Você tem uma iniciativa inovadora em Turismo Sustentável, que promova a transformação social e o desenvolvimento local?

Para visualizar o conteúdo da página de forma adequada, evite a versão Internet Explorer 11 (2015) ou versões anteriores deste navegador. Demais navegadores apresentaram configurações adequadas.


No atual cenário de pandemia vivenciado pelo Brasil e pelo mundo, o Turismo é um dos setores mais impactados. Devido às medidas de isolamento social, em 2020 estima-se uma queda de 62 bilhões na atividade econômica do turismo, responsável por empregar mais de 2 milhões de brasileiros, de acordo com dados do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, de 2018). Por outro lado, são cada vez mais comuns exemplos da recuperação da biodiversidade em destinos onde a atividade turística representava um grande prejuízo ao meio ambiente, por exemplo. 

As iniciativas em turismo estão diante de uma realidade complexa e diversa, que exige transformação e adaptabilidade em diversos sentidos. Para além do aspecto financeiro, inovações no setor devem ser capazes de favorecer o desenvolvimento das comunidades com cuidado com a natureza e com as culturas locais, distribuindo renda para todas as pessoas envolvidas e levando em consideração os novos cenários da economia mundial e das medidas de segurança sanitária.  

Para que isso aconteça, nunca foi tão necessária uma revisão de modelos. E, justamente neste momento, lançamos o Trilhando a Transformação: Desafio de Inovações em Turismo Sustentável, uma iniciativa voltada especialmente para quem, diante da atual conjuntura do setor, está construindo outros arranjos para o turismo. 

Buscamos por iniciativas inovadoras que: 

  • Foquem ao menos em duas das quatro áreas fundamentais do turismo sustentável: Social, Cultural, Ambiental e Econômico;
  • que sejam Inovadoras
  • que promovam o Desenvolvimento Local;
  • que gerem Transformação Social;  
  • que afirmem o Protagonismo das Comunidades;   
  • que se estruturem a partir da colaboração de diversos atores.  


Serão especialmente valorizadas propostas que, além de apontarem caminhos para o turismo num mundo pós-pandemia, reforcem questões de diversidade, inclusivas, afirmativas, de gênero e raciais (traduzidas em projetos liderados ou voltados para mulheres, negros, indígenas, jovens e pessoas com deficiência). 

 O Desafio pretende auxiliar no contato entre agentes transformadores preocupados em debater e encontrar caminhos conjuntos para o futuro sustentável do turismo. Oferecerá oportunidades para os participantes se conectarem entre si, receberem e darem feedbacks e, assim, potencializarem suas iniciativas nesse momento tão desafiador.  

Serão R$ 100 mil, distribuídos para cada um dos três projetos selecionados, além de vários outros benefícios que estão descritos em detalhes na seção 'Prêmios e Benefícios'. 

ATENÇÃO! Você tem até o dia 31 de agosto de 2020, às 23h30 para finalizar sua inscrição!

Compartilhe sua iniciativa com a gente! 

CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS SOBRE A PARCERIA ENTRE ASHOKA BRASIL E CTG BRASIL


  • Lançamento: 30/06/2020   
  • Período de inscrição: De 30/06/2020 a 31/08/2020 
  • Avaliação I e Feedback: De 01/09/2020 a 18/09/2020 
  • Edição dos projetos: De 18/09/2020 a 30/09/2020
  • Avaliação II e Feedback: De 01/10/2020 a 19/10/2020 
  • Divulgação dos Finalistas:  26/10/2020 
  • Avaliação Jurados: 27/10/2020
  • Evento presencial de premiação com Finalistas e Vencedores: de 23 a 27/11/2020
  • Anúncio dos vencedores: 27/11/2020
  • Início da Fase II - Premiação e Aceleração: Janeiro de 2021


Para todos os participantes elegíveis

  • Feedback sobre inscrição
  • Oportunidade de conectar com pares (demais inscritos)
  • Participação em processo de Avaliação Entre Pares


Semifinalistas

  • Participação na fase de Edições e Aprimoramento das Inscrições
  • Participação em rodas de conversa online 
  • Participação na publicação do Mapeamento de tendências em Inovações Sociais de Turismo Sustentável


Finalistas

  • Oportunidade de fazer pitch para jurados
  • Participação no Evento Final e todas suas atividades  
  • Participação em vídeo sobre o grupo de Finalistas
  • Registro das propostas Finalistas em Podcast sobre o Desafio
  • Registro das propostas e contato em artigo geral sobre o Desafio


Selecionados

  • Serão 3 selecionados
  • Participação na Aceleração (fase II)
  • Participação na Imersão em Campo (fase II)
  • Investimento de R$ 100 mil para cada iniciativa selecionada
  • Assessoria no plano de negócios
  • Vídeo sobre cada vencedor (3 no total)
  • Destaque das Iniciativas Vencedoras em Podcast sobre o Desafio
  • Artigo sobre cada inciativa a ser publicado na página da parceria



Procuramos nesse Desafio iniciativas que atendam aos três seguintes critérios:   

1. Colaborar com diversos atores 

Projetos que envolvem colaboração com diferentes atores (organizações comunitárias, cooperativas de produção, ONGs, empresas, governos, associações de classe, entre outros) na sua execução para potencializar seu impacto.    


2. Adaptação local para um mundo em constante mudança  

Iniciativas que constroem soluções junto com as comunidades locais para os desafios e oportunidades trazidos num mundo em constante mudança.   


3. Áreas de foco
Buscamos projetos que estejam relacionado com pelo menos duas das seguintes áreas de foco:

a) Social: iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.   

b) Cultural: iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais.   

c) Ambiental: iniciativas que reduzam o impacto ambiental, que ofereçam soluções de compensação, que cuidem da conservação e do uso de recursos naturais, que se proponham a regenerar áreas degradadas e que promovam educação e sensibilização ambiental.      

d) Econômico: iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais.


A/O responsável pela iniciativa e autora/autor da inscrição: 

  • deve ter mais de 18 anos 
  • deve ser brasileira/o ou estrangeira/o residente no Brasil 
  • deve comprovar atuação direta no projeto 
  • não pode ser funcionário nem familiar de funcionários da Ashoka e da CTG Brasil 


O projeto inscrito deve:

  • já ter sido implementado, mesmo que em pequena escala (projeto piloto, MVP - Mínimo Produto Viável)
  • envolver pelo menos dois (2) dos quatro (4) pilares do turismo sustentável (social, cultural, ambiental e econômico) descritos na seção "Escopo e áreas de foco"



 Impacto

Queremos saber o impacto da sua iniciativa e também como você está acompanhando o progresso do seu trabalho de forma qualitativa e quantitativa. Buscamos soluções para problemas do turismo que tenham uma abordagem sistêmica do campo.  Além disso, queremos entender qual o seu objetivo de longo prazo e qual o potencial da inovação no futuro.

 Inovação

O desafio busca iniciativas em Turismo Sustentável. Pode ser uma inciativa inédita ou a adaptação de algo que já existe. Avaliamos a inovação de acordo com o objetivo de gerar mudanças e impactos sistêmicos no ciclo de produção, gestão e consumo no campo.

 Planejamento financeiro e operacional

Buscamos inscrições que tenham planos de negócio consistentes e promissores, que gerem impacto a longo prazo, por meio da mobilização de recursos de várias naturezas como: financiamento, equipes, parcerias ou redes de suporte. As inscrições devem descrever não apenas como atualmente financiam seu trabalho, mas também como planejam financiar no futuro. Vamos considerar se os prazos são realistas para a implementação, assim como analisar a experiência e o comprometimento da liderança da equipe na organização.

Replicabilidade & Crescimento

Queremos iniciativas que tenham abordagens replicáveis e/ou adaptáveis e/ou com potencial de crescimento, gerados no interior da própria iniciativa ou por meio de inspirações e novos padrões para o campo.

Agentes de transformação

Buscamos projetos que tenham na sua estratégia uma abordagem que potencializa as pessoas como agentes de mudança, colocando-as no centro da solução, como participantes ativas para criar mudanças sociais.

Diversidade

Além dos critérios de avaliação descritos acima, serão analisadas as evidências de inclusão que atendam gênero, acessibilidade, classe, etnia, raça e diversidade intergeracional. A diversidade pode ser evidenciada no público da iniciativa, nos parceiros e/ou na equipe do proponente.



CONFIDENCIALIDADE E RETENÇÃO DE MATERIAIS ENVIADOS  

Uma vez que a Inscrição é publicada por um(a) Participante, a Inscrição será visível publicamente na plataforma usada no "Trilhando a Transformação: Desafio de Inovações em Turismo Sustentável" ("Desafio Trilhando a Transformação"), com exceção do conteúdo dos campos que indicam que serão visíveis apenas para o participante autor da inscrição e pela equipe de administradores da plataforma. A Ashoka e a CTG Brasil reservam expressamente o direito de compartilhar a inscrição com terceiros que seja necessário envolver para o propósito de qualquer atividade relacionada ao Desafio Trilhando a Transformação.  

Indivíduos ou organizações enviando e/ou publicando Inscrições podem solicitar que seus arquivos e dados sejam deletados da plataforma a qualquer momento.  


VALOR DO PRÊMIO DO DESAFIO TRILHANDO A TRANSFORMAÇÃO 

A CTG Brasil premiará os(as) vencedores(as) do Desafio Trilhando a Transformação com um total de R$ 300 mil (trezentos mil reais) em prêmios, a serem divididos entre três (3) Vencedores(as), sendo pago o valor de R$ 100 mil (cem mil reais) para cada vendedor. 

O recebimento dos Prêmios do Desafio Trilhando a Transformação podem estar sujeitos a diferentes taxas e impostos, como o imposto de renda, taxas indiretas ou outros tributos que podem variar de acordo com a Unidade Federativa na qual o projeto da Inscrição é implementado. É de responsabilidade do(a) Participante agir conforme as leis aplicáveis, incluído a legislação tributária. O valor líquido a ser depositado é de R$ 100 mil e a CTG Brasil se compromete a recolher os impostos que lhe são de responsabilidade referente ao valor do prêmio. Demais taxas e/ou impostos incidentes sobre o valor do Prêmio serão de responsabilidade do(a) Participante. Os Prêmios do Desafio Trilhando a Transformação serão concedidos em Reais. Possíveis custos associados à troca de moeda são de responsabilidade exclusiva do(a) Vencedor(a). 

Os pagamentos dos prêmios serão realizados em janeiro de 2021. 


USO DO PRÊMIO DO DESAFIO TRILHANDO A TRANSFORMAÇÃO 

Ao receberem o Prêmio do Desafio Trilhando a Transformação os(as) vencedores(as) concordam com, e se comprometem a, destinar estes recursos exclusivamente para desenvolver e ampliar o projeto descrito na sua respectiva Inscrição no Desafio Trilhando a Transformação. 

Após a entrega do Prêmio, a CTG Brasil se reserva o direito de revisar a documentação do desembolso do dinheiro do Prêmio entregue às Inscrições Vencedoras.  

Os vencedores(as) Desafio Trilhando a Transformação concordam com o monitoramento e avaliações regulares e apropriadas feitas pela CTG Brasil, bem como em fornecer relatórios sobre seu progresso, conforme exigido pela CTG Brasil. 


PARTICIPAÇÃO 

Os Prêmios são concedidos sem garantia de qualquer espécie pela CTG Brasil ou por qualquer de suas empresas afiliadas, expressas ou implícitas, sem limitação, exceto onde isso for contrário às leis ou regulamentos federais, estaduais ou locais. O envio de Inscrição para o Desafio Trilhando a Transformação exige que os Participantes concordem em se comprometer com os Termos e Condições aqui descritos e com as decisões conjuntas da Ashoka Brasil e da CTG Brasil, que são finais em todos os assuntos referentes ao Desafio Trilhando a Transformação. Qualquer Participante Finalista que não esteja disponível para participar do Evento Final do Desafio será desqualificado e um(a) Participante alternativo(a) do grupo de Semifinalistas será convidado(a) em seu lugar.  

A propriedade e todos os direitos de propriedade intelectual e industrial do e para o projeto descrito na Inscrição permanecerão com o Participante. 

Na extensão permitida por lei, os(as) Participantes concordam em isentar a CTG Brasil, suas subsidiárias, agentes, diretores, executivos, funcionários, representantes e cede por qualquer lesão ou dano causado ou alegadamente causado pela participação no Desafio Trilhando a Transformação e/ou uso ou aceitação de qualquer Prêmio concedido no Desafio Trilhando a Transformação. A CTG Brasil não se responsabiliza por nenhum erro tipográfico ou outro erro na impressão de materiais do desafio, na administração do Desafio Trilhando a Transformação. Um(a) Participante pode ser proibido(a) de participar do Desafio Trilhando a Transformação se, a critério exclusivo da CTG Brasil, ela acreditar razoavelmente que o(a) Participante descumpriu o regulamento do Desafio Trilhando a Transformação e/ou tentou minar a operação legítima do desafio, trapaceando, enganando ou outras práticas injustas, ou abuse, ameace ou assedie outros Participantes,  a CTG Brasil, a Ashoka ou agências associadas. 

Os(As) Participantes certificam e garantem que sua Inscrição é original e que são o(a) único(a) e exclusivo(a) proprietário(a) e detentor(a) dos direitos da Inscrição enviada e/ou que têm o direito de enviar a Inscrição para o Desafio Trilhando a Transformação. Cada Participante concorda em não enviar qualquer Inscrição que (1) viole qualquer propriedade de terceiros, propriedade intelectual, propriedade industrial, direitos pessoais ou outros direitos, incluindo, sem limitação, direitos autorais, marca registrada, patente, segredo comercial ou obrigação de confidencialidade; ou (2) viole a lei aplicável no Brasil. Na extensão máxima permitida por lei, cada Participante indeniza e concorda em manter a Ashoka e a CTG Brasil, suas subsidiárias, agentes, diretores, executivos, funcionários, representantes e cessionários isentos a todo momento e contra qualquer responsabilidade, reclamações, demandas, perdas, danos, custos e despesas resultantes de qualquer ato, inadimplência ou omissão do Participante e/ou violação de qualquer declaração, regra ou garantia aqui estabelecida. Na extensão máxima permitida por lei, cada Participante concorda em manter a Ashoka e a CTG Brasil, suas subsidiárias, agentes, diretores, executivos, funcionários, representantes e cessionários isentos a todo momento e contra qualquer responsabilidade, ações, reivindicações, demandas, perdas, danos, custos e despesas de ou sobre os quais a Ashoka ou a CTG Brasil será responsável ou poderá se responsabilizar por qualquer ação, inadimplência ou omissão por um Participante de acordo com estes Termos e Condições do Desafio Trilhando a Transformação, incluindo, sem limitação, resultado de ou em relação a qualquer violação, não observância, ato ou omissão, negligente ou não, de acordo com essas regras oficiais por parte de um Participante. 


DIREITOS DE COMUNICAÇÃO 

Ao concordarem com estes termos, os participantes concedem à Ashoka Brasil e à CTG Brasil e suas empresas afiliadas o direito perpétuo e gratuito e licença para usar seu nome, imagens, o nome da inovação e os direitos de propriedade intelectual relacionados à comunicação em conexão com o Desafio Trilhando a Transformação em comunicações institucionais das duas organizações de caráter não comercial. 

Nada nestes Termos e Condições do Desafio pretende conferir ou transferir a qualquer Parte qualquer direito de propriedade ou interesse em qualquer direito de propriedade intelectual (como marca comercial, design, logo etc.) da outra Parte. 


JURISDIÇÃO 

Os Termos e Condições do Desafio Trilhando a Transformação estão sujeitos a mudanças. Qualquer mudança realizada será publicada nesta página https://network.changemakers.com/challenge/turismosustentavel.  

Os Termos e Condições, bem com o Regulamento e a administração do Desafio Trilhando a Transformação serão regidos pelas leis da República Federativa do Brasil, e dentro da jurisdição dos tribunais locais.  

NENHUM RECURSO A PROCESSOS JUDICIAIS OU OUTROS PROCESSOS: Na medida permitida por lei, o direito de litigar, buscar medidas cautelares ou fazer qualquer outro recurso a procedimentos judiciais ou a qualquer outro procedimento em relação ao julgamento e decisão realizado pelo Painel de Jurados do Desafio Trilhando a Transformação é excluído e qualquer Participante renuncia expressamente a todos e quaisquer desses direitos. 



  • Turismo Sustentável


Consideramos o Turismo Sustentável como aquele que se baseia nos 4 pilares a seguir: economicamente viável, socialmente justo, culturalmente diverso e ambientalmente responsável. 

Socialmente justo: iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.  

Culturalmente diverso: iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais.  

Ambientalmente responsável: iniciativas que reduzam o impacto ambiental, que ofereçam soluções de compensação, que cuidem da conservação e do uso de recursos naturais, que se proponham a regenerar áreas degradadas e que promovam educação e sensibilização ambiental.  

Economicamente viável: iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais. 

 

  • Inovação 

 

O Desafio considera que o conceito de Inovação se refere a iniciativas com uma abordagem original. Podem envolver a invenção de algo novo ou a aplicação de abordagens existentes de novas maneiras ou em um novo contexto. Particularmente, interessam em modelos que usam abordagens novas para desencadear mudanças de mentalidade que levam a mudanças sistêmicas. 

 

  • Protagonismo das Comunidades

 

Potencializar as comunidades locais a serem agentes de suas próprias transformações no campo do Turismo Sustentável, a partir da valorização de suas potencialidades e da superação de seus desafios.  

Um mundo de pessoas que transformam. 

 

  • Transformação Social

 

Soluções que tragam propostas inovadoras, por meio do turismo sustentável, com geração de renda, desenvolvimento local, promoção da diversidade e contribuam para a biodiversidade e o ecossistema. Além disso, é importante que essa transformação seja pautada no reconhecimento e apoio a soluções inovadoras e saberes tradicionais relacionados ao turismo, gerando transformações que colaborem para a qualidade de vida das futuras gerações.


  • Desenvolvimento Local

 

Ciclos de produção podem ser economicamente viáveis, socialmente justos, culturalmente diversos e ambientalmente responsáveis e promovam a melhoraria na qualidade de vida das pessoas, num modelo inovador e replicável que respeite o meio ambiente, a história, o conhecimento e a diversidade cultural. 

 

  • Colaboração de Diversos Atores

 

O envolvimento de diversos atores como produtores locais, negócios comunitários, poder público e as instituições governamentais, a academia e a ciência, organizações não-governamentais e outros atores que estão criando soluções de desenvolvimento local e que fortaleçam o Turismo Sustentável.  

 

  • Mudança Sistêmica 


É um processo que envolve uma mudança de paradigma, um jeito de pensar, de existir, de um sistema funcionar. Geralmente está relacionada a muito atores e agentes, em diversos níveis de atuação, desde o local, passando pelo regional, nacional e até global. A mudança sistêmica age em uma estrutura, um sistema de funcionamento. Dificilmente pode ser percebida a curto prazo, e é difícil identificar seu início ou fim, pois ela é processual.  


  • Diversidade


Está relacionada, no âmbito desse desafio, a ações inclusivas, afirmativas, de gênero e raciais, de classe, étnicas, traduzidas em projetos liderados ou voltados para o benefício de mulheres, negros, indígenas, jovens e pessoas com deficiência. 


  • O que é a Parceria?

A parceria entre CTG Brasil e Ashoka Brasil foi criada com a finalidade de impulsionar o turismo sustentável como vetor de desenvolvimento local e transformação, apoiando soluções inovadoras e inspiradoras, que promovam a diversidade e contribuam para o ecossistema. Para isso, realizamos a iniciativa Trilhando a Transformação: Desafio de Inovações em Turismo Sustentável. Neste concurso, a parceria pretende reconhecer soluções inspiradoras voltadas para a construção de um novo modelo para o setor, capazes de influenciar a forma de fazer turismo em um mundo pós-pandemia e que possam ser inspiradores de iniciativas em diversos contextos.  A parceria também produzirá o Mapeamento de Tendências de Inovação Social para o Turismo Sustentável, que busca entender mais sobre o funcionamento do campo do turismo sustentável e como os empreendedores e empreendedoras estão lidando com os impactos da pandemia em suas iniciativas. 


  • O que é o Desafio?

Trilhando a Transformação: Desafio de Inovações em Turismo Sustentável é um concurso organizado pela Ashoka Brasil e CTG Brasil. Destina-se a apoiar soluções inovadoras e inspiradoras em todo o território nacional, dedicadas a construir novos modelos de turismo em suas quatro dimensões fundamentais: social, cultural, ambiental e econômico. O concurso contará com 10 (dez) finalistas e 3 (três) projetos selecionados, a serem anunciados até o final de 2020. Serão oferecidos benefícios específicos para cada categoria (ver abaixo).

Outra meta do Desafio é promover geração de inovação e tecnologia social para o Turismo Sustentável pós-Covid-19, buscando replicabilidade e escalabilidade no território brasileiro como um todo. Ou seja, a iniciativa trata de construir mudanças sistêmicas, relativas a comportamentos, práticas de mercado, políticas públicas e industriais, dentre outras.  

Nesse sentido, o Desafio procura por iniciativas que atendam aos três seguintes critérios:  

  1. Colaboração com diversos atores;
  2. Adaptação local para um mundo em constante mudança;
  3. E que estejam relacionadas com pelo menos duas das seguintes áreas de foco fundamentais do turismo sustentável: Social, Cultural, Ambiental e Econômico;

Além disso, o Desafio busca por soluções que:

-  sejam Inovadoras;

-  promovam o Desenvolvimento Local;

-  gerem Transformação Social; 

-  afirmem o Protagonismo das Comunidades.

 

  • Por que CTG Brasil e Ashoka se reúnem num desafio?

A proposta dessa parceria veio no sentido de valorizar e apoiar inovações no Turismo Sustentável, impulsionando o setor. Diante dos impactos da pandemia, entendemos que esse projeto ganha uma urgência e relevância ainda maiores para a transformação do setor, de forma sustentável. É fundamental que os destinos continuem existindo, e que as inovações sociais pós-Covid-19, mais do que nunca, gerem desenvolvimento e riquezas localmente, com valorização da cultura e da biodiversidade.

Frente a estes desafios, a Ashoka Brasil e a CTG Brasil acreditam que o apoio ao Turismo Sustentável represente um caminho de destaque para a inclusão sociocultural, conservação ambiental e o fortalecimento socioeconômico das comunidades – principalmente neste momento no qual o setor como um todo enfrenta enormes desafios.

A identificação e fortalecimento de empreendedores sociais, com transferência de recursos e tecnologias, criação e aplicação de soluções replicáveis de inovação social para o Turismo Sustentável, com atividades-piloto nesses territórios, representa uma importante perspectiva desta parceria. A parceria é marcada por seu ineditismo, surgindo de forma pioneira no cenário de pandemia. Inédita, ainda, na ativação de uma rede de empreendedores sociais e comunidades para o Turismo Sustentável capazes de dialogar e construir soluções conjuntas para o futuro. A parceria promoverá medidas de aceleração e apoio das inovações sociais por meio de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D), reforçando seu caráter transformador.

 

  • Qual a relação da Ashoka com o tema?

A Ashoka possui relação histórica com o tema do Turismo Sustentável em todo o mundo. No Brasil, diversas iniciativas da área foram criadas e consolidadas por empreendedores e empreendedoras sociais ligados à Ashoka Brasil. A organização compreende que o Turismo Sustentável pode gerar importantes transformações locais, regionais e na sociedade como um todo. Assim, é um segmento de grande importância para a leitura da Ashoka de que “Todos Somos Agentes de Transformação”.

Fundada em 1980, a organização se faz presente hoje em mais de 90 países em todos os continentes, tendo reconhecido mais de 3.500 empreendedoras e empreendedores sociais no mundo. Ao longo de quatro décadas de história, organizou dezenas de desafios de inovação, promovendo e apoiando iniciativas transformadoras ao redor do globo. 

A Ashoka Brasil vai colocar essa expertise à disposição de cada etapa do Mapeamento e do Desafio, especialmente na busca ativa de empreendedores sociais e na aplicação de metodologias consolidadas nos processos de aceleração, mentoria e Mapeamento de Tendências. E pretende reforçar seu papel diante de um momento tão crítico: de favorecer transformações positivas para o mundo pós-Covid-19 e seus impactos.

 

  • Qual a relação da CTG Brasil com o tema?

A área do Turismo Sustentável possui o potencial de promover impactos transformadores em áreas relacionadas ao setor de geração de energia. Mundialmente, há o compromisso de garantir que a produção de energia, por um lado, não gere impactos nocivos às localidades onde estão instaladas suas estruturas e, por outro, o desafio de investir e gerar tecnologia para a produção de energia limpa. 

O Brasil encontra-se entre os dez maiores países consumidores de energia elétrica do mundo e enfrenta importantes desafios para garantir a sustentabilidade social, econômica, ambiental e cultural de seus parques de geração de energia.

A CTG afirma, em sua visão, a ideia de “desenvolver o mundo com energia limpa em larga escala”. Nesse sentido, traz para o interior do projeto todo seu conhecimento no Setor Elétrico, da geração de energia limpa, da sustentabilidade. A CTG é a maior produtora de energia elétrica no mundo, ao passo que a CTG Brasil se apresenta como “a segunda maior geradora de energia do país, com capital privado”.

Presente desde 2013 no país, a empresa tem o compromisso de investir no campo social e ambiental. Além disso, com essa parceria, envolverá funcionários de diferentes áreas nas fases de implementação do projeto e contribuirá para a sua aplicabilidade, por meio do financiamento e apoio às inovações sociais para o Turismo Sustentável.

 

  • Por que a escolha do Turismo Sustentável?

Entendemos o turismo sustentável como um importante vetor de desenvolvimento local. A atividade turística possui grande relevância para o desenvolvimento em geral, tanto no Brasil, como em todo o mundo. Sua capacidade transformadora promove inovação, geração de empregos e renda, inclusão, educação, preservação de culturas e do meio ambiente, entre muitos outros benefícios.

Com seus sete mil quilômetros de praias, a maior floresta tropical do mundo, uma densa biodiversidade e a maior reserva de água doce do planeta, com rios extensos e de grande volume de água, o Brasil tem no turismo um segmento fundamental para inúmeros campos do desenvolvimento. Estima-se que o setor seja responsável por empregar mais de 2 milhões de brasileiros, de acordo com dados do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, de 2018).

É importante reforçar, no entanto, que a atividade turística foi uma das mais afetadas pela Covid-19 e pelas medidas de isolamento social. No Brasil, as perdas do setor são estimadas em R$ 62 bilhões para 2020. Neste contexto, é lançada a iniciativa Trilhando a Transformação: Desafio de Inovações em Turismo Sustentável – uma oportunidade de rever conceitos e atualizá-los, para juntos construirmos novos arranjos para o turismo pós-pandemia.

 

  • O que é Turismo Sustentável?

Consideramos o Turismo Sustentável como aquele que se baseia nos 4 pilares a seguir: economicamente viável, socialmente justo, culturalmente diverso e ambientalmente responsável. A seguir, destacamos nossa compreensão a respeito desses pilares.

Socialmente justo: iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.

Culturalmente diverso: iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais. 

Ambientalmente responsável: iniciativas que reduzam o impacto ambiental, que ofereçam soluções de compensação, que cuidem da conservação e do uso de recursos naturais, que se proponham a regenerar áreas degradadas e que promovam educação e sensibilização ambiental. 

Economicamente viável: iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais.

Mais detalhes sobre esses conceitos e outros termos envolvidos na Parceria podem ser encontrados na seção “Glossário” em bit.ly/trilhandoatransformacao

 

  • Quem pode participar?

O projeto inscrito pode ser realizado por uma ONG, uma empresa, uma associação, um microempreendedor individual (MEI), pelo poder público, ou mesmo por uma pessoa física.

O principal é que já seja implementado, mesmo que em pequena escala. E é necessário que ele envolva ao menos dois dos quatro pilares do turismo sustentável (social, cultural, ambiental e econômico).

Não pode ser uma iniciativa a ser implementada no futuro. A proposta é valorizar e reconhecer aquelas que estão desbravando novos formatos de pensar e executar o turismo em seus territórios – e que, além disso, estão lidando também com os impactos da pandemia em suas ações. 

Por fim, sobre o responsável pela iniciativa (a pessoa autora da inscrição) ela:

  • deve ter mais de 18 anos;
  • deve ser brasileira/o ou estrangeira/o residente no Brasil;
  • deve comprovar atuação direta no projeto;
  • não pode ser funcionário nem familiar de funcionários da Ashoka e da CTG Brasil.

 

  • Quais são as etapas do projeto?

O projeto terá duração de dois anos e será desenvolvido em duas fases. O primeiro ano será destinado sobretudo à busca ativa e seleção de inovações sociais. Já o segundo ano será dedicado ao financiamento de pesquisa e desenvolvimento das três iniciativas selecionadas, aos processos de aceleração e à publicação do Mapeamento de Tendências.

Em seu primeiro ano, o Desafio seguirá o calendário abaixo:

  • Lançamento: 30/06/2020
  • Período de inscrição: de 30/06/2020 a 31/08/2020
  • Avaliação I e Feedback: de 01/09/2020 a 14/09/2020
  • Edição dos projetos: de 15/09/2020 a 30/09/2020
  • Avaliação II e Feedback: de 01/10/2020 a 14/10/2020
  • Divulgação dos Finalistas: de 16/10/2020 a 26/10/2020
  • Evento de premiação com Finalistas e Projetos Selecionados: de 23 a 27/11/2020
  • Anúncio dos projetos selecionados: 27/11/2020
  • Início da Fase II - Premiação e Aceleração: janeiro de 2021

 

  • Quais serão as premiações?

Vão ser oferecidos prêmios de R$ 100 mil reais a cada uma das três iniciativas inovadoras selecionadas, além de atividades de mentoria e aceleração aos três projetos.

O Desafio oferecerá retorno aos 10 finalistas, voltados a aprimorar os projetos. Haverá a participação dessas dez iniciativas no evento final – com um dia inteiro de atividades, incluindo mentoria. Serão produzidos conteúdos audiovisuais sobre o Desafio, que falarão a respeito dos finalistas.

 Além disso, todos os participantes terão a oportunidade de divulgar seus projetos, conhecer outras iniciativas, realizar trocas, aprimorar suas propostas. O Desafio prevê a construção de uma plataforma digital colaborativa para todas as iniciativas se conectarem com seus pares.  

As equipes da CTG Brasil e Ashoka Brasil trabalharão conjuntamente no intuito de interagir com as propostas dos participantes e de fornecer respostas e retornos qualificados de forma contínua.

Serão realizadas, por fim, ações voltadas à ativação de redes e fortalecimento do campo (como o Mapeamento de Tendências de Inovação Social para o Turismo Sustentável).

Mais detalhes na seção “Prêmios e Benefícios” em bit.ly/trilhandoatransformacao


  • Os prêmios serão divididos por região ou localidade?

Não há previsão nesse sentido. O Desafio é nacional e irá premiar 3 iniciativas em todo o país. De todo modo, serão especialmente valorizadas propostas que, além de apontarem caminhos para o turismo num mundo pós-pandemia, reforcem questões de diversidade, inclusivas, afirmativas, de gênero e raciais (traduzidas em projetos liderados ou voltados para mulheres, negros, indígenas, jovens e pessoas com deficiência).

 

  • Como as candidaturas serão avaliadas?

As candidaturas serão avaliadas com base nos seguintes critérios:

  • Impacto;
  • Inovação;
  • Planejamento Financeiro e Operacional;
  • Replicabilidade e Crescimento;
  • Abordagem que potencialize as pessoas como agentes de mudança, colocando-as no centro da solução;

Mais detalhes na seção “Como as candidaturas serão avaliadas (critérios de avaliação)” em bit.ly/trilhandoatransformacao


  • Qual a relação da parceria com o Programa de Pesquisa e Desenvolvimento do Setor de Energia Elétrica?

A CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia renovável no País, está investindo um total de R$ 2,1 milhões no projeto, por meio de recursos financeiros destinados pela empresa ao Programa de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Setor de Energia Elétrica, promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).


196 ideas
173 final ideas
64 final ideas
64 final ideas
Starts in 4 days
Announced Nov 27, 2020
4 days before Anúncio de finalistas starts

11 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Euclydes Júnior

Prezados, fico triste em saber que ações como estas são estritamente fechadas aos pequenos grupos politicos de nosso municipio, sem nenhuma divulgação notória. Temos tantos recursos e uma expressiva quantidade de empreendedores com muita capacidade de crescer, porém não são envolvidos em ações como estas, e ao contrário, são pressionados até o ponte de serem obrigados a fecharem seus empreendimentos. Hoje, vendo este "programa" entendo perfeitamente os motivos de tanta pressão por parte da CTG e demais orgãos do nosso municipio sobre os poucos que ousaram investir em locais que, de fato, já tinham interessados na exploração do local, muito promissor, que é as margens do rio sucuriú. Só lamento mesmo.
Me chamo Euclydes Strazzeri, e sou proprietário do Hostel Paraiso do Pescador, que teve suas atividades encerradas por excesso de burocracias, exigência de remoção de toda infraestrutura pela CTG e demais desapontamentos. Muito me estranha a CTG agora querendo fazer com que a região se desenvolva no turismo, sem contar o fechamento da eclusa, que é muito util para o desenvolvimento turistico da região, ligando o lago da usina com a vila dos pescadores.

Spam
Photo of CTG Brasil

Olá, Euclydes, tudo bem?
Lamentamos que você tenha tido essa percepção do Desafio de Inovações em Turismo Sustentável, já que a iniciativa é aberta ao público e vem sendo amplamente divulgada.
Reforçamos o compromisso da CTG Brasil em apoiar projetos inovadores e sustentáveis, como é o caso das iniciativas inscritas neste Desafio, que precisam focar em pelo menos duas das quatro áreas fundamentais do turismo sustentável: Social, Cultural, Ambiental e Econômico. Infelizmente, muitos empreendimentos construídos nas bordas dos reservatórios das usinas hidrelétricas são realizados sem o conhecimento prévio das características de operação e da legislação ambiental. Apoiar uma iniciativa como o Desafio de Inovações em Turismo Sustentável é também uma forma de incentivar a mudança na cultura do turismo para termos iniciativas sustentáveis, que realmente priorizem a transformação social e o desenvolvimento local.
Informamos, também, que de acordo com o Contrato de Concessão da CTG Brasil com o Poder Público, é responsabilidade da Empresa proteger as Áreas de Preservação Permanente (APPs) no entorno dos reservatórios sob sua concessão, tanto do ponto de vista ambiental como de segurança operacional. Por isso, quando há casos de ocupações irregulares, a CTG Brasil atua com o objetivo de apoiar o processo de regularização, promovendo em primeiro lugar a segurança das próprias pessoas nesses locais, já que se tratam de áreas operacionais que podem ser inundadas, e também o uso múltiplo dos reservatórios, considerando o cumprimento da legislação aplicável.
Em relação à eclusa existente na Usina Jupiá, informamos que é de responsabilidade do Ministério dos Transportes, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e da Administração da Hidrovia do Paraná (AHRANA). Conforme aviso Náutico nº 022/2019, de 21/03/2019, emitido pela Capitania Fluvial do Tietê-Paraná, a eclusa encontra-se interditada por tempo indeterminado.

View all comments