Villeco

Marketplace de experiências de impacto, estimulando o turismo consciente em ecovilas, comunidades indígenas e centros de permacultura.

Photo of Alexandre Brisolla
9 14

Written by

Nome completo do(a) representante do projeto

Alexandre Brisolla

E-mail

alexandre@villeco.co

Nacionalidade

Brasileira

Gênero

  • Masculino

Data de Nascimento

20021991

Sede da organização (UF)

  • São Paulo

Site da organização

www.villeco.co

Mídias sociais da organização

https://instagram.com/villeco_eco

Data em que você iniciou o projeto

09/2019

Estágio do projeto

  • Em crescimento (passaram das primeiras atividades; trabalhando para o próximo nível de expansão)

Elegibilidade I: Você atende a todos os critérios de elegibilidade?

  • Sim, eu tenho mais de 18 anos de idade.
  • Sou brasileira/o ou estrangeira/o residente no Brasil.
  • Tenho atuação direta e comprovada no projeto.
  • Não sou funcionário nem familiar de funcionários da Ashoka e da CTG Brasil.

Elegibilidade II: O projeto inscrito:

  • É um projeto já implementado e posso comprovar nas respostas, fotos e documentações a serem apresentadas nesta inscrição..
  • É um projeto que tem como foco pelo menos dois (2) dos quatro (4) pilares do turismo sustentável (social, cultural, ambiental e econômico) descritos na seção "Escopo e áreas de foco".

Ao se inscrever, você concorda que possamos apresentar seu trabalho nas mídias sociais e outras publicações da Ashoka e CTG Brasil, relacionadas ao Desafio?

  • Sim, eu concordo.

1) Viagem pessoal: qual a história por trás da decisão em iniciar este projeto?

Em 2018, visitei Auroville, na Índia, uma das ecovilas mais respeitadas no mundo e, sai de lá com um sonho de tornar aquele estilo de vida regenerativo - em termos ambientais, sociais, culturais e espirituais - acessível ao maior número de pessoas que eu pudesse. Desde então, fui consultor de projetos de impacto nos setores/causas de moda sustentável, economia circular, bioeconomia amazônica, energia solar, combate ao feminicídio, produção orgânica de alimentos, dentre outros. A partir dessa experiência, nasceu a Villeco, como um negócio social sem fins lucrativos, com o propósito de fomentar comunidades que adotem modelos de desenvolvimento regenerativo, conectando-as a agentes de mudança, através de experiências transformadoras.

2) O problema: que problema você está ajudando a resolver?

Como um marketplace, buscamos resolver problemas de dois atores. De um lado, as pessoas estão cada vez mais deprimidas e ansiosas, demandando conexões e experiências que as façam despertar para um novo estilo de vida, mais coerente aos seus valores. De outro lado, espaços que visam regenerar o meio ambiente e proporcionar cura espiritual - como ecovilas - têm dificuldade em se comunicar com seu público na era do marketing digital, por falta de recursos financeiros, humanos ou técnicos.

3) Sua solução: como seu projeto responde a esse problema? Compartilhe sua abordagem específica.

A solução é uma plataforma online, no modelo de marketplace, que visa divulgar as atividades e experiências transformadoras (voluntariado, cursos, eventos culturais, retiros espirituais, ecoturismo, experiência comunitária e espaço de coworking) que comunidades regenerativas (ecovilas, centros de permacultura, centros holísticos, sítios agroflorestais, comunidades indígenas e quilombolas, unidades de conservação, dentre outras) desenvolvem para o público jovem, que possuem hábitos de compra majoritariamente digitais, são mais conscientes ecologicamente e buscam experiências com menor pegada ambiental, mais saudáveis e com um propósito alinhado aos seus valores. Portanto, essa plataforma visa criar conexões de qualidade entre esses espaços e agentes de transformação atuantes ou em potencial, com a finalidade de aumentar a geração de renda local a essas comunidades, aumentar a conscientização ambiental, disseminar novas culturas ancestrais e regenerativas e despertar os indivíduos para uma nova forma de viver mais harmoniosa com o meio ambiente, com o próximo e consigo mesmo.

4) Que tal incluir um vídeo sobre sua iniciativa?

Nossa visão de impacto é ao mesmo tempo que despertamos e desenvolvemos agentes de mudança, através das experiências transformadoras, podemos gerar renda e fortalecer as comunidades que adotam um estilo de vida regenerativo, para que possam disseminar seus conhecimentos com maior amplitude e impacto.

5) Atividades: Destaque as principais atividades que você realiza no dia-a- dia do seu projeto.

Nossa estrutura organizacional é baseada nos conceitos de sociocracia e autogestão, onde nossos esforços se distribuem pelos círculos de comunidades (prospecção de novas comunidades, gestão de relacionamento e pesquisa de campo), comunicação (produção de conteúdo, gestão de redes sociais e outros canais digitais e UI design), tecnologia (desenvolvimento e manutenção da plataforma), estratégia (cultura organizacional, gestão de pessoas, comunicação da visão e gestão de projetos, mensuração de impacto, product-market fit e parcerias) e financeiro (modelo de negócio, captação de recursos e governança).

6) Inovação: Qual inovação sua iniciativa está desenvolvendo ou adaptando para solucionar problemas na área do turismo? Como se diferencia de outras iniciativas no setor?

Temos algumas vertentes de inovação no nosso modelo de negócio: - inovação de nicho: criação de uma plataforma onde o foco não é uma atividade em específico (ex: voluntariado), mas sim as comunidades. Nosso objetivo é fomentar espaços e comunidades que geram impacto socioambiental positivo, através de suas atividades. - inovação de receita: receita variável (comissão sobre as experiências vendidas) é mais alinhada aos interesses da comunidade, só recebemos se gerarmos valor. Enquanto não cobramos dos usuários, democratizando o acesso à plataforma - inovação de impacto: somos um negócio social sem fins lucrativos (sem distribuição de dividendos), o que significa que nossos interesses estão 100% alinhados ao impacto pretendido pela nossa organização, deixando o superávit financeiro em segundo plano

7) a) Pilares do Turismo sustentável: Quais dos seguintes pilares do Turismo Sustentável o seu projeto contempla?

  • Social - iniciativas que melhorem a qualidade de vida das comunidades envolvidas, que sejam capazes de contribuir em aspectos da educação, saúde, articulação social, diversidade e atuação das comunidades.  
  • Cultural - iniciativas que valorizem as identidades e culturas locais, a preservação das histórias e os saberes tradicionais.  
  • Ambiental - iniciativas que reduzam o impacto ambiental, que ofereçam soluções de compensação, que cuidem da conservação e do uso de recursos naturais, que se proponham a regenerar áreas degradadas e que promovam educação e sensibilização ambiental.     
  • Econômico - iniciativas que atuem a partir da proposta de desenvolvimento local, que gerem emprego e renda localmente, que valorizem fornecedores locais, que construam parcerias e que fortaleçam redes de produção e serviços junto a outros agentes locais.  

7) b) Pilares do Turismo Sustentável: explique como os pilares que sinalizou na pergunta anterior estão presentes na implementação do seu projeto.

Social: o pilar central da nossa iniciativa são as comunidades locais, onde nossa principal missão é fortalecer o movimento regenerativo que elas fazem parte, atraindo recursos financeiros, humanos e intelectuais Cultural: valorizamos culturas tradicionais, como as comunidades indígenas e quilombolas, que têm muito a nos ensinar sobre as relações com a natureza e com o indivíduo. Temos a intenção não só de preservar e fortalecer essas comunidades, mas também de disseminar seu conhecimento Ambiental: as experiências ofertadas na plataforma podem proporcionar aos clientes (i) maior conscientização ambiental, (ii) aprendizado sobre práticas e técnicas ecológicas em temas como permacultura, bioconstrução e agrofloresta, para que eles possam aplicar esse conhecimento e gerar uma pegada ambiental menor, e (iii) regeneração ambiental local através da aplicação prática dos conceitos aprendidos Econômico: o objetivo da divulgação de experiências transformadoras, que as comunidades parceiras oferecem na nossa plataforma, é estimular um modelo de turismo que gera renda para os moradores e colaboradores desses espaços, dando mais resiliência para que estes possam ter mais recursos para alcançarem seus objetivos de impacto socioambiental positivo

8) Impacto: quais impactos seu projeto causou até agora? Considere impactos internos na estabilidade da sua organização e externos em relação ao pilares do turismo sustentável, utilize dados

Nosso impacto em termos quantitativos até agora: - 230 participantes de experiências em comunidades parceiras - 14 comunidades cadastradas - 9 experiências realizadas - Audiência nas redes sociais de 7.000 pessoas Depoimentos: - "Mesmo com uma proposta harmônica com o meio ambiente, das construções do espaço à mão aos hábitos totalmente alinhados com a natureza, o Saramandala oferece conforto. Tirando isso as trocas são incríveis, o público que frequenta é sempre sensacional, cheio de pessoas diferentes, com muitas ideias e amor no coração. As experiências que tive foram sempre marcantes, transformadores, prazerosas e muito renovadoras", Vic - "Minha experiência foi linda e transformadora, dessas que são um marco em nossas vidas. O senso de coletividade é priorizado o tempo todo e existe espaço para que cada um se expresse. Foi minha primeira experiência em bioconstrução e agrofloresta e senti que aprendi muito, desde a parte teórica, até a prática (muita prática). Minha noção de sustentabilidade foi completamente atualizada!", Dani

9) Estratégias de crescimento: Quais são seus planos para fomentar o crescimento de sua iniciativa?

Temos duas estratégias de crescimento para o ano que vem. A primeira é escalar geograficamente, replicando a mesma estratégia em outras localidades, conquistando novas comunidades dentro do Brasil e na América Latina. A segunda é ampliar a oferta de serviços e experiências oferecidas pelas comunidades, não só as que elas já realizam, mas também conceder as ferramentas necessárias para que elas ampliem seus serviços.

10) Colaboração: como a sua iniciativa colabora com outros atores (governos, universidades, empresas, associações da sociedade civil) para fazer a diferença? Você realiza alguma parceria?

Estamos costurando parcerias com: - Associações de assentamentos sustentáveis para ampliar nossa rede de comunidades parceiras - Associações presentes em comunidades urbanas de baixa renda para levantar interessados em concorrer a bolsas nas experiências ofertadas dentro da plataforma - Universidades para realizar uma pesquisa de mapeamento e coleta de dados de todas as comunidades regenerativas no Brasil, com a finalidade de organizar e divulgar gratuitamente informações relevantes sobre esse movimento e ecossistema.

11) Inspirar novos agentes de transformação: você tem influenciado outras organizações e pessoas a se envolverem no seu projeto e/ou a se preocuparem com o Turismo Sustentável? Se sim, como?

Nosso projeto visa despertar e desenvolver agentes de mudança, através das experiências transformadoras em comunidades regenerativas. Acreditamos que a partir de um programa de voluntariado, um curso de permacultura, um multirão em agrofloresta, uma residência cultural, uma experiência comunitária ou um retiro espiritual, conseguimos fazer com que as pessoas se conectem principalmente consigo mesmas. É a partir dessa conexão interior que é possível proporcionar cura e uma visão de mundo mais consciente e responsável, desenvolvendo mais e mais agentes de mudança.

12) a)Quais dos seguintes recursos sua organização obteve até o momento?

  • Suporte de amigos
  • Apoio da família
  • Mentores / conselheiros
  • Participação em programas de incubação e aceleração

12) b) Planejamento Financeiro: como você planeja financiar o seu projeto a curto, médio e longo prazo?

Atualmente temos recursos para sustentação financeira até jun/2021. De qualquer forma, temos uma meta de começar a gerar um fluxo relevante de receita através da comissão por serviço a partir de nov/20 e conseguir um aporte de investimento social via dívida até mar/21 para sustentar a operação até dez/23. Visamos ainda cobrir cerca de 5-10% de nossas despesas através de doações de pessoas físicas.

12) c) Quanto você já investiu no seu projeto para a operação deste ano?

  • Investimento entre R$10.000 e R$50.000

12) d) Qual é o orçamento necessário para o funcionamento do seu projeto durante 1 ano?

  • acima de R$ 100.000

13) Equipe: qual é a atual composição da sua equipe (papéis, qualificação, tempo integral x temporários, etc)? Como essa composição se transformará no futuro do seu projeto?

Nossa equipe está distribuída dessa forma atualmente: Full-time: 1. Alexandre B.: Comunidades, Estratégia e Tecnologia 2. Pedro: Estratégia e Comunidades 3. Elenice: Comunicação Part-time: 1. João Pedro: Conselho Consultivo 2. Andrea: Comunicação 3. Larissa: Comunicação 4. Érico: Comunicação 5. Ana: Comunicação 6. Sindélio: Tecnologia 7. Victor: Tecnologia 8. Alexandre M.: Comunidades 9. Julia: Comunidades 10. João: Comunidades 11. Rafael: Comunidades 12. Carolina: Comunidades Para 2021, precisamos de reforço no círculo de Tecnologia com mais um desenvolvedor e um designer.

14) Diversidade na equipe: descreva a diversidade de sua equipe e inclua informações sobre a distribuição de cargos.

A diversidade na nossa equipe atualmente está conforme abaixo. Gênero: masculino (9), feminino (3), não binário (3) Etnia: branca (11), negra (4) Geração: Y (15) Temos consciência de que temos alguma diversidade, mas ainda existe espaço pra mais mulheres na equipe, maior diversidade étnica, social e geracional e temos metas definidas para evoluir nesse tema quando pensarmos em aumentar a equipe.

15) a) Diversidade do público de sua iniciativa: o seu projeto tem como foco específico algum dos seguintes grupos?

  • Minorias étnicas
  • Comunidade negra
  • Comunidade rural
  • Comunidade indígena
  • Comunidade quilombola

15) b) Diversidade de público da iniciativa: Dê exemplos reais de como o seu projeto está conseguindo impactar todos os grupos que você indicou na pergunta anterior.

A diversidade étnica, social e de gêneros dentro na nossa equipe é um assunto muito importante e temos metas definidas bem claras para esse assunto, pois acreditamos que tem que ser tratado de dentro pra fora. Além disso, atualmente já temos parcerias com comunidades rurais, periféricas e de baixa renda. Além disso, estamos trabalhando para desenvolver parcerias com comunidades indígenas e quilombolas, incluindo-as na plataforma. Temos um programa de bolsas para as experiências divulgadas na plataforma com cotas sociais. Além disso, estamos estudando novas formas de bolsas, cotas ou algum mecanismo que contemple maior diversidade no nosso público e estamos abertos a sugestões.

16) Como você soube desse desafio?

  • Mídia social

17) ADAPTABILIDADE: Como sua iniciativa contribui para a resiliência socioeconômica e cultural da comunidade em que você atua? Ou seja, como ela ajudou a comunidade a se adaptar em uma situação de crise como a pandemia da covid-19?

Nossa plataforma torna as comunidades parceiras mais resilientes, através da utilização de canais digitais para a divulgação de experiências e atividades. Antes da pandemia, esses canais digitais eram pouco utilizados e os clientes surgiam mais por indicação. Além disso, estamos cocriando experiências virtuais (ex: cursos online, lives, voluntariado remoto, festivais culturais virtuais, dentre outras) junto às comunidades para que a entrada de recursos humanos, financeiros e intelectuais não cesse em razão da pandemia.

18) MUDANÇAS SISTÊMICAS: Você diria que sua atuação gera ou visa a mudança sistêmica? Caso sim, por favor explique.

Nossa missão é (i) fortalecer comunidades que adotam modelos de desenvolvimento regenerativo, ou seja, coletivos que propõe um novo estilo de vida harmônico com a natureza, comunitário e participativo no âmbito social, e espiritualizado e consciente no nível individual; (ii) e despertar cada vez mais pessoas para esse novo estilo de vida, que rompre com padrões e paradigmas destrutivos, que são predominantes no nosso modelo de sociedade atual.

19) TURISMO COMO VETOR DE DESENVOLVIMENTO: Você consegue exemplificar, a partir da sua experiência, como o turismo pode colaborar localmente para um sistema de criação de valor compartilhado?

Um curso de agrofloresta, por exemplo, (i) gera renda aos instrutores, que geralmente residem na comunidade ou próximo a ela; (ii) fomenta o comércio local, que fornece alimentos e outros bens de consumo aos participantes, durante a estadia na comunidade; (iii) gera renda aos artesãos e artistas, que compartilham produtos e experiências culturais da região; (iv) gera renda a guias e agências turísticas, que promovem ecoturismo e turismo de base comunitária aos visitantes; (v) gera renda a terapeutas locais, que oferecem seus serviços de saúde e bem-estar; (vi) e ainda regenera o solo, que ao final do curso terá um sistema agroflorestal.

20) REPLICABILIDADE: Para você, é possível identificar outros projetos que foram inspiradores para sua iniciativa? Em quais aspectos? E como o seu projeto se preocupa em inspirar outras iniciativas e ser replicado em outros contextos? Há alguma estratégia para viabilizar sua replicação?

Ecovilas como Auroville (Índia) e Piracanga (Bahia) serviram de inspiração pela consolidação das comunidades vivendo em um estilo de vida alternativo e regenerativo; e Worldpackers serviu de inspiração por ser precursor em conectar viajantes a espaços, através de programas de troca de voluntariado por acomodação. Nosso projeto tem um potencial de replicabilidade alto por ser uma plataforma digital e automatizada, facilitando um alto alcance de comunidades e visitantes por meio de canais digitais. Buscamos inspirar e fortalecer não só as comunidades e iniciativas já existentes, mas também criar atalhos sustentáveis para novas comunidades regenerativas, que vieram a surgir. Nossa estratégia de expansão já está em curso. Atualmente estamos presentes em 4 das 5 regiões do país, e estamos adotando estratégias de divulgação da plataforma, através de canais digitais como site, Instagram, Facebook, Medium (Blog), Email Marketing e Indicações.

21) UTILIZAÇÃO DO PRÊMIO - Caso sua inciativa seja uma das três iniciativas selecionadas para receber o prêmio em dinheiro, como pretende investir o valor recebido?

O valor do prêmio será investido nas áreas de tecnologia e comunicação. Nosso planejamento é desenvolver nosso site para aumentar a automatização de processos e criar novas funcionalidades para melhorar a experiência do usuário. Na frente de comunicação, temos uma demanda de investimento nos canais que demonstraram métricas de funil consistentes, com a intenção de ampliar nosso alcance e audiência.

22) a) TURISMO SUSTENTÁVEL: o que é turismo sustentável para você?

Turismo sustentável é aquele que proporciona aos viajantes uma experiência de impacto positivo na comunidade local, regenerando o meio ambiente, gerando renda, fortalecendo, preservando e disseminando a cultura local. Turismo sustentável é aquele que além do impacto positivo na comunidade local, também gera um impacto positivo nos viajantes, proporcionando melhoras no corpo, na mente e no espírito, além de levarem consigo conhecimento valioso a partir de conscientização ambiental. A sustentabilidade do turismo se alcança justamente quando viajantes e anfitriões são beneficiados, com a redução dos impactos negativos e a otimização dos impactos positivos.

22) b) TURISMO SUSTENTÁVEL: Com base na sua experiência, quais você considera serem os principais desafios para a implementação de iniciativas de turismo sustentável na atualidade? Quais caminhos você vislumbra para superá-los?

Dentre os principais desafios do turismo sustentável, destaco a baixa conscientização ambiental da população; a falta de recursos financeiros, intelectuais e humanos para divulgação das experiências em canais digitais; uma conexão fraca entre as comunidades e profissionais do turismo sustentável para compartilharem de boas práticas e se fortalecerem como rede; e a falta de infraestrutura na zona rural como ausência de coleta seletiva, por exemplo. Nossa plataforma atua divulgando as experiências de turismo sustentável das comunidades parceiras, de forma a fornecer conhecimento em marketing digital para otimizar os canais, aumentando a renda das comunidades e o número de pessoas conscientizadas e capacitadas para serem agentes de mudança positiva no mundo.

22) c) TURISMO SUSTENTÁVEL: Quais oportunidades você considera importantes para fortalecer iniciativas de turismo sustentável?

Acreditamos que a pandemia em si é uma oportunidade para o turismo se reinventar, se tornar mais resiliente e regenerativo. Fica cada vez mais evidente que precisamos mudar certos padrões de comportamento em relação ao meio ambiente, ao trabalho, às relações e ao autocuidado. Acredito que o turismo sustentável tem o potencial de conectar as pessoas com a natureza, de forma profunda, trazendo benefícios emocionais, físicos e espirituais. A conexão se dá também no âmbito da vida comunitária, muito mais solidária, compartilhada e colaborativa que nos grandes centros urbanos. E por fim, o turismo é uma grande oportunidade para a pessoa se reconectar a si mesmo, sair da inércia e dar uma distanciada dos problemas do dia-a-dia e refletir sobre seu papel no mundo e sobre o que a deixa feliz.

9 comments

Join the conversation:

Comment
Spam
Photo of Salvador
Team

Olá Alexandre e equipe,
O Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima é uma iniciativa que tem como propósito implantar na atividade turística a compensação de emissões de Gases de Efeito Estufa geradas pelo trade turístico e pelos turistas, algo que será cada vez mais necessário para responder à crise climática. Os recursos da compensação financiam um conjunto de ações voltadas à conservação e restauração de florestas, à inclusão socioeconômica de grupos sociais vulneráveis e ao enfrentamento à crise climática.
Após 10 anos testando, avaliando e aprimorando o protótipo nosso próximo passo é replicar a iniciativa para outras regiões do Brasil. Nossa estratégia na replicação é estruturar uma rede de Ongs e instituições interessadas em executar o programa em suas regiões, adaptando-o às realidades locais. Vamos capacitar e assessorar as instituições para que se apropriem do conceito, metodologia e do funcionamento do programa, dando suporte técnico e operacional durante o tempo necessário à sua implantação.
Com a estruturação da Rede Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima existe um potencial enorme para desencadearmos um poderoso movimento no país em prol do clima, das florestas, da agricultura ecológica, do combate à pobreza no meio rural e da vida, gerando mudanças socioambientais sistêmicas e profundas a partir do turismo.
Envolver as iniciativas semifinalistas do Desafio de Inovações em Turismo Sustentável na Rede Turismo CO2 Legal – Guardiões do Clima será algo fantástico para iniciar a replicação. Neste sentido, queremos convidá-los a conhecer a iniciativa com mais propriedade e havendo interesse em participar da Rede entrar em contato através do email salvador@mecenasdavida.org.br ou pelo WhatsApp 73 999646444
https://network.changemakers.com/challenge/turismosustentavel/edicao/turismo-co2-legal-guardioes-do-clima
Gratidão pela escuta e fiquem bem.
Salvador e equipe Mecenas da Vida

View all comments