Escolhi ser montanhista, trabalhei com uso público em Unidades de Conservação, me envolvi com a criação da primeira Trilha de Longo Curso do Brasil, a Trilha Transcarioca - 180 km ao redor da cidade do Rio de Janeiro - e participei da criação da Rede Brasileira de Trilha de Longo Curso que, atualmente, reúne cerca de 10.500 km de trilhas planejadas por todo o Brasil, seguindo uma tendência mundial que já existe há um século. Aprendi com as transformações que a Transcarioca realizou localmente, promovendo a cidadania nas periferias por onde passa. Pela minha íntima ligação com a Mantiqueira, gostaria imensamente de presenciar sua transformação social comungada à conservação do ambiente natural promovidas pela trilha. Tenho plena convicção de que a Transmantiqueira, por sua localização entre as maiores cidades e sua mistura única de atrativos, será a principal trilha de longo curso do Brasil.

2) O problema: que problema você está ajudando a resolver?

O ecoturismo é vocação da Serra da Mantiqueira, mas ocorre de forma desigual, criando bolhas de prosperidade mal distribuídas. Além disso, ocorre o uso desordenado das trilhas, implicando na degradação do ambiente frágil do alto das montanhas, sujeitos aos impactos da atividade desordenada. A ocupação histórica da serra gerou forte fragmentação das áreas naturais, eliminando a vegetação nativa para as atividades econômicas. Também é fragmentada a localização das unidades de conservação na serra.

3) Sua solução: como seu projeto responde a esse problema? Compartilhe sua abordagem específica.

A TMTQ está inserida na Serra da Mantiqueira, uma das mais importantes cadeias montanhosas do Brasil, considerada o maior berço produtor de biodiversidade regional e de grande relevância ecológica. Estudos feitos pela IUCN e publicados na revista Science, classificam-na como a 8aº área mais insubstituível do planeta. A implementação de uma Trilha de Longo Curso como a TMTQ visa o desenvolvimento socioterritorial sustentável como estratégia de conservação, o ordenamento e estímulo ao ecoturismo, do desenvolvimento dos indivíduos e das comunidades, oferecendo aos moradores da Serra da Mantiqueira mais uma oportunidade para geração de emprego e renda, além da valorização de culturas e tradições. Como a trilha passa em regiões mais carentes formada em sua grande maioria por comunidades tradicionais, será uma oportunidade de renda em atividade turística, melhorando a qualidade de vida, ajudando a fixar o homem rural no campo, assim, reduzindo a evasão rural, o inchaço e a favelização dos grandes centros. Nas áreas mais turísticas e desenvolvidas poderá ser uma catalisadora de emprego e aumento de renda, principalmente nos serviços de apoio ao turista, como hospedagem, alimentação e etc. A TMTQ fará interligação de dezenas de fragmentos florestais, criando um corredor ecológico, que é a principal ferramenta reconhecida pela legislação para ampliar a conectividade entre áreas preservadas e, assim, assegurar a dispersão da fauna e flora e a manutenção de serviços ecossistêmicos.

4) Que tal incluir um vídeo sobre sua iniciativa?

No primeiro vídeo, os voluntários da trilha apresentam suas diferentes visões para as potencialidades da Trilha Transmantiqueira. No segundo vídeo, o coordenador geral da TMTQ, Hugo de Castro detalha a iniciativa. Utilize fones de ouvido para ouvir as falas com maior clareza.

5) Atividades: Destaque as principais atividades que você realiza no dia-a- dia do seu projeto.

Ações de mobilização, como oficinas e seminários que agregam atores sociais essenciais à atividade, identificando e interagindo com pessoas e entidades interessadas, futuros agentes das governanças locais dos 21 setores da TMTQ, são os tomadores de decisões e guardiões de cada Km da trilha. A comunicação é tema transversal ao projeto, realizando ações necessárias para levar seus objetivos aos interlocutores, desenvolvendo em cada um o sentido de pertencimento à TMTQ e fortalecendo o afeto pela Serra da Mantiqueira. Ações para promover o ordenamento turístico e o minímo impacto em ambiente natural. A implementação da trilha é o momento que capacitamos os voluntários para o manejo e sinalização da TMTQ, planejando e executando as ações. Por fim, o fortalecimento da Associação Trilha Transmantiqueira (ATT) (em formalização), instância que promove a governança geral da TMTQ, passo indispensável para continuidade do projeto e para a perpetuação da trilha.

6) Inovação: Qual inovação sua iniciativa está desenvolvendo ou adaptando para solucionar problemas na área do turismo? Como se diferencia de outras iniciativas no setor?

A TMTQ percorre 1200 km na Serra da Mantiqueira, cruza 47 municípios de SP, MG e RJ e promove a integração de 36 Unidades de Conservação. Integra a Rede Brasileira de Trilhas e atua como ferramenta de conservação, equipamento de recreação e gera emprego e renda junto às comunidades locais. O movimento inovador iniciou em 2017, agrega 672 voluntários, a base do movimento, que atua de forma participativa e horizontalizada, tendo como princípio a construção coletiva na qual a participação social é essencial para o alcance dos objetivos, uma vez que, todos os indivíduos e entidades são os verdadeiros tomadores de decisão. Os processos participativos são pautados na inclusão e no pluralismo de pessoas, comunidades, grupos e instituições, os quais dinamizam e ampliam a abrangência dos resultados frente à convergência de experiências e diversidade. A TMTQ inova pela construção coletiva, pela abordagem de vida ao ar livre, pela possibilidade de trazer desenvolvimento a locais isolados, por fomentar o turismo não sazonal, pelo alto potencial de conectividade entre áreas protegidas. Atualmente as trilhas são um meio de levar o turista a algum atrativo, mas a Trilha de Longo Curso muda esse paradigma, transformando a própria trilha em atrativo. Caminhar na trilha para vivenciar a natureza é sabidamente uma fonte de saúde física e mental, algo a que a população irá recorrer no mundo pós-pandemia. A TMTQ tem um papel importante na superação desta crise e na reconstrução de um novo mundo.

7) a) Pilares do Turismo sustentável: Quais dos seguintes pilares do Turismo Sustentável o seu projeto contempla?

  • Social - iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.  
  • Cultural - iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais.  
  • Ambiental - iniciativas que reduzam o impacto ambiental, que ofereçam soluções de compensação, que cuidem da conservação e do uso de recursos naturais, que se proponham a regenerar áreas degradadas e que promovam educação e sensibilização ambiental.     
  • Econômico - iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais.  

7) b) Pilares do Turismo Sustentável: explique como os pilares que sinalizou na pergunta anterior estão presentes na implementação do seu projeto.

CULTURAIS: A cultura é a identidade de um povo, na Trilha Transmantiqueira, há duas vertentes culturais riquíssimas: a ancestralidade dos indíos Puri e a cultura caipira. Ambos com universos de valorização de aspectos relacionados à lendas, folclore, receitas típicas, plantas medicinais e visões de mundo encantadoras entrelaçadas de forma intrínsica com a natureza. ECÔNOMICOS: ATMTQ gera novas ofertas de produtos e serviços como guias locais, alimentação, hospedagem, suprimento, aluguel, transporte, logística, acampamentos, etc. A presença de ecoturistas incrementada a demanda por produtos e serviços locais. O Turismo cultural também poderá ser impulsionado e explorado em toda a sua amplitude através de serviços especializados como literaturatura, artesanato e gastronomia. Também haverá estímulo ao Turismo de Aventura e de Observação (“birdwatching”). SOCIAIS: a TMTQ se vincula à manutenção das populações nos locais, aumento da segurança alimentar, acesso à educação e saúde, promoção da cultura local, da diversidade de gênero e outras questões resultantes do aumento das oportunidades econômicas. AMBIENTAIS: As Trilhas de Longo Curso é uma ferramenta de conservação , de conectividade de paisagens e áreas protegidas, de colaboração para aumento dos serviços ecossistêmicos e de contenção do declínio de populações (fauna e flora).A TMTQ atua ainda como catalisador para restauração ecológica de áreas degradadas,e apoiador para a criação de RPPNs e na educação ambiental.

8) Impacto: quais impactos seu projeto causou até agora? Considere impactos internos na estabilidade da sua organização e externos em relação ao pilares do turismo sustentável, utilize dados

Ações de mobilização (seminários) buscam mapear e agregar os atores essenciais, identificando pessoas e entidades que se tornam protagonistas das governanças locais dos 21 setores que compõem a TMTQ e que são os tomadores de decisões e os guardiões de cada trecho. A implementação da trilha inclui a capacitação dos voluntários para o planejamento, manejo e sinalização da trilha e área envoltória. O projeto já realizou 10 seminários, mais de 20 mutirões e 1 programa de voluntariado com a APA da Serra da Mantiqueira (437.524 ha). Resultaram na sinalização de 200 km de trilha. Ainda se espera promover um modelo de desenvolvimento territorial sustentável como estratégia de conservação e ordenamento do turismo de montanha da Mantiqueira além do desenvolvimento dos indivíduos e das comunidades tradicionais, evitando o esvaziamento das mesmas por falta de oportunidade, emprego e renda. A trilha tem papel estratégico ao privilegiar a educação ambiental na promoção do contato com o ambiente natural, na busca de alternativas às relações da sociedade com a natureza e seus indivíduos, por meio da descoberta de novos estilos de vida, aspectos culturais, econômicos e sociais.

9) Estratégias de crescimento: Quais são seus planos para fomentar o crescimento de sua iniciativa?

Atividades para 2021: - Ampliar e consolidar a governança da Associação Trilha Transmantiqueira e dos Grupos Técnicos; - Maximizar a capilaridade da TMTQ em todos os trechos; - Consolidar o cadastro dos pontos de apoio e serviços ao caminhante - hospedagem, transporte, ressuprimento, alimentação e serviços de apoio - fator de promoção econômica nas localidades; - Expandir as campanhas de conscientização e conduta de mínimo impacto ambiental nas trilhas; - Atingir a meta de 40% de trechos sinalizados em relação ao percurso total; - Formalizar e potencializar as parcerias com municípios, empresas organizações de artesãos e instituições ambientais; - Após a estruturação da Associação, criar um programa de captação de recursos e de doações; - Identificar áreas para restauração florestal visando a conectividade estrutural e possíveis áreas para criação de unidades de conservação; - Promover aspectos culturais das localidades como atrativos para o caminhante.

10) Colaboração: como a sua iniciativa colabora com outros atores (governos, universidades, empresas, associações da sociedade civil) para fazer a diferença? Você realiza alguma parceria?

Temos parceria com instituições e administrações públicas em todas as esferas, ação que será ampliada, pois entendemos que a trilha é um produto turístico de grande interesse aos municípios, estados e circuitos turísticos, fomentando a geração de emprego e renda para as localidades, agregados à conservação do ambiente natural. O apoio das prefeituras estreita a relação com os conselhos municipais de turismo e meio ambiente e amplia a visibilidade do projeto, beneficiando os principais parceiros, que são as pequenas empresas e trabalhadores dos serviços turísticos. Até o momento são: 21 prefeituras, 3 orgãos federais (ICMBio, Ministério do Turismo e Ministério do Meio Ambiente), 3 instituições estaduais (Fundação Florestal/SP, Instituto Estadual do Ambiente/RJ e Instituto Estadual de Floresta/MG), 25 Unidades de Conservação, 3 Circuitos Turísticos (Serras Verdes, Altos da Mantiqueira e Serras de Ibitipoca), 3 empresas (Sherwin Williams, Colorgin e Oficina&Arte) e 672 Voluntários.

11) Inspirar novos agentes de transformação: você tem influenciado outras organizações e pessoas a se envolverem no seu projeto e/ou a se preocuparem com o Turismo Sustentável? Se sim, como?

O projeto pauta-se em processos participativos, na inclusão e no pluralismo de pessoas, comunidades, grupos e instituições, pois assim ampliam resultados frente à rica convergência de experiências e múltiplas diversidades em prol de um objetivo em comum. O voluntariado é um dos nossos principais valores, fortalecido pela Associação Trilha Transmantiqueira (ATT) no processo de “governanças locais”, em 21 setores, articulados em rede. A dimensão do projeto e a capilaridade que possui necessita do fator humano participativo, agente de transformação, de modo a expandir exponencialmente as ações e a rede de colaboradores. Até o momento, estas governanças envolveram gestores de unidades de conservação, públicos e circuitos de turismo e pontos de apoio ao caminhante nos 1.200km de trilha. Também estimulamos e orientamos a criação da RPPN Pico dos Cabritos ao longo da trilha. Os parceiros envolvidos no projeto potencializam suas ações a amplificam-se como novos agentes de transformação.

12) a)Quais dos seguintes recursos sua organização obteve até o momento?

  • Suporte de amigos
  • Mentores / conselheiros
  • Financiamento coletivo

12) b) Planejamento Financeiro: como você planeja financiar o seu projeto a curto, médio e longo prazo?

Com a estruturação do corpo jurídico da associação civil de direito privado, em fase de conclusão, será possível formalizar as parcerias, iniciar o Programa de Associados e uma campanha de doaçoes, participar de editais nas áreas de turismo, recreação, restauração e conservação, firmar parcerias com empresas, proprietários rurais e setor público. O registro da marca TMTQ possibilitou a geração de recursos através da comercialização de produtos e a organização da "Produção Associada à Trilha Transmantiqueira", com a disponibilização da marca aos artesãos para criação de produtos necessários aos caminhantes. Busca-se a sustentabilidade para o projeto através da articulação em rede entre pessoas e entidades ao longo do percurso da Trilha Transmantiqueira. Formas de financiar o projeto CURTO PRAZO: 1 ano 70% do edital da ASHOKA; 20% Doações e campanhas de doações coletivas; 10% Anuidade dos filiados pessoas físicas e jurídicas de direito público ou privado MÉDIO PRAZO: 3 anos 40% Projetos e editais; 20% Anuidade dos filiados pessoas físicas e jurídicas de direito público ou privado; 20% Comercialização dos Produtos Associados a Trilha Transmantiqueira; 10% Doações e campanhas de doações coletivas; 10% Eventos beneficentes; LONGO PRAZO: 5 anos 30% Anuidade dos filiados pessoas físicas e jurídicas de direito público ou privado; 30% Comercialização dos Produtos Associados a Trilha Transmantiqueira; 30% Projetos e editais; 10% Doações e campanhas de doações coletivas

12) c) Quanto você já investiu no seu projeto para a operação deste ano?

  • Investimento entre R$1.000 e R$10.000

12) d) Qual é o orçamento necessário para o funcionamento do seu projeto durante 1 ano?

  • acima de R$ 50.000

13) Equipe: qual é a atual composição da sua equipe (papéis, qualificação, tempo integral x temporários, etc)? Como essa composição se transformará no futuro do seu projeto?

- Governança geral: 1 coordenador geral, 1 de voluntariado, 1 de manejo e sinalização, 1 de turismo, 1 de meio ambiente e 1 de comunicação; 1 de geoprocessamento e 1 de administração do site (todos part-time); - Governança regional: 5 coordenadores regionais (part-time) - fomentam a implantação da trilha regionalmente; - Governança local: 11 coordenadores institucionais; 11 técnicos; 5 de comunicação (todos part-time); Com a consolidação do projeto algumas pessoas da equipe de governança geral que atualmente trabalham part-time, poderão passar a trabalhar em tempo integral. Os coordenadores regionais passarão a ser 7 pessoas representando todas as regiões de abrangência do projeto e trabalharão em tempo integral. - Voluntários: Fixos Por Região: Cantareira: 32, Serras Verdes: 91, Campos do Jordão: 33, Altos da Mantiqueira: 46, Agulhas Negras: 83, Papagaio Ibitipoca: 63 e Inconfidentes: 17. Total por região: 397 Voluntários sazonais: 275 Total: 672

14) Diversidade na equipe: descreva a diversidade de sua equipe e inclua informações sobre a distribuição de cargos.

Nossa estrutura organizacional é ampla e horizontalizada, temos uma equipe de coordenação (ATT) que se articula com os voluntários (397 fixos), organizados em grupos de trabalho (GTs) dos 21 setores. Difícil enumerar equipe tão grande e diversa, compostas por uma mistura de gente urbana e rural, de todas as idades, de diferentes profissões, origens, etnias, credos, direcionamentos políticos, orientações sexuais, religiões e culturas… múltiplas diversidades reunidas no caldeirão efervescente e “sociodiverso” da Serra da Mantiqueira. Também reunimos uma diversidade de atores sociais como a sociedade civil, as instituições públicas e privadas e o terceiro setor; todos em prol da TMTQ. Exemplos de Cargos (ATT) Coordenações: Geral - Hugo, Rio de Janeiro, Manejo & Sinalização - Luiz Aragão, Taubaté Turismo - Dora, Extrema Comunicação - Kika, Itatiba Site - Clarice, Conceição de Ibitipoca 21 coordenadores de GTs

15) a) Diversidade do público de sua iniciativa: o seu projeto tem como foco específico algum dos seguintes grupos?

  • Comunidade de baixa renda
  • Comunidade rural
  • Comunidade periférica
  • Comunidade indígena
  • Outra Comunidade Tradicional
  • Voluntários, caminhantes, esportistas, ambientalistas, serviços e comércio turístico, fornecedores

15) b) Diversidade de público da iniciativa: Dê exemplos reais de como o seu projeto está conseguindo impactar todos os grupos que você indicou na pergunta anterior.

A atividade turística demanda uma ampla rede de serviços, comércio, prestadores de serviço e seus fornecedores. Esta rede se amplia e se fortalece à medida em que a atividade turística se consolida nas localidades. O ecoturismo é a modalidade que mais cresce no panorama turístico e requer uma gama específica de profissionais e de produtos, além dos negócios tradicionais da cadeia turística. Em relação à implementação da trilha, as populações afetadas beneficiam-se por: - Construção participativa para definição do trajeto da trilha, conforme seu conhecimento local - Mapeamento dos indivíduos, famílias, empreendimentos e articulação para que sejam pontos de apoio ao caminhante e adotantes de cada trecho da trilha - Ações de capacitação para manejo e sinalização de trilhas - Promoção de Educação Ambiental e valorização das Unidades de Conservação durante as atividades - Difusão de práticas comunitárias, tradições locais, festas regionais e atrativos naturais de identidade local

16) Como você soube desse desafio?

  • Mídia social

17) ADAPTABILIDADE: Como sua iniciativa contribui para a resiliência socioeconômica e cultural da comunidade em que você atua? Ou seja, como ela ajudou a comunidade a se adaptar em uma situação de crise como a pandemia da covid-19?

A TMTQ vem se estruturando desde novembro de 2017, quando sua extensão, inicialmente com 350 km, ampliou-se para os atuais 1200 km, ligando a cidade de São Paulo ao Parque Estadual de Ibitipoca (MG) pelas cristas da Mantiqueira. Neste período, à medida em que a trilha se consolidava, também agregava pessoas, instituições e negócios ao longo de seu trajeto. Lidamos com comunidades de caminhantes, guias, prestadores de serviços, comerciantes, sitiantes e moradores das localidades, gestores de unidades de conservação, prefeituras. As pessoas constituem o corpo de voluntários que são o sangue e a alma da trilha. Prefeituras, associações de moradores, unidades de conservação públicas e privadas são as principais instituições que se agregam à iniciativa e campings, pousadas, restaurantes, guias e transportadores são exemplos de negócios que devem aderir em breve à TMTQ por meio de um cadastro que deverá ligar prestadores de serviços e comércios de interesse ao caminhante. Este cadastro foi lançado ao percebermos que a pandemia de covid-19 afetaria de modo contundente estes parceiros. Como as atividades turísticas em ambiente natural seriam as primeiras a serem retomadas após um período de paralisação - o que está realmente ocorrendo - o cadastro e sua divulgação seria o meio mais eficiente de reconectar os empreendimentos, pessoas e locais de interesse turístico ao caminhante da TMTQ. Com o relaxamento das quarentenas e a reabertura das atividades ao longo da trilha o processo de cadastramento de parceiros está sendo retomado.

18) MUDANÇAS SISTÊMICAS: Você diria que sua atuação gera ou visa a mudança sistêmica? Caso sim, por favor explique.

Uma trilha de longo curso (TLC) como a Transmantiqueira (TMTQ) não se volta apenas a esportistas ou montanhistas, caracteriza-se como um novo meio de viagem que abre mão de veículos: se viaja a pé. Uma mudança sistêmica significativa nos meios contemporâneos de deslocamento. Seja para o desafio de percorrer inteiramente seus 1.200 Km, ou um trecho possível de ser concluído em apenas um dia, ou qualquer intervalo entre estes dois extremos. A viagem a pé apresenta-se como uma nova perspectiva de conhecer o território da trilha no ritmo da caminhada, em contato permanente com o ambiente, com o clima local, com as pessoas e os lugares. A trilha está estruturada para propiciar experiências de caminhada de todos estes tipos e integra o conjunto de áreas naturais protegidas da Serra da Mantiqueira, passando também por localidades com infraestrutura urbana e de serviços em toda a sua extensão, propiciando desde o contato com o ambiente natural, o meio rural até o panorama sociocultural desta vasta região montanhosa que perpassa 3 estados (SP, MG e RJ). Neste trajeto, vai sendo estruturada uma nova dinâmica no mercado turístico, adaptada às pequenas localidades e às necessidades e desejos do caminhante. Do ponto de vista institucional, o advento das TLCs como a TMTQ, uma das pioneiras, podemos citar a criação de nova política pública que reconhece a relevância e oficializa as trilhas de longo curso no Brasil como elemento de conectividade de ecossistemas e como equipamento turístico com as Portarias Conjuntas 407 (out/2018) e 500 (set/2020), do Ministérios do Meio Ambiente e do Turismo, que instituem e regulamentam a Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso e Conectividade (Rede Trilhas). Do ponto de vista local, a TMTQ propicia um protagonismo disperso pelos seus 21 setores e 7 setores ao agregar 672 voluntários para funções que vão da gestão ao manejo, além das relações interinstitucionais e da promoção de atividades comerciais.

19) TURISMO COMO VETOR DE DESENVOLVIMENTO: Você consegue exemplificar, a partir da sua experiência, como o turismo pode colaborar localmente para um sistema de criação de valor compartilhado?

A trilha incentiva o desenvolvimento de uma ampla cadeia de valor. Na área de serviços, a presença do caminhante gera oportunidades para a formação e especialização dos moradores na prestação de serviços de guiagem, traslado, alimentação e hospedagem. O saber e o fazer das pessoas geram produtos a serem comercializados como produção associada à TMTQ. O caminhante requer a produção e o preparo de alimentos para se reabastecer ou para consumir localmente em restaurantes e pousadas; essa oferta de alimentos pode se expandir para a produção artesanal de derivados de leite como queijos, iogurtes e congêneres, bem como de doces e geleias, embutidos e conservas, e outros produtos alimentares específicos para as caminhadas. Também estimula a produção de artesanato em geral, estabelecendo uma relação mútua onde o público-alvo estrutura a trilha junto com as comunidades locais. Manifestações da cultura imaterial, como festas religiosas e festivais de arte/cultura também interessam ao caminhante, convertendo-se em atrativo. Também estimulamos os artesãos locais a desenvolverem produtos com a pegada preta e amarela, estilizada em formato de Araucária e pinhão, marca registrada da TMTQ. Em termos de promoção turística, a TMTQ deverá contribuir em breve com a divulgação do cadastro de parceiros e de roteiros associados.

20) REPLICABILIDADE: Para você, é possível identificar outros projetos que foram inspiradores para sua iniciativa? Em quais aspectos? E como o seu projeto se preocupa em inspirar outras iniciativas e ser replicado em outros contextos? Há alguma estratégia para viabilizar sua replicação?

ANTECEDENTES: a trilha Transmantiqueira e outras trilhas de longo curso e conectividade no Brasil foram inspiradas e baseiam seu modelo de planejamento, implantação e gestão na experiência internacional. Trilhas de longo curso existem há quase 100 anos em outros países. A Appalachian Trail (3.500 Km), no leste dos EUA, foi iniciada em 1921. Está associada a outras trilhas de longo curso, congregadas no National Trail System, somando 225 mil km de trilhas sinalizadas em todas as esferas administrativas. Além do sistema norte-americano, a European Long Distance Path System conta com 12 trilhas que se intercruzam por toda a Europa, perfazendo mais de 70 mil Km. A European Ramblers Association constitui a instância de governança destas trilhas e conta atualmente com mais de 3 milhões de membros individuais. Além destas, temos sistemas de trilhas de longo curso em diversos outros países como a Argentina (Heulla Andina), Dominica (Waitukubuli National Trail), Australia (Bibbulmun Track), Líbano (Lebanon Mountain Trail), Israel (Israel National Trail), Nepal (Great Himalaya Trail), Jordânia (Jordan Trail). A experiência – acertos e erros - acumulada nestes sistemas nacionais de trilhas subsidiou a implantação de experiência correlata no Brasil, inicialmente com a Trilha Transcarioca que foi o estopim para o desenvolvimento da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso e Conectividade que, atualmente, congrega 74 trilhas, somando 10.500 km, distribuídas por todo o território nacional. REPLICABILIDADE: a TMTQ faz parte da Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso e Conectividade e compartilha com as demais TLCs de todo o Brasil de uma identidade visual caracterizada pelas pegadas amarelas e pretas, personalizadas para cada trilha. A organização em rede propicia a troca de experiências e informações que vêm conformando as TLCs por todo o Brasil. Em nível internacional, a TMTQ faz parte da World Trail Network, apoiada pela UICN - braço da UNESCO que lida com as áreas protegidas

21) UTILIZAÇÃO DO PRÊMIO - Caso sua inciativa seja uma das três iniciativas selecionadas para receber o prêmio em dinheiro, como pretende investir o valor recebido?

- 70% sinalização trechos modelo. Organização de Seminário: articulação, divulgação, sensibilização. - 10% formaliza ATT e campanha de arrecadação permanente. Registro cartório+CNPJ + custos fixos. - 20% plano marketing e divulgar/comercializar produto turístico TMTQ. Diretrizes de comunicação para cada tipo de público. Posts nas redes sociais e lives para os públicos da TMTQ. Implantar e-comerce de produção associada. Ver anexos 1 e 2

22) a) TURISMO SUSTENTÁVEL: o que é turismo sustentável para você?

Turismo só é sustentável se atender às necessidades ambientais, econômicas e sociais das localidades onde ocorre, colaborando também para a promoção dos aspectos culturais. A Trilha Transmantiqueira caracteriza-se como um vetor de conectividade entre paisagens e áreas protegidas, reduzindo os riscos da fragmentação de hábitats e do isolamento de áreas naturais. Também promove o desenvolvimento local por meio de uma atividade de baixo impacto ambiental como a caminhada, que dispensa os veículos como meio de transporte. A presença do caminhante gera uma nova dinâmica econômica nas localidades por onde passa por meio da demanda de serviços e de comércio específico, aumentando a gama de oportunidades de geração de renda, de novos negócios e de empregos nestas atividades. Estas novas oportunidades criam ambiente propício à permanência das pessoas na localidade onde nasceram ou escolheram para viver, colaborando para a diminuição do êxodo rural ou dos pequenos municípios da Mantiqueira.

22) b) TURISMO SUSTENTÁVEL: Com base na sua experiência, quais você considera serem os principais desafios para a implementação de iniciativas de turismo sustentável na atualidade? Quais caminhos você vislumbra para superá-los?

PRINCIPAIS DESAFIOS - Perda de áreas naturais que prejudica o ecoturismo e o turismo de observação da vida silvestre - Degradação de culturas tradicionais que prejudica ou extingue o turismo comunitário e a troca/aprendizado de saberes e fazeres - Perda de variabilidade de atividades turísticas, privilegiando o turismo de sol e praia. O ecoturismo e o turismo de base comunitária (TBC) ainda não são prevalentes no Brasil - Carência de capacitação para receber visitantes brasileiros e estrangeiros em locais de atividade turística incipiente - Falta de incentivos ao TBC e de roteiros de base sustentável - A pandemia de covid-19 pode retardar ainda mais o desenvolvimento da atividade turística de pequena escala e fora dos grandes eixos turísticos pela precariedade destes roteiros CAMINHOS - Abordagem mais consistente da atividade turística por parte do poder público e das instituições de turismo, atendendo de forma mais igualitária à segmentação de modalidades turísticas e aos aspectos regionais da realidade brasileira - Dispensar maior atenção ao turismo de natureza como vocação do turismo brasileiro, incentivando suas várias modalidades e regionalizando produtos turísticos, promoção de destinos e tornando os seus custos competitivos - Atenção específica ao Turismo de Base Comunitária como atividade de introdução ao mundo do turismo e de conservação das bases culturais e históricas das comunidades - Atenção específica ao segmento das Trilhas de Longo Curso como modalidade turística do setor de ecoturismo, enquanto nova modalidade de viajar

22) c) TURISMO SUSTENTÁVEL: Quais oportunidades você considera importantes para fortalecer iniciativas de turismo sustentável?

Incentivo ao turismo de base local por meio de - Capacitação de agentes locais para a atividade turística de baixo impacto - Abertura de linhas de crédito para negócios turísticos de base local - Estruturação de negócios turísticos de baixo impacto ambiental e alto impacto econômico local - Agregação de valor aos produtos locais com a valorização da mão-de-obra - Consolidação de alternativas turísticas como as trilhas de Longo curso, pelo seu potencial de atividade de baixo impacto ambiental e de alto potencial de promoção social em localidades onde a atividade turística é incipiente.

Evaluation results

37 evaluations so far

1. IMPACTO: Esta iniciativa demonstra impacto relevante, e com evidências quantitativas e qualitativas?

Com toda certeza. - 48.6%

Sim, há evidências quantitativas e qualitativas de seu impacto na comunidade. - 40.5%

De forma parcial. - 10.8%

Não, há pouca evidência de resultados de impacto. - 0%

Não. - 0%

2. INOVAÇÃO: Esta iniciativa desenvolveu e implementou uma abordagem inovadora?

Com toda certeza. - 29.7%

Sim, tem características inovadoras. - 56.8%

De forma parcial. - 13.5%

Não, há pouca evidência demonstrada. - 0%

Não. - 0%

3. PLANEJAMENTO FINANCEIRO E OPERACIONAL: A iniciativa tem como base um modelo de negócio viável e mostra planos realistas de longo prazo para a sustentabilidade financeira?

Com toda certeza. - 24.3%

Sim, a iniciativa tem um bom modelo de negócio. - 45.9%

De forma parcial. - 27%

Insuficiente. - 2.7%

Não. - 0%

4. REPLICABILIDADE & CRESCIMENTO: Avalie a escalabilidade da iniciativa. Ela tem potencial de ser replicada em outros contextos sociais, culturais e/ou geográficos?

Com toda certeza. - 40.5%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 45.9%

De forma parcial. - 13.5%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

5. AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO: Uma/um agente de transformação social é alguém que se propõem a lidar e encontrar soluções coletivas para o bem de uma comunidade, um grupo, uma localidade. Queremos saber: essa iniciativa ajuda a inspirar e apoiar outras pessoas a se tornarem agentes de transformação em suas comunidades?

Com toda certeza. - 54.1%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 35.1%

De forma parcial. - 10.8%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

6. DIVERSIDADE: Esta iniciativa demonstra a inclusão de públicos diversos em sua iniciativa, seja nos parceiros com os quais colabora e/ou na composição de sua equipe?

Com toda certeza. - 30.6%

Sim, a iniciativa demonstra potencial. - 44.4%

De forma parcial. - 25%

Insuficiente. - 0%

Não. - 0%

7. AVALIAÇÃO GERAL: De forma geral, você considera que esta iniciativa deve avançar para a próxima fase do Desafio e se tornar um semifinalista?

Sim, com toda a certeza! - 45.9%

Sim, acredito que sim. - 35.1%

Talvez. - 18.9%

Provavelmente não. - 0%

Não. - 0%

View more

Attachments (3)

Custo dos insumos da sinalização set-2020.xlsx

Planilha de custos de materiais e despesas para sinalização de trilhas

projeto-trilha-transmantiqueira-v11.2-ashoka.pdf

Projeto Trilha Transmantiqueira

69 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Gil Cunha
Team

Projeto fantástico!!!

View all comments